21 janeiro 2017

Resenha - Incendeia-me

Título original: Ignite me
Autor(a): Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Sinopse: "Um dia eu posso romper. Um dia eu posso romper e me libertar e nada mais vai ser igual."
O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado.
Juliette foi a única que restou no caminho d'O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá.

Levei praticamente 3 anos para terminar essa trilogia, mas valeu à pena a espera. Incendei-me é o terceiro e último livro da sequencia Estilhaça-me e Liberta-me de Tahereh Mafi e posso dizer que me surpreendi com o desfecho da saga de Juliette, no sentido bom da palavra.


O livro inicia com a protagonista narrando seu acordar, após o tiro que leva de Anderson, o supremo comandante do Restabelecimento, e as primeiras notícias com o término da guerra dos rebeldes contra o exército dele. Warner encontra-se ao seu lado, pronto para ajudá-la em sua recuperação, porém Juliette deseja mais do que nunca sair daquela condição enferma e ajudar seus amigos. Após saber por Warner que todos morreram, a jovem planeja sua vingança contra Anderson, causador de todo o seu sofrimento e pergunta a Warner se ele irá ajudá-la nisso. Unidos pelo ódio contra o supremo, os dois irão ao Ponto Ômega, onde Juliette e seus amigos se refugiaram anteriormente e acabam encontrando surpresas que irão mudar todos os seus planos.

Este terceiro livro, no início foca muito na relação entre Warner e Juliette e admito que não achei ruim. Mesmo com algumas desculpas bem estranhas, Warner é outra pessoa após explicar tudo o que fez com Juliette e ela, mesmo demorando a aceitar, termina por compreendê-lo.

O que causou minha surpresa quanto ao final da trilogia foi a protagonista mudar tanto ao longo da narrativa. Mesmo jovem (17 prestes a fazer 18 anos), Juliette após sofrer perdas, desilusões e conhecer melhor aquele que lhe confundia tanto, se torna alguém decidido a cumprir sua vingança. Motivada por isso, ela foca em seus poderes (seu toque é mortal e sua força é extraordinária), em não mais se esconder por conta deles, mas sim trabalhá-los para usufruir na batalha que deseja realizar contra os soldados de Anderson e contra ele mesmo.

Seus amigos, como ela irá descobrir depois, estão quase todos vivos, mas abalados pela guerra e pela derrota sofrida; mesmo assim a jovem pretende reunir todos para alcançar seu objetivo maior. Neste meio tempo, entre discussões (Warner não é visto com bons olhos pelos demais), desconfianças e incertezas, há o triângulo amoroso entre Adam, Juliette e Warner. Esse primeiro incomodando bastante por seus atos, porém, as falas de Juliette dissipam um pouco esse incômodo, pela sua determinação e autoempoderamento, as cenas melosas entre os dois são passageiras.

Por fim, a leitura fluiu tão rápido, por conta da quantidade de diálogos e capítulos curtos, que mal percebi a narrativa terminar. As cenas finais do livro foram rápidas e talvez um pouco apressadas, porém gostei do foco da autora em definir primeiro sua protagonista, como alguém forte, determinada e conhecedora dos seus próprios sentimentos para depois dar atenção à ação da batalha final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo