06 fevereiro 2016

Abstrair

Sempre fui muito quieta e tímida frente aos outros. Mas ao longo de algumas experiências tive que externar algumas coisas, principalmente o que estou sentindo. Caso contrário, enlouqueceria. Sempre tentei ser o mais honesta possível comigo mesma e com as pessoas ao meu redor, porém, de uns tempos pra cá, pude perceber que externar certos sentimentos não estavam me fazendo bem, e não estavam fazendo nada bem aos mais próximos. Meu lado pessimista aflorou ao longo dos anos, meu ceticismo aumentou proporcionalmente à minha falta de fé, em tudo e todos e eu, como alguém crente de certas coisas, me perdi em reclamações, resmungos, suspiros de exaustão e pensamentos maldosos sobre os outros. 
Ao perceber o quanto isso me prejudicava e o quanto afetava as pessoas que mais amo, tive que parar para pensar naquilo que estava pensando e externando. Nunca quis ser a pessoa negativa a qual outros precisam se afastar. Nem ser aquela que só enxerga o lado ruim de tudo. Eu nunca quis ser tão cética e mesmo assim estava sendo. Que bom que ainda tive tempo de rever tudo isso. Gratidão sempre foi algo que não quis deixar de lado e estava deixando. Gratidão por tudo e qualquer coisa que me faça bem e até as que fizeram mal, por que não?! Gratidão não por ter a vida que sempre quis e sim pelo que tenho e pelas pessoas que fazem da vida algo valioso. E nesse exercício de gratidão, abstrair tudo o que me irrita, todas as pequenas dificuldades do dia a dia é sempre um exercício trabalhoso, mas totalmente necessário.

11 comentários:

  1. E com certeza vale muito a pena. Acredito que quanto mais a gente se enclausura em meio à pensamentos negativos, vamos perdendo o melhor da vida. Nós somos o que pensamos. Quanto mais negativos nos tornamos, mais negatividade atraímos para nossas vidas. É necessário mesmo abstrair, tentar ser mais leve e dar atenção às coisas boas que sempre nos rodeiam, a vida segue melhor.

    Beijos!


    ResponderExcluir
  2. ッッ
    Sensato!
    Acho que preciso abstrair também.

    ResponderExcluir
  3. A gente faz isso com o tempo sem perceber, mas bom é quando a gente se enxerga em tempo.

    ResponderExcluir
  4. É sempre muito difícil lidar com tudo o que acontece ao nosso redor e não se deixar abater ou, principalmente, não acabar descontando naqueles que mais amamos tudo isso. Mas o balanço diário é sempre restaurador e por isso eu o faço todos os dias, assim a gente consegue perceber o que fez de errado e tentar mudar e acho que faz toda a diferença!

    ResponderExcluir
  5. Também já passei por uma fase pessimista e negativa e sei o quanto pode ser difícil se abstrair de acontecimentos ruins e momentos infelizes. Contudo, o resultado desse esforço é uma recompensa valiosa. Boa sorte!

    Beijos =*

    alacazaam.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Acho que a gente tá na idade de passar por essa fase do ceticismo :/ ainda não sei se isso é bom ou ruim, mas tudo na vida passa né? O bom e o ruim... Ser grato é um exercício diário e contínuo, faz parte de viver em sociedade e você vai ver o lado positivo das coisas, eu espero e torço :)
    Beijos! Amei a foto do post ^^
    http://www.trocandodisco.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Jen,
    Nem sei se meu outro comentário foi porque a net caiu -.-
    Mas, me identifiquei bastante com o texto. Houve uma época que eu estava assim e tive que rever muitas coisas, parecia que renasci haha
    Mas, tem dias que a negatividade toma conta mesmo, é difícil. Porém, temos que evitar porque atrai né.

    Ótimo texto.

    tenha uma ótima quarta.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  8. Oi Jen

    Aprender a agradecer ao invés de apenas reclamar é um exercício que eu tenho me obrigado a fazer todos os dias.
    Quando você só reclama se torna uma pessoa desagradável pra os outros e até mesmo pra você.
    São tantas coisas boas que acontecem comigo todos os dias, que mesmo às vezes sendo pequenas são muito mais valiosas do que o que pode vir a acontecer de ruim.
    Abstrair e agradecer são duas palavras importantes e que precisam ser intensamente exercitadas.

    Beijos
    http://mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Um dos meus grandes defeitos é internalizar tudo. Seja bom ou ruim, eu guardo pra mim, fico remoendo aquilo. Nunca fui muito de me expressar também, e nas poucas vezes que faço, acabo caindo no mal entendido. Mas sempre fui meio cética também, e adoro reclamar. Pra que ninguém precisasse se afastar ou reclamar da minha reclamação (oi?) eu comecei a fazer isso de forma engraçada. Sempre fui sarcástica e me é fácil tornar tudo engraçado. Pelo menos agora quando desabafo de desgosto, as pessoas acham engraçado e riem. É uma vida tragicômica.

    ResponderExcluir
  10. Preciso mais me abstrair e esquecer, gratidão como essencial, perdoar e me perdoar...
    Adorei seu texto Jen <3
    eu estou num momento não tão legal (tcc quando acordo, quando vou dormir, quando leio, quando durmo,vesh) mas eu juro que tento ficar de bom humor pelo menos rsrs
    casos da vida
    uhulll
    tem mais promoção no blog viu <2
    Um beijo!
    Pâm - www.interruptedreamer.com

    ResponderExcluir
  11. Eu também estou aprendendo a dosar minha sinceridade...
    Nem sempre dizer tudo que se pensa é positivo...
    E com toda certeza, somos muito resmungões quando queremos...
    Hahaha...

    Um beijo!!!

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo