30 agosto 2015

5 personagens históricos favoritos


E a blogagem coletiva do mês é para falarmos nossos 5 personagens históricos favoritos. Confesso que logo de cara me empolguei com o tema, mas depois fiquei muito indecisa sobre quais personagens colocar e sobre o quê falar sobre eles. Bem, irei ser bem sucinta quanto à isso já que não sou nenhuma alta conhecedora desses personagens.

Jesus Cristo
Sim, faço parte de um grupo chamado 'Circulo Secreto das Bruxas Blogueiras' mas vim falar sobre Jesus Cristo no post da blogagem do grupo. Sou cristã e já frequentei uma igreja, quando criança, mas não é por isso que coloquei esse nome aqui. Esse personagem não só modificou a crença de mais de meio mundo, acredito que ele também fez muitas coisas benéficas e acredito em sua santidade e em seus mandamentos.

Jane Austen
Me apaixonei por essa escritora desde quando assisti, pela primeira vez, o filme Becoming Jane. Comprei o DVD sem conhecer direito a autora e sem saber exatamente do que se tratava o filme, porém, ao terminar de assisti-lo, minha curiosidade sobre Jane Austen surgiu de uma forma avassaladora e não demorou muito para eu admirar a sua pessoa e suas obras; que, por sinal, podem ser consideradas romances clichês "de menininha", mas são além disso, podem ter certeza.


William Shakespeare
Confesso que não conheço muito sobre sua história pessoal, assim como não conheço muito da história pessoal de várias figuras famosas e importantes que admiro, mas sua obra com certeza me faz tê-lo como favorito. Ele fez sua revolução na Literatura e suas obras me interessam muito.



Audrey Hepburn
Além de ser uma figura importante no cinema, ela também é importante na Moda e em sua vida pessoal. Acredito que é uma das poucas que fizeram realmente a diferença não só em seu trabalho, mas também fora dele.

Coco Chanel
Outra figura em que eu me interessei ainda mais após assistir um filme sobre sua vida. É um ícone da Moda e nossa, como eu queria ter vivido em sua época e ido aos mesmos lugares que ela.

Por fim, foi difícil não colocar vários personagens históricos da Literatura, que é o meio que tenho mais contato e conheço um pouco mais. Mas alguns personagens *bônus* da lista: Camões, Clarice Lispector, Elvis Presley, Michael Jackson, Machado de Assis, José de Alencar, Picasso, Da Vinci, Hemingway, Olga, entre outros.

25 agosto 2015

Resenha - A Menina Submersa: Memórias


Título: A Menina Submersa: Memórias
Original: The Drowning Girl
Autor(a): Caitlín K. Kiernan
Editora: DarkSide
Sinopse: A Menina Submersa: Memórias - 'A Menina Submersa - Memórias' é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do 'real' sobre o 'verdadeiro' e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma 'obra-prima do terror' da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards 2013. A autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e HP Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial - na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa -, e sabem que o medo real nos habita. O romance evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.

Estava curiosa para ler algum livro da editora DarkSide, tão bem falada por aí com suas edições impecáveis e lançamentos interessantíssimos. Eis que surge a oportunidade de trocar A Menina Submersa pelo Skoob e não pude perder. Confesso que foi uma leitura muito arrastada, mas a história tem suas qualidades.

Imp é a narradora-personagem e ao mesmo tempo em que está contando sua história de fantasmas, ela também está escrevendo-a. Confuso? Um pouco. Imp é esquizofrênica e sua mãe e avó também foram. As duas figuras importantes na sua vida cometeram suicídio; uma em sua casa e outra no hospital.

A história gira em torno do que Imp retrata como uma história de fantasma. Ela teve seu próprio fantasma que a assombrou e agora precisa escrever sobre. Mesclando a narrativa entre o passado, o presente e até o futuro, a narradora nos confunde algumas vezes com seu fluxo de pensamento confuso. O que deixa a obra com o toque realístico que, acredito, era a intensão da autora. Carregada de referências sobre pintores, História, música e notícias acerca do que Imp se interessa, a leitura se torna cansativa devido à essas duas características marcantes na obra: o fluxo de pensamento e as referências.

A narrativa traz uma pitada de suspense e deixa um ar completamente excêntrico, como nossa protagonista, o que faz do livro ser uma obra totalmente diferente do que costumo ler. A trama em primeira pessoa nos faz ter a sensação de adentrarmos na mente de Imp e conhecer melhor seus sentimentos, seus pensamentos, suas ideias e seus temores. A escrita se faz altamente detalhista, muito bem escrita e com muito subjetivismo, o que pode agradar muito alguns leitores, porém, no meu caso, não fez da leitura algo instigante.

Ao final da leitura a história prende um pouco mais com um desfecho bem realista e um tanto esclarecedor, o que me agradou bastante. A edição está realmente impecável, a fama que a editora tem não é à toa, o que fez me interessar por outras obras publicadas pela DarkSide. 

24 agosto 2015

Nova parceria: Delirium Editora


Mais uma novidade para o blog nesse mês! *além do layout e do banner novo, gostaram?*
Mantenho contato com o autor Flavio P. Oliveira há algum tempo e após saber que ele criaria sua própria editora, fiquei muito feliz e mais ainda curiosa com os lançamentos que ela teria, obras do próprio escritor. Eis que a editora surge e Flavio contacta alguns blogs para fechar parceria. Imediatamente aceitei e o Flavio logo logo enviou o primeiro livro de cortesia, intitulado Talvez Nunca Mais um País. Já chegou por aqui e já iniciei a leitura para a resenha sair em breve aqui no blog. Por enquanto, vamos conhecer um pouco mais sobre a nova editora e seus livros? Vamos.

Sobre a editora:
A Delirium Editora não se importa se o sapo virará ou não príncipe, pois os sapos — cor-de-rosa, amarelos, alados, alucinados — e (também) os cogumelos dançantes, as borboletas no estômago, os leopardos disfarçados de percevejo, etc. são igualmente fundamentais; afinal de contas, o nosso cérebro não é constituído por lados amigáveis, mas sim por dois hemisférios em eterno conflito — conto-vos um segredo: é verdade (verdade!) e acertam na mosca quando dizem que de poeta e louco todo mundo tem um pouco.
O mestre José Saramago dizia: “Vivo desassossegado, escrevo para desassossegar”, nós buscaremos a literatura do desassossego, da criatividade… Queremos um amontoado de ideias alucinantes (absurdas) vestindo histórias e frases.

Lançamentos:

Talvez Nunca Mais um País
Talvez nunca mais um país, partidos políticos, eleições etc. Dois vírus criaram uma nova idade histórica, o primeiro consumiu as reservas de petróleo, o segundo deixou à beira da extinção a humanidade — gigantescas ratazanas devoram os corpos largados nas ruas. No setor 7, na famosíssima Copacabana, Miguel — ex-ráquer, atualmente colecionador e catalogador de objetos artísticos, um apaixonado por rock ‘n’ roll — envelhece (aceitando a sorte de ser um doador universal) sem ter muito o que fazer, além de caminhar na praia em companhia das porcas da senhora Borrêia e conversar com os pivetes na carcaça. Tudo isso mudará um dia, por culpa da inveja alheia, por culpa de uma nova vontade de ser melhor, algo não permitido pelo autoritário governo. Saiba Mais.
Onde comprar: Blooks Livraria – Rio de Janeiro
Praia de Botafogo, 316 – Rio de Janeiro, Brasil – CEP 22250-040. Ou na livraria virtual Delirium.

 A Noiva de Papelão
A vizinha do 305, no quarto escuro, uma borboleta tatuada, o trauma. Todos têm amigos imaginários. Ele socorre o senhor Goiabada e o doutor Heriberto Gusmão aceita a medida recordatória: a ex-noiva de papelão. O trauma, o verme da goiaba, o avô das incríveis fábulas de sapos cor-de-rosa, misto-quente. Escreva no caderno a pior história de sua vida, recorde o apagado… Ele sente as pessoas desaparecem quando toma os comprimidos, e o marmota não envelhece, a vizinha sorri com malícia; delícia. O ex-padrasto bêbado, a mãe promotora de justiça sendo ameaçada, o fusca e o elefante branco; personagens e/ou personificações de traumas esquizofrênicos.

Livros interessantíssimos com propostas inovadoras, quem resiste?

O livro Talvez Nunca Mais Um País chegou por aqui e veio caprichado na embalagem e na apresentação. A edição está muito bem feita e ao começar a leitura já dá pra perceber as diferenças que esse livro traz em sua narrativa. O Flavio está de parabéns pelo cuidado no envio e na edição de seu livro.

O livro veio autografado e com um 'atestado de parceria' bem à là Delirium.

Aproveitem o frete grátis!

Saiba mais: Site - Facebook - Twitter - Loja virtual Delirium

19 agosto 2015

"Novas" séries para acompanhar


Nunca mais postei sobre séries aqui no blog e quando postei foi sobre as que acompanha há anos atrás no post da tag Sessão Nostalgia. Bem, dessa vez vim atualizá-los sobre as "novas" séries que estou acompanhando no momento. A palavra novas está entre aspas porque são novas para mim, não que tenham sido lançadas há pouco tempo. 

Sense 8

Renovada para a 2ª temporada. Mais informações

Não sei realmente como falar sobre essa série de uma forma que não confunda quem nunca a assistiu. Achei que seria mais uma série com um enredo estranho e misterioso que não me cativaria muito, mas que eu assistira até o fim por simples orgulho. Que nada. O enredo é entrelaçado, bem narrado, bem gravado, traz personagens maravilhoso, traz uma história mirabolante, surpreendente e intensa e com certeza prende o telespectador até o fim. Não tenho reclamações para com essa série, ela me pegou de jeito e fiquei muito feliz com a renovação pra segunda temporada da mesma. Recomendo muito à quem gosta de tramas mirabolantes e personagens cativantes.


Penny Dreadful

 Renovada para a 3ª temporada. Mais informações

Pude concluir, finalmente, a primeira temporada dessa série nas "férias" *forçadas (greve) da universidade e como eu gostei de ter ido até o fim e não desistido dela. A trama ainda contém muitos mistérios no fim da primeira temporada, mas é perfeita em sua trama de suspense. Os personagens são icônicos: Vampiros, Dorian Gray (sim, o do livro), Frankestein (o doutor e o monstro) entre outros. Os atores estão magníficos, principalmente Eva Green. Se você gosta de filmes sobre demônios, seres sobrenaturais, suspense, romance e tramas vividas na Inglaterra antiga, recomendo muito essa série.

Marvel's Daredevil

Renovada para a 2ª temporada. Mais informações

Não sei se vocês já ouviram falar dessa série (claro que sim, todo mundo falou dessa série no lançamento e como foi bom, MEU DEUS), mas mesmo não curtindo muito adaptações de super heróis (porque convenhamos, já está esgotando o limite de adaptações com essa temática, parem, por favor), me coloquei pra assistir essa série depois de tanta insistência de pessoas nas internet e não me decepcionei. A trama não traz aquele humor típico da Marvel e isso me agradou bastante. O tom obscuro, a história do personagem, que dizem ser mais condizentes com os quadrinhos, as cenas de ação e tantos outros elementos prenderam e muito minha atenção. 

American Horror Story: Coven

Renovada para a 5ª temporada. Mais informações

Pra quem conhece e gosta muito de AHS vai querer me xingar quando ler que eu gostei dessa temporada da série. Coven traz um enredo sobre bruxas numa série de terror, só que o terror apenas ficou no visual mesmo durante essa season, pois, os personagens foram atípicos, as histórias também, fazendo com que a série tomasse um ar bem 'trash' e quando digo trash é no nível de True Blood (que é um trash que não me interessou muito). Mas incrivelmente eu gostei dessa temporada e demorei pouco tempo para terminá-la, mesmo ela sendo considerada a pior temporada de AHS. Me julguem. 

14 agosto 2015

Resenha - O Oceano no Fim do Caminho


Título: O Oceano no Fim do Caminho
Original: The Ocean at the End of the Lane
Autor(a): Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Sinopse: O Oceano no Fim do Caminho - Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino. Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

Nunca li nada de Neil Gaiman e só via elogios em relação às suas obras e sua escrita. O Oceano no Fim do Caminho foi minha primeira experiência com a produção literária do autor e gostei muito, mesmo não sabendo definir bem a história e como ela me envolveu.

Um homem de meia idade volta à uma fazenda onde frequentou quando criança. A fazenda se encontra no fim da rua de onde morava e ao adentrar nos fundos da casa depois de falar com a sra. Hempstock, a avó de sua antiga amiga Lettie, a amiga que chamava o lago de sua fazenda de oceano, o seu Oceano, relembra tudo o que aconteceu durante um período de sua infância com as Hempstock em sua história.

É difícil escrever sobre a trama do livro, confesso. O enredo é como uma fábula, com seres imaginários, situações mirabolantes e personagens misteriosos. A história nos traz sensações únicas ao lermos sobre o garotinho introvertido que se afunda nas histórias dos livros que lê e que, ao conhecer Lettie, conhece novos seres e experimenta novas sensações com a menina e sua família. Todo leitor assíduo deve se identificar, pelo menos um pouco, com o protagonista dessa trama em suas cenas de leitura, com palavras apaixonadas divagando sobre as aventuras que gostava de ler.

O personagem principal é quem nos narra a história e a ação se desenrola de acordo com o ponto de vista do garoto, o que nos faz adentrarmos na leitura como se estivéssemos ao seu lado, sendo crianças novamente e vivenciando seus medos "infantis". Como uma fábula, a história parece sem nexo algumas vezes e mirabolante quanto às personagens misteriosas que são as mulheres Hemptock. Mas ao final do livro, parando para refletir sobre o que lemos, podemos perceber algumas lições que a obra nos traz, nos fazendo pensar acerca de nosso passado e de algumas situações da infância.

É difícil escrever sobre a obra de um autor tão aclamado e que, de acordo com alguns comentários, tem um jeito único e diferente de escrever suas histórias. Com referências biográficas ou não, O Oceano no Fim do Caminho é uma leitura singela e diferente, instigante e intrigante a cada página lida.

09 agosto 2015

Novas aquisições #004


Mais um post recheado de livros novos na estante no mês de Julho! Mais um mês em que pude realizar trocas pelo Skoob e comprar alguns livros.


O primeiro livro que chegou no mês de julho foi Ele Está de Volta (resenha), vindo da troca via Plus que realizei no final de junho pelo Skoob.


04 agosto 2015

Resenha - Eu, Você e a Garota que Vai Morrer


Título: Eu, Você e a Garota que Vai Morrer
Original: Me and Earl and the Dying Girl
Autor(a): Jesse Andrews
Editora: Fábrica 231
Sinopse: Eu, Você e A Garota Que Vai Morrer - Livro que deu origem ao filme vencedor do Festival Sundance 2015, nas categorias Público e Crítica, com estreia marcada para 12 de junho nos EUA, Eu, você e a garota que vai morrer é uma mistura perfeita entre drama e humor e um retrato preciso da adolescência em face do amadurecimento. Na trama, Greg tem apenas um amigo, Earl, com quem passa o tempo livre jogando videogame e (re)criando versões bastante pessoais de clássicos do cinema, até a sua mãe decidir que ele deve se aproximar de Raquel, colega de turma que sofre de leucemia. Contrariando todas as expectativas, os três se tornam amigos e vivem experiências ao mesmo tempo tocantes e hilárias, narradas com incrível talento e sensibilidade. Crossover com enorme potencial no segmento young adult, o romance é perfeito para fãs de livros e filmes como A culpa é das estrelas e As vantagens de ser invisível.


Interessei-me por Eu, Você e a Garota que Vai Morrer desde quando vi o livro no canal do Victor Martins, o Geek Freak. Logo após fiquei sabendo da adaptação do livro que já estreou nos EUA e meu interesse só aumentou ainda mais, ao assistir o trailer do filme. Finalmente o ganhei de uma grande amiga e a leitura foi bem rápida, pois devorei o livro em uma noite e parte da manhã seguinte.


Greg é um adolescente que sobrevive em sua escola conversando com todo mundo. Todos os típicos grupos do High School existentes estão presentes no Benson: os ricos, os religiosos, os nerds, os góticos, os gângsters, entre outros. Greg passa despercebido por todos eles ao não aprofundar a amizade com ninguém de grupo nenhum, exceto Earl, com quem faz filmes caseiros e, de acordo com o próprio Greg, horríveis. Sua vida pacata e sem grandes acontecimentos muda quando sua mãe o meio que obriga a falar com Rachel, sua vizinha a quem ele deu um ‘fora’ quando era menor e que agora foi diagnosticada com leucemia em estado grave.

A partir dessa sinopse nós leitores podemos supor mais uma história de adolescentes nerds que vivem um romance antes da morte de um deles e nos ensinam grandes lições de vida. Mas esse livro não é sobre isso. Na verdade, nem Greg sabe sobre o que é exatamente esse livro que nos escreve, só sabe que ele provavelmente tem fungos no cérebro e que nós, leitores, não temos motivos para ler a droga de livro que ele escreveu.

É exatamente nesse clima “desleixado” que o livro é apresentado pelo narrador, narrador esse que se demonstra como um adolescente típico: mal humorado, que só pensa em garotas e em como se safar do bulliyng na escola passando despercebido até terminar todo o colegial. Greg nos traz uma narrativa diferente, no entanto e com certeza nem todos irão gostar tanto assim dela. O enredo não tem grandes reviravoltas, acontecimentos bonitos e idealizados sobre o câncer e a amizade entre uma menina doente e um menino saudável e infantil.

Greg é O engraçado para todo mundo, de uma forma um tanto forçada, algumas vezes e irritante, principalmente com Rachel, que parece mais feliz a cada visita do amigo divertido e estranho. Earl vive numa casa muito bagunçada – em vários sentidos – com seus irmãos e mãe; sua vida é bem difícil e ele vive de mal humor. As conversas com Greg são bem superficiais e a amizade consiste basicamente em os dois assistirem filmes e produzirem os seus próprios filmes, não deixando ninguém assistir porque são extremamente horríveis.

Esta não é uma história comum, mas não cativa por justamente isso. Eu, Você e a Garota que Vai Morrer traz personagens voltados mais para a realidade que vivemos. Uma garota que não teve uma vida cheia de grandes acontecimentos está morrendo e não está nada feliz com isso. O atual – e único – amigo se sente obrigado a visita-la e fazê-la rir. Sem sentimentos profundos, lições sobre aproveitar a vida ao máximo ou dramas juvenis que nos fazem chorar, essa obra é despropositada, acredito eu.
Mas a obra também fala sobre amizades, sobre uma fase da vida em que nos deparamos com muitas coisas difíceis ao mesmo tempo, tendo você uma amiga com câncer ou não. E a ficção próxima da realidade no livro nos identifica mais facilmente com os personagens da trama.

Mesmo com a leitura rápida, não foi o que eu esperava, na verdade, nem sei se realmente gostei da leitura ou não, algumas passagens foram desnecessárias e maçantes. Foi uma leitura diferente e ainda preciso pensar sobre para delimitar minha opinião sobre a mesma. Aguardo assistir a adaptação, talvez essa me agrade mais por conta dos atores, da trilha sonora e das possíveis modificações no enredo.
Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo