18 fevereiro 2017

Resenha - Os Sofrimentos do Jovem Werther


Título: Os Sofrimentos do Jovem Werther
Título original: Die Leiden des jungen Werthers
Autor(a): Johann Wolfgang von Goethe
Editora: Abril
Sinopse: Precursor do romantismo alemão, este romance epistolar, publicado em 1774, causou uma onda de suicídios. A trágica história da paixão irrefreável de Werther pela bela Lotte expressa a sensibilidade da burguesia ascendente e o confronto entre sentimentos individuais e convenções sociais.
Os Sofrimentos do Jovem Werther foi um dos primeiros livros do Romantismo estrangeiro que li e me apaixonei. Um personagem extremamente melancólico, envolto com a natureza, alheio à sociedade que não o compreende, Werther foi, para mim, um herói do romantismo que eu apreciei por muito tempo.

Na releitura feita entre 2016 e 2017, meu herói já demonstra-se com outras faces. Eu, muito diferente da adolescente que o leu pela primeira vez, já enxerguei Werther com um olhar distante, compreendendo-o por conta do movimento a que faz parte e não mais me identificando subjetivamente como antes.

Em forma de cartas destinadas ao seu amigo, Alberto, o romance nos apresenta Werther, um jovem burguês apaixonado pela natureza, reflexivo quanto à sua vida e outros temas e que numa festa, conhece Charlotte, a quem acaba se apaixonando, mesmo sabendo de seu noivado já confirmado. Assim, a obra mais significativa do romance alemão é narrada pela voz do jovem apaixonado, intenso, incompreendido pela sociedade, vazio pelo amor não correspondido, pelo impossível que almeja.

É uma narrativa melodramática, subjetiva e carregada de suspiros de um jovem burguês enfeitiçado por sua musa inalcançável. Baseado em fatos que ocorreram com o próprio autor, Goethe, a história é feita para os entusiasmados da chamada terceira geração do Romantismo, ocorrida aqui no Brasil.

As reflexões da personagem, as cenas entre ele e Charlotte, o amor descrito, as alucinações, os sonhos, tudo é atraente no romance. As cartas não tornam a narrativa confusa, como já presenciei em outras obras epistolares e a narrativa nos conduz de forma intensa ao final desolador.

3 comentários:

  1. Hey Jen! Como voce esta?
    ntão, eu nunca li nada do romantismo estrangeiro mas parece que esse tem um final de quebrar corações... Deve ser bonito e triste de se ler, não? Não sei se leria mas de alguma forma acho que super agregaria na narrativa e no tempo e estilo da leitura, né? :D incrivel
    gostei da sua resenha, rapidinha e bem completa! O original é alemão?
    uia interessante....

    Beijocas
    Pâm - www.interruptedreamer.com

    ResponderExcluir
  2. Olá! Sempre tive interesse de ler esse livro. Gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  3. Esse é o tipo de livro que nós aprendemos sobre ele na escola, eu particularmente amo literatura e me encanto com as aulas, mas raramente vamos atrás dos livros... Com um certo preconceito até, principalmente com medo da linguagem utilizada... Que muitas vezes acaba sendo um obstáculo para o bom entendimento da obra. Adorei a resenha e super me incentivou a ler. Assim que tiver um tempo, com toda a certeza irei lembrar desse livro!

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo