27 janeiro 2015

Resenha - Persépolis


Nome: Persépolis
Autor(a): Marjane Satrapi
Editora: Companhia das Letras
Sinopse: Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita - apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa.
Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares.
Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama - e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.

Confesso que não iria escrever tal resenha por ser de um livro em quadrinhos, porém, esse livro é tão impactante que me fez desejar escrever sobre ele no blog. Não irá ser uma resenha típica, pois como já expliquei, se trata de um livro em quadrinhos.
Persépolis me encantou desde a primeira vez que vi a capa do livro. Sim. Já tinha ouvido falar sobre ele e sobre o filme diversas vezes e quando vi a compilação dos quadrinhos em um só livro, elaborado pela Companhia das Letras, eu enlouqueci o querendo. Até que, finalmente, uma amiga me presentou com ele. Já tinha assistido ao filme de mesmo nome e me encantei ainda mais. O livro é todo o filme, basicamente, mas é ainda melhor, por termos a oportunidade de ler e parar pra pensar naquilo que está sendo lido, algo que acontece na leitura de Persépolis em vários momentos. A história é Marjane Satrapi, filha de uma família politizada e moderna, morando no Irã, ela viu o que seria a repressão de várias formas possíveis em seu país, com seus familiares, amigos e vizinhos. E principalmente, ela presenciou a guerra.

Ao crescer, Marjane torna-se uma mulher tão politizada e moderna quanto sua mãe. Porém, há consequências ser livre dos pensamentos repressores de seu país. Marjane passa por vários momentos intensos em sua vida. As principais cenas e mais marcantes são as de Marjane sozinha, na Europa, onde foi morar aos 14 anos, longe de seus pais, para tentar se ver livre da guerra. A moça se vê sozinha, em conflito consigo mesma e com suas convicções. São trechos do livro marcantes na questão das descobertas pela jovem e da perdição em que ela se encontra após alguns acontecimentos.
Sendo uma história autobiográfica, o livro torna-se algo muito real, em todos os seus aspectos. A parte histórica, a história da família e amigos de Marjane e claro, a própria protagonista, nos contando seus relatos através de uma narrativa simples, fluída, triste muitas vezes, mas muito esclarecedora no final. 

O desenho é simples, nada muito elaborado, porém é a história que nos choca, nos toca, nos faz rir até algumas vezes e nos encanta. A diagramação está perfeita e não há erros ortográficos na edição. É uma leitura intensa e carregada de realidade que nos faz refletir muito sobre a condição de Marjane, de seu povo e também sobre nós mesmos. Vale muito à pena ter esse livro em mãos e apreciá-lo. 

16 comentários:

  1. Oi!
    Eu sou apaixonada por livros que se passam no Oriente Médio, e Persépolis foi o meu primeiro. Ganhei de natal do meu tio em 2012, e não fazia ideia do que se tratava. Logo abri e vi aqueles quadrinhos... Fiquei louca pra ler!
    Agora, acho que já o reli umas 3 vezes, mas ainda não vi o filme. Persépolis foi uma história muito importante pra mim, me ajudou a formar pensamentos que hoje me orgulho de ter e tento moldar um pouco deles nas pessoas que eu conheço. Ter a consciência de culturas diferentes, da dificuldade da mulher, e do ser humano em si é muito importante pra vida. Persépolis é um livro que te ajuda a ter noção disso.
    Sem falar que é a vida da Marjane, só por isso já fica mais incrivel!
    Beijos, Amanda.
    Expresso de Nárnia

    ResponderExcluir
  2. Achei muito interessante o tema e o fato de ser em quadrinhos, deu pra ver os diálogos nas fotos que vc postou e gostei!
    Realmente não tenho o costume de ler histórias que se passam no Oriente Médio, mas daria uma chance para Persépolis ;)
    Beijos
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oie Jen =)

    Gosto muito de histórias que se passem no Oriente Médio e esse livro em especial já vem me chamando a atenção pelas resenhas positivas que leio dele.

    A narrativa parece ser bem simplista, mas acredito que é justamente por causa disso que esse livro anda conquistando tantos leitores.

    Dica mais que anotada aqui ;)

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  4. Oi, Jeniffer!
    Essa seria o tipo de leitura diferente para mim. Não sou muita "chegada" a HQs, mas acho que super vale essa, tenho muito interesse pelo tema. Não conhecia, mas fiquei curiosa e procurarei.

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Se eu vi o filme e chorei, imagina se eu leio o livro...eu me desabo.
    Essa mulher é um símbolo feminista dos grandes, adoro ela.
    Desculpa Lena Dunham, mas quem samba nessa sapucaí é a Marjane.
    Amei a resenha.
    E o filme.
    Beijos <3 <3

    ResponderExcluir
  6. Oi, Jen!
    Acho esse livro um primor! Adoro-o.
    As ideias da protagonista, os momentos que ela vive, tudo é muito interessante de acompanhar. E eu nem esperava gostar tanto.
    Fico feliz que você tenha curtido também.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  7. Oie
    achei o livro fofo, mas confesso que não compraria.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu amo quadrinhos e esse esta entre os meus desejados há algum tempo. Adorei a resenha e espero ler em breve.

    Bjks

    ResponderExcluir
  9. Nossa, fiquei muito curiosa! Não sou fã de quadrinhos do tipo Turma da Mônica, mas acho que iria adorar esse. Tão político, e apesar de contar uma história um tanto "antiga", é perfeitamente aplicável nos dias atuais. Gostei muito da dica Jeniffer ^^

    Um beijo grandããão!!
    Cá do Aquela Princesa

    ResponderExcluir
  10. oi jenni, adorei amigaaaa, parece gibi <3 muito fofo e engraçado aaa s2
    jenni me visite tambem:
    gilvaniaevans.com

    ResponderExcluir
  11. Um livro bem interessante e envolvente foi o que transpareceu
    Adorei a resenha
    www.iamcamilakellen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oie Jhenny
    conheci Persepolis através da sua indicação, e não vejo a hora de ler. Acho que o formato em HQ, a história ser autobiográfica, é apenas um bônus a mais para atiçar minha vontade. Não sabia que tinha um filme, mas vou procurar para asssitir
    Bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  13. Yes, I follow you on gfc, follow back ?

    http://itsmetijana.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi Jen,
    Adorei a indicação, estou para assistir o filme faz tempo.
    Eu até curti as ilustrações e fiquei com vontade de ter hahaha
    Muito bom :D

    bjs e tenha um ótimo final de semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  15. Parece um livro com um formato um pouco diferente do que costumo ler, mas que me chamou atenção. Outro livro que tem um formato parecido com esse, quero dizer, partes em quadrinhos é Retalho;
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Eu queria muito ler este livro, vi o filme e eu adorei demais! Coloquei entre os meus favoritos.

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo