10 abril 2017

Entrevista com o autor: Breno Torres

Quem diria que o sonho de um amigo tão próximo iria se tornar realidade tão cedo?! Ao vivenciar de perto a trajetória daquele jovem sonhador e romântico, eu vibrei quando soube do seu primeiro livro, lançado pela Editora Arwen. Breno Torres é um amigo do curso de Letras – Língua Portuguesa e desde quando nos falamos pela primeira vez soube que era um apaixonado pelas letras e pela literatura. Como novo autor, o Breno irá lançar seu livro Pesadelos Infaustos, uma compilação de contos de horror e drama, publicado pela Editora Arwen, em abril deste ano. E claro que não poderia perder a oportunidade de divulgar o trabalho de um escritor paraense tão bom e tão próximo aqui no blog.
1. Quando iniciou tua paixão pela literatura?
Eu ainda guardo comigo uma das minhas primeiras memórias de leitura: uma edição linda de Poliana, adaptada para pequenos leitores, e foi uma experiência mágica. Mas minha paixão se consagrou mesmo com os livros de Harry Potter. Aquilo ali fez meu mundo virar de cabeça pra baixo – ou melhor: de cabeça pros livros.
2. O que te motivou a escrever um livro?
Quando eu leio livros, as experiências ali colocadas para os leitores viverem e os assuntos/temas discutidos sempre geram ideias e, por conseguinte, inspirações dentro de mim. Eu sou uma pessoa que tem muito a dizer, muito a mostrar, muito a provar (também), e a leitura e a Arte em geral me engatilha a imaginação. O que me motivou a escrever PESADELOS INFAUSTOS, enfim, assim como o que me motiva a continuar escrevendo, são as toneladas de palavras, filosofias, críticas e ideias que preciso compartilhar e escrever.
3. Por que um livro de contos e por que Horror?
Acho o Conto um gênero literário muito inteiro em si, muito completo e que dá muitas possibilidades ao autor, principalmente se tratando de um autor que está começando a descobrir seu estilo e sua voz narrativa. Foi no conto que comecei a fazer meus desdobramentos de enredo e experimentar as tantas possibilidades das dimensões de uma história, e deu muito certo esse meu processo de consolidação por conta disso. No que concerne ao Horror, um gênero que descobri com minha grande mestra Anne Rice, aliá-lo ao Conto me permitiu dar ao Horror tanta profundidade, tanta criatividade, sempre tanta autenticidade e possibilidades... Casar os dois, enfim, Conto e Horror, foi um processo natural. Um processo perfeito, para mim.
4. Como foi o processo de escrita de Pesadelos Infaustos?
PESADELOS INFAUSTOS começou a ser escrito no começo da minha graduação em Letras e se estendeu continuamente como um processo simplesmente experimentativo (de eu me descobrindo como autor) até que eu percebesse, uns dois anos depois, que eu poderia fazer conexões entre aqueles contos e eles faziam sentido e peso como uma antologia. Comecei, então, a me dedicar a tornar, a partir dos contos já escritos que eu tinha, a ordem das histórias um processo, onde o leitor poderia vivê-lo tanto no que diz respeito ao tom e às sensações que as histórias proporcionam quanto ao que as histórias são e representam – histórias críticas, profundas, vivas em si.
5. A faculdade te influenciou na vida de escritor/autor?
Com certeza. Na verdade, o grande motivo de ter entrado para a faculdade de Letras foi a possibilidade de me inebriar de Literatura em todas as suas dimensões para me polir e me engrandecer como autor – Crítica Literária, Teoria Literária; Leitura e conhecimento aprofundado de Clássicos (momento sempre fundamental), leitura de diferentes gêneros literários, descoberta de obras atuais; Produção, Revisão textual... A faculdade foi uma grande escola. Escola de vida, também.

6. Como foi a trajetória de publicação? Houve pesquisa de editoras, preços, etc.?
A trajetória para a publicação foi mais fácil do que eu pensava. Através do modelo de pagamento pela publicação, o autor, se possuir uma obra valorosa, pode conseguir sua publicação em boas editoras. Enviei meu texto para algumas e, depois de longa pesquisa, decidi pela Arwen por me oferecer o melhor pacote de publicação, mesmo. Com o melhor trabalho e auxílio ao autor.
7. E as escolhas da diagramação do livro? Foram em conjunto com a editora ou escolhas suas apenas?
Todo o trabalho de diagramação, capa, revisão de PESADELOS INFAUSTOS foi feito em conjunto entre mim e a equipe da Editora Arwen. Eles ponderaram muito inteligentemente tanto o que o autor sonha para sua obra quanto o que é interessante mercadologicamente, e todo o resultado foi muito, MUITO maravilhoso. Surpreendente MESMO. O leitor vai se apaixonar quando ver!
8. O que você pensa sobre o mercado editorial brasileiro atual? É difícil ser um novo autor aqui no Brasil?
Acredito que como diz Anne Rice, hoje está muito mais fácil ser um escritor. Não é necessário nem ter quase oito décadas de vida como ela tem para ver isso: temos mais tecnologia para produção em todas as etapas, mais facilidade para pesquisa, mais possibilidades de ter autonomia no trabalho autoral, mais mídias e opções para divulgação. Não podemos deixar de perceber o quanto que a contemporaneidade tornou, nesses aspectos, mais fácil ser um escritor. A questão é quanto a ser um autor – autor de livros, ou seja, ter obras publicadas e um espaço sob o sol. De que adianta tornar tão acessível o acesso dos escritores à publicação se depois que batemos na porta o caminho pelo lugar é tão árduo? Nesse sentido, portanto, ser um novo autor no Brasil é um bocado difícil, sim.
9. Pretende escrever outro livro? Se sim, já tem planos para ele?
Pretendo sim! Muitos outros! Já tenho plano para uns três; recentemente comecei um.
10. Quais as suas paixões fora a literatura?
Ahh, a Arte em geral é minha paixão, em todas suas vertentes. Mas a Música e o Cinema têm lugares especiais no meu coração – até porque elas se aliam ao meu processo de escrita. Quando escrevo, a energia, a vibração da Música me contagiam, muitas vezes a ponto de influenciar o tom da ficção que estou a escrever; já cenas, comportamentos de personagens, ambientes e outros pontos da composição textual costumam passar pela minha cabeça como filmes enquanto escrevo – por isso o Cinema é um grande fomentador.
11. Tem dicas para uma boa escrita e para pessoas que pretendem escrever seu próprio livro?
Ah, eu tenho sim. Eu tenho sim e é a dica mais maravilhosa do mundo, que a minha linda mestra Anne Rice dá a todos que escrevem: seja teimoso com seu sonho e sua obra. Acredite nela, insista nela. Também não tente escrever uma história nos moldes de qualquer outra pessoa que seja – nós já temos a obra dessa tal pessoa no mundo. Escreva sua própria história, do seu próprio jeito. E acrescentando agora palavras minhas sobre isso: antes de seguir qualquer cartilha literária publicada por algum autor ou crítico famoso, descubra qual melhor lhe encaixa e lhe é mais confortável para você seguir – e se não achar nenhuma que se encaixa a você, faça sua própria cartilha. Não é porque você não consegue fazer como um autor famoso faz que você não é um escritor. Você é quem manda. Você faz suas próprias regras, você é o dono das suas ideias. E mais, e principalmente: dê tempo à sua própria voz criativa se estabelecer. Pode durar meses, pode durar anos, até décadas – dê a si mesmo tempo para se descobrir literariamente. Descubra sua própria voz criativa no seu próprio tempo.
12. Por ultimo e não menos importante, por que as pessoas devem ler Pesadelos Infaustos?
Pesadelos Infaustos é uma singela ode aos diversos desdobramentos do Horror e do Terror, gêneros que tanto me apaixonam. Há drama, há erotismo, há Splatter/Gore, há críticas sociais/cristãs/comportamentais; há entrelaçamento de gêneros literários (como o Fantástico), há experimentação literária em diversas camadas das histórias – há muito! É um livro rico, repleto de novidades e de enredos vívidos e cenas que vão lhe tirar o fôlego. Não deixe de conferir!

Em breve teremos novidades sobre o livro por aqui!
Link para a compra do livro

5 comentários:

  1. É tão bom quando um amigo nosso realiza seu sonho, ainda mais no ramo da literatura, que a gente tanto ama, né?
    Parabéns!
    Eu não sou lá muito fã de contos, mas quero ler o livro dele, porque a entrevista está bem bacana.
    :D

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com
    www.livrosdateca.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Jeni,
    Que entrevista ótima. Eu sou péssima para essas coisas, então, nem tento. Só ia perguntar coisa clichê HAHA
    Adorei que vocês se conhecem. Se eu não me engano ele me mandou um recado no formulário, mas nem pude responder ainda pelos problemas no blog.
    O livro é do gênero que eu gosto, os contos parecem ser bem interessantes. Sucesso, Breno!

    P.S.: Muito obrigada pela força e palavras lá no blog ♥

    tenha um ótimo feriado =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o autor e fico agradecida quando alguém coloca em seu blog, uma entrevista com autores para que possamos conhecer e saber um pouquinho sobre eles. Embora não seja fã de contos, foi muito bom ler e saber sobre esse autor.

    ResponderExcluir
  4. Entrevista incrivel! dá vontade de ler logo! haha
    Desejo muito sucesso ao Breno, e vou adquirir logo o meu exemplar.

    http://www.arwenbooks.com.br/pesadelos-infaustos

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Não conhecia o livro, mas já fiquei interessada.
    A entrevista está ótima. Parabéns ao autor. Desejo muito sucesso.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo