04 fevereiro 2015

Resenha - Cartas de Amor aos Mortos


Nome: Cartas de Amor aos Mortos
Original: Love Letters to the Dead
Autor(a): Ava Dellaira
Editora: Seguinte
Sinopse: Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Cartas de Amor aos Mortos foi um livro que me despertou interesse desde a sinopse até as resenhas positivas que li pela blogosfera. Ano passado pude comprá-lo não muito após o seu lançamento, mas somente este ano pude completar a leitura dele. E que leitura!

Laurel está numa nova escola e na aula de inglês recebe o dever se escrever uma carta a alguma pessoa morta. E não é tão difícil assim concluir a lição, porém, as cartas continuam sendo escritas, acompanhando Laurel em novos acontecimentos, lembranças e questionamentos, todos, principalmente, sobre sua irmã, May, morta há algum tempo. Seus pais são separados e após a morte de sua querida irmã mais velha, sua mãe resolve ir para Califórnia, passar um tempo por lá. Seu pai agora vive triste e solitário indo de casa para o trabalho e vice-versa, todo dia. Ainda tem sua tia Amy, religiosa fervorosa, mas muito preocupada com sua sobrinha. 

Laurel passa uma semana com seu pai e outra com sua tia. Na nova escola acaba fazendo novas amizades e sem falar nada sobre sua irmã falecida, a garota conquista confiança e novas experiências com seus novos amigos, mesmo tendo que mentir a maioria das vezes para sua tia e seu pai. Ao conhecer Sky, um garoto misterioso que foi expulso de sua antiga escola, Laurel descobre novas sensações e sentimentos pelo rapaz, mas parece que sua vida anda muito confusa ainda por conta da morte de May e isso a persegue sempre.

O livro todo é em cartas e são destinadas para diferentes personalidades artísticas, as principais são Amy Winehouse, Kurt Cobain e Janis Joplin, pelo menos foram as que mais marcaram pra mim a leitura. Cada figura artística citada tem sua história de vida e tais histórias são mencionadas ao longo da narrativa e claro, todas acabam refletindo na própria história de Laurel, de diferentes formas. 

É uma narrativa densa e muito triste, na maioria das vezes. Não posso dizer que foi uma leitura fácil, mas foi muito bem escrita ao ponto d'eu conseguir me identificar em diversos pontos da história, mesmo tendo uma vida tão diferente de Laurel. Sua irmã era considerada perfeita pela irmã mais nova e sua morte foi muito impactante na vida de Laurel, ainda mais por ela se sentir culpada por tal acontecimento.

O mistério acerca da morte e do porquê Laurel sentir-se culpada é bem delineado do começo ao fim do livro, porém não me surpreendeu muito. O que não deixou de ser triste e chocante ao mesmo tempo, pois é um assunto bem delicado a ser tratado nele. Ava retrata vários assuntos delicados em sua narrativa, morte, depressão, homossexualidade, tristeza, separação, tudo isso em um momento bastante conturbado e difícil por si só, que é a fase da adolescência. E tais temas foram retratados muito bem nesta obra.

Eu poderia discorrer sobre os vários pontos positivos e alguns negativos deste livro, mas não quero me prolongar ao ponto de contar muito sobre a história em si. A narrativa foi algo que me marcou e muito não só durante a leitura, mas após também. Não ouvirei mais Kurt, Amy, Janis ou Jim Morrison da mesma forma que ouvia antes, com certeza. Cartas de Amor os Mortos foi uma obra bastante intensa, triste, delicada e muito significativa para mim e espero que para todos os que a leram também. Recomendo muito.

15 comentários:

  1. Oi, Jeniffer.
    Confesso que esse livro é um dos meus desejados desde quando lançou.
    É um grande mistério e eu fico ansiando para saber mais sobre a obra. Parece fortíssima.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista. São 3 ganhadores e você escolhe o livro que deseja ganhar.

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Eu sempre quis ler esse livro, ele parece ser incrível e tem uma proposta bastante interessante e que muito me atrai. Sem falar que a adaptação está saindo, essa capa é linda e eu me lembro um pouco de As Vantagens de Ser invisível sempre que olho penso no livro.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Jen

    Como você disse no começo da resenha esse livro é bastante elogiado na blogosfera e a sinopse dele me atrai bastante. Entretanto, tenho ele no Kobo há um certo tempo e até agora não bateu aquela vontade de ler. Eu sempre olho e penso que não estou no momento para livros tristes. Acho que preciso estar no momento certo para poder aproveitar a leitura como ela merece.

    Beijos
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu li só um capítulo - ou melhor, só uma carta - e já achei ótimo, preciso ler o restante, gostei da sua resenha, Jen
    Uma leitura densa, eu pude perceber, mas é bom saber que ela aprende a lidar com várias coisas nessa fase que sabemos que é muito difícil mesmo!
    Ja to aproveitando e participando da promoção :)
    eu tambem nao largo do skoob heheheh nao consigo!
    Um beijo!
    Pâm - www.interruptedreamer.com

    ResponderExcluir
  5. Oie Jenny
    Eu li a prova do livro, e senti as mesmas sensações que você. E o final foi um baque sabe? Fiquei triste por ela, e com aquela vontade de querer consolá-la.
    Bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  6. Oii Jen!
    É a segunda resenha que leio desse livro essa semana e posso concluir que, apesar de ser uma leitura difícil, vale super a pena. Parece ser um livro denso e emocionante. Quero ler! :D

    Beijo,
    http://www.pitadadecultura.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi Jen,
    Li resenhas lindas desse livro também e a sua não foi diferente.
    Adorei a premissa e ele ainda está na minha lista.
    Gosto de livros envolvem esse estilo de 'troca de mensagens', mas no caso aqui as cartas.

    Leituras nesse estilo acabo atrasando por causa do emocional hahahahaha

    bjs e tenha uma ótima quinta
    Nana – Obsession Valley

    ResponderExcluir
  8. Oi Jennifer!
    Eu acho a premissa do livro bem interessante, mas, diferente de você, li algumas resenhas negativas sobre ele no ano passado e alguns dos argumentos me deixaram com um pé atrás.
    É muito bom quando um livro nos toca de forma a mudar a maneira como vemos as coisas. Você nunca mais ouvir Kurt Cobain e outros da mesma forma mostra o extensão do impacto do livro. Bacana.
    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oie Jeniffer =)

    Confesso que a Laurel me irritou muitas vezes, porém mesmo assim tenho um carinho especial por esse livro.
    É justamente isso que você comentou, o livro é triste e ao mesmo tempo delicado que por mais que algumas coisas nos incomode ele acaba nos conquistando um espacinho em nossos corações.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  10. Oi, Jen!
    Ai, necessito ler esse livro!
    Muitas pessoas elogiam muito. Sua resenha só me deixou mais ansioso. Acho a premissa do livro bem bacana e acho também que deve ser uma história bem melancólica.
    Possivelmente chorarei. rs
    Parabéns pela resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia o livro. A premissa dele é bem interessante. Sua resenha me despertou interesse. Fiquei bem curioso para saber o conteúdo das cartas enviadas aos cantores que você citou. Queria que minha pilha de livros a ler não estivesse tão grande. :-)


    -Distante do Sol-

    ResponderExcluir
  12. Nossa, como sempre suas resenhas me deixam LOUCA para ler o livro. Você é tão sincera, meio que me senti ao teu lado lendo junto contigo. Adorei a já quero o livro, Jen!

    Um beijo grandããão!!
    Cá do Aquela Princesa

    Sorteio de um domínio .com! Corre e participa!

    ResponderExcluir
  13. Oiiii, Jen =)
    É a primeira resenha que leio deste livro, livro esse que fiquei louca pra ler só pelo titulo: "Cartas de Amor aos Mortos", que me chamou muita atenção. E saber que a personagem escreve cartas para artistas tipo Kurt Cobain e Jim Morrison....Meu Deus, PRECISO desse livro.
    Outra coisa que me chamou atenção é que você menciona várias vezes que é uma história bem triste. Faz tempo que não leio um livro marcante, sabe? Daqueles que você termina e fica com sequelas emocionais. rs Isso só me deixou mais curiosa para lê-lo.

    Bjão

    ResponderExcluir
  14. Eu gosto de livros com um enredo diferente da maioria. Legal sua dica!

    ResponderExcluir
  15. Faz um tempo que estou com "Cartas de amor aos mortos" está na minha estante... Já vi várias resenhas sobre ele e ainda não tomei coragem. Parece ser, por tudo o que dizem, um livro sensível e delicado.. acho que preciso parar de protelar e da ruma chance a ele!

    Cheros, Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo