30 dezembro 2015

Retrospectiva literária 2015


Okay que eu não li muitos livros esse ano (de acordo com o Skoob, um total de 31), mas foram bem mais livros do que imaginei que leria em 2015. Como nunca fiz esse tipo de post aqui no blog e no momento estou sem ideias para novos posts, resolvi escrever essa retrospectiva, que, além de me fazer recordar das boas leituras do ano, irá me proporcionar motivação para novas leituras em 2016 (eu espero).

O ano começou com uma ótima e deliciosa leitura de Não Sou Uma Dessas da Lena Dunham. O livro foi presente de amigo oculto e foi uma leitura nova e bem significante. Resenha.
Logo após parti para um clássico internacional, Revolução dos Bichos, adquirido em uma compra excepcionalmente barata. Não é uma leitura fácil, mas é bem importante para quem gosta do universo distópico e quer beber da fonte dessas novas sagas distópicas lançadas nesses últimos anos. 
Persépolis foi uma leitura linda! Além de ter sido um presente surpresa em 2014, por uma amiga querida, a leitura se fez surpreendentemente boa também. Resenha.

Após essa mesclagem de gêneros, parece que parti para leituras mais tristes. Kill All Enemies traz uma trama juvenil, mas muito reflexiva sobre problemas e questionamentos na adolescência. Não é uma leitura tão fácil assim. Resenha.
Carta de Amor aos Mortos também é uma leitura mais triste, mesmo sendo linda. Me influenciou tanto que comecei a ouvir mais quase todos os artistas e bandas citados no livro. Resenha.
Perdão, Leonardo Peacock foi outra leitura dramática, realizada rapidamente, mas que deixou sua marquinha. Ao tratar sobre suicídio, Matthew consegue nos transmitir o incômodo que seu personagem sente. Virei fã do autor. Resenha.

Azul é a Cor Mais Quente era uma curiosidade minha e finalmente pude realizar a leitura. Assisti o filme também e não achei ótimas produções, tanto o livro quanto o filme. Porém, foram bons aos seus modos.
Viagens da Minha Terra foi uma leitura árdua, mas necessária.
Memórias de Minhas Putas Tristes foi outra leitura surpresa e finalmente pude conhecer, um pouco, da escrita do Gabriel. Muito boa por sinal.


E, finalmente, pude ler A Metamorfose de Kafka. Leitura que incomoda, mas faz pensar muito.
Sentimento do Mundo foi outra leitura necessária, mas prazerosa ao poder ler tanto sobre Drummond.
Eurico, O Presbítero, mesmo tendo sido necessário (obrigatório, no caso), foi uma leitura boa, que gostei bastante, surpreendendo todos os meus colegas de classe.
Brejo das Almas foi uma leitura de curiosidade. Não gostei muito, confesso, mas achei importante ler mais do Drummond.

Morte e Vida Severina foi outra leitura de curiosidade, porém, muito boa.
Ele Está de Volta não foi decepcionante, mas tinha altas expectativas para com o livro que não foram correspondidas. Resenha.
Recomeço foi uma leitura de um tarde até a madrugada. Gosto muito da escrita da Cat Patrick. Resenha.
O Melhor Lugar do Mundo é Aqui foi um livro deliciosinho de uma tarde. Resenha.
O Oceano no Fim do Caminho, minha primeira leitura de Neil. Gostei, mas não tanto quanto pensei que iria. Resenha.
Meu Inverno em Zerolândia tinha parado de ler e voltei para terminá-lo achando que seria bem chato, mas não foi. Foi muito bom, por sinal. Resenha.


Eu, Você e a Garota que Vai Morrer talvez seja a decepção do ano. Depois de tanto especular que seria minha melhor leitura do ano, tive grandes decepções com o livro, infelizmente. Ainda não assisti o filme, talvez seja melhor. Resenha.
Guerra dos FAE; Luz e Trevas: essa série consegue se superar a cada volume e fiquei ansiosíssima pro quarto, que infelizmente, será lançado em janeiro de 2016 (sendo que eu terminei bem antes do final de 2015, o que me deixou mais ansiosa pela espera). Resenha.
A Menina Submersa: Memórias também foi uma decepção, porém não tinha altas expectativas para com esse livro. Foi uma leitura diferente. Resenha.

Talvez Nunca Mais Um País, uma leitura de uma nova parceria no blog e que me cativou pela escrita e história. Resenha.
Eleanor e Park não me decepcionou em nada. Absolutamente. Minhas expectativas foram alcançadas e superadas. 
A Bela e A Fera: Clarice sempre consegue me cativar, mas esperava mais desse livro, confesso. 

Círculo Secreto: O Poder, terceiro e último livro da série (eu acho), não foi uma boa leitura, talvez por meu repertório estar diferente, não sei, mas não achei quase nada bem escrito. 
Madame Bovary, finalmente, após meses terminei a leitura e terminei acabada com aquele final que me deixou triste. É uma leitura excepcional, com certeza.

Feliz 2016 à todos e que o ano mude um pouco mais a vida de cada um de nós, para melhor, claro ;}

27 dezembro 2015

Dos últimos que vi #05



Com tantos afazeres, uma greve no meio do semestre e um ano só no quinto semestre da faculdade, o lazer ficou meio de lado, nem livros, nem séries, nem filmes conseguiam me distrair das responsabilidades da vida. Porém, em alguns finais de semana e nesse recesso de final de ano, pude me maravilhar com alguns filmes e me divertir com outros. Vamos à lista então!

Que Horas Ela Volta?

Estava muito curiosa para assistir esse filme. Já sabia que iria chorar ao assisti-lo, mas não sabia o quanto ele seria significativo pra mim. É uma produção brasileira muito boa e muito simples na trama, porém, traz a realidade de pessoas como a Val, empregada doméstica nordestina que muda-se para São Paulo e deixa sua filha em Pernambuco para lhe dar uma vida melhor. O filme me surpreendeu por não idealizar em nada as relações entre a família da casa que a Val trabalha, entre mãe e filha, entre empregado e chefe. É um filme que marca por retratar uma realidade vivenciada por muitas famílias brasileiras, inclusive, a minha. Recomendo muito.


Ridiculous 6

Admito que esse filme não faz parte dos gêneros que costumo assistir, mas tenho um namorado que amam comédia pastelão e eu sabia que essa produção da Netflix era perfeita para ele. E acertei. O filme traz alguns dos comediantes famosos atualmente, Adam Sandler, Terry Crews e até Taylor Lautner (que por incrível que pareça, atuou muito bem). É um filme bem bobo, com algumas 'nojeiras', mas que entretém se você gosta desse tipo de comédia. Gostei do final que não foi clichê como pensei que seria. Podem falar mal do Adam, mas ainda gosto de alguns filmes com ele.

Before Midnight/ Before Sunrise/ Before Sunset

Já tinha ouvido muito sobre essa trilogia de filmes, mas ainda não tinha assistido a nenhum deles. Ao assistir o primeiro não resisti em terminar os outros filmes e ver como tudo acabaria. É um filme de romance diferente do que costumamos assistir atualmente, com diálogos superficiais e sexo instantâneo. Os personagens são interessantes, mas não pude deixar de pensar o quão classe média alta eles eram, principalmente em sua 'filosofias de vida' e alguns pensamentos sobre o mundo, sobre lutas pessoais, etc (me incomodou um pouco, confesso). O primeiro e segundo são meus preferidos. O terceiro deixa um retrato bem pessimista sobre o casal e traz a figura da esposa bem neurótica e perversa em suas atitudes, me irritou, mas meio que me identifiquei muito com ela. Enfim, recomendo para todos que amam um bom filme de romance romântico.

Manhattan

Recentemente me apaixonei pela ideia de assistir vários filmes do Woody Allen, por pura pressão social em ter assistido apenas Meia Noite em Paris (admito). Comecei fazendo uma lista de filmes dele disponíveis no Netflix, e logo depois assisti Desconstruindo Harry, que gostei muito. Manhattan é um clássico dele e me despertou curiosidade, após assisti-lo confirmei o quanto gosto do Woody e o quanto ele me reflete em alguns pensamentos. Divertido, reflexivo e extremamente apaixonante, os filmes do Allen trazem retratos bastante diferentes sobre relacionamentos amorosos, pensamentos sobre a vida e sobre vários outros assuntos pertinentes (ou não). 

18 dezembro 2015

DIY: Cartões de Natal


Nunca postei nada do tipo aqui no blog, eu acho, porém, com o Natal chegando e minhas pseudo-férias em andamento, consegui voltar à fazer umas coisinhas de colagem, coisa que gosto MUITO de fazer quando tenho tempo, paciência e material necessário. Ao curtir a página no Facebook DIY Coletivo, vi um post do vídeo do Canal da Chai, ensinando a fazer alguns cartões de Natal simples e fáceis de fazer. Eu, como curiosa que sou, em uma bela manhã após ter faltado luz, resolvi remexer nas coisas que tenho aqui em casa pra testar a produção dos cartões. Despropositalmente, não é que deu certo?

Não irei detalhar como eu fiz os cartões em casa, porque o vídeo da Chai já é bem ilustrativo quanto à isso. Apenas adaptei para o que já tinha em casa.

O primeiro feito em casa também foi o primeiro do vídeo. Porém, ao invés de corações de papel de cartão verde colados com fita banana, fiz com EVA que tinha em casa. O papel do cartão foi o vergê, utilizado para impressão de certificados, cartões de visita, etc. O lacinho foi de uma fitinha perdida na minha caixa de utilidades (sim, eu tenho uma).









O segundo foi super simples. Não utilizei as medidas que aparece no vídeo, fiz tudo no 'olhômetro' mesmo e deu certo! Se parece um pouco torta a fivela, não tem problema. Acho que ficou bem parecido também. Utilizei apenas papel cartão e por dentro, colei papel vergê num quadrado menor que o cartão.










O terceiro foi bem simples também, Deixei o A4 em formato A5, peguei uns botões que minha avó tem guardado e colei com cola de isopor mesmo. Fiz as linhas com uma caneta preta mais grossinha, mas pode ser feito com canetinha.

O quarto e último foi uma tentativa mais ainda desproposital. Achei que não iria dar certo, pois como estava sem luz em casa, eu não conseguia assistir o vídeo com as instruções (vi esse vídeo na noite anterior). Mas tentei mesmo assim, e deu certo! Como podem ver, não forrei os quadradinhos simulando presentes com aquela cartolina decorada e sim com algumas estampas de caderno que guardo e com papel cartão vermelho. Não coloquei lacinho também pois não encontrei um pequeno, A frente do cartão fiz o chapéu do Papai Noel em papel cartão vermelho e colei com cola de isopor o algodão. Como é destinado para uma criança, achei legal o fundo nesse tom azul claro. 

***
E bem, foram esses os cartões super simples que fiz, espero que todos que receberão cada um deles, goste. O que vale é a intenção, a consideração, o carinho em fazer algo com suas próprias mãos e escrever palavras sinceras para aquelas pessoas especiais.
Por incrível que pareça, essa época do ano não é minha preferida, sempre me traz sentimentos tristes e não sei bem o motivo, porém esse ano fiz diferente. De uma maneira bem singela, me dediquei à presentear algumas pessoas especiais na minha vida e mesmo tendo uma noite simples, com poucas pessoas ao meu redor, não quero me sentir triste em mais um Natal ou Ano Novo. Celebrando ou não tais datas, o importante é estarmos ao lado de quem amamos, tentando sermos o melhor de nós mesmos, acreditando naquilo que achamos certo, sem prejudicar ninguém e respeitando todos. É isso.
Feliz Natal à todos!

14 dezembro 2015

5 leituras rápidas para o fim de semana


Sempre tem aquela leitura rápida e gostosa que realizamos e que salvam os dias tediosos, principalmente aqueles domingos em casa onde nem a TV a cabo nem a internet salvam, algumas vezes. E com isso tive a ideia de produzir esse post com cinco recomendações de leituras que podem salvar seu(s) dia(s) monótonos, mas que não são nada superficiais, pelo contrário, são leituras rápidas e significativas.

O Melhor Lugar do Mundo é Aqui


Esse romance trata de uma história bem singela e significativa nas reflexões que traz ao leitor. A personagem ao encontrar-se em uma situação difícil, decide tirar a própria vida, mas ao desistir da ideia e encontrar um rapaz em um café misterioso e mágico, sua vida muda, e ao longo da trama acompanhamos as mudanças na história de Iris. (Resenha)

Penelope


Um conto de fadas muito diferente do que estamos acostumados a ler, Penelope tem focinho de porco e procura o verdadeiro amor que irá salvá-la dessa maldição. Porém, é difícil encontrar alguém que a ame verdadeiramente com a aparência tão horrenda que ela carrega. Ao longo da história a jovem irá descobrir quem é seu verdadeiro amor, a qual irá livrá-la da maldição. O livro é bem curto e a história fala sobre auto-estima, família, medos, desejos e descobertas. Recomendo muito tanto o livro quanto o filme. 


O Menino do Pijama Listrado


O livro narra a história da amizade de Bruno e Shmuel, dois garotos que vivem em situações completamente diferentes e constroem uma amizade linda em um ambiente e momento histórico marcado por tragédias e injustiças. Esse livro é tocante em suas linhas, nos trazendo uma trama singela e significativa em suas páginas. (Resenha)

A Princesinha


Contando a história de Sara Crewe, uma garotinha privilegiada financeiramente que se encontra em situações difíceis ao acontecer uma tragédia em sua vida. O livro relata sobre sua nova condição - foi obrigada a trabalhar como empregada - e como a menina age frente à situações tão terríveis. De espírito nobre e com diálogos tocantes, o livro nos faz refletir sobre generosidade, inocência, perseverança e atitudes nobres em situações difíceis. 

O Pagador de Promessas


Dias Gomes e seu teatro tão bem renomado nos relata a história de Zé-do-Burro que, para cumprir promessa feita à Iansan, precisa carregar uma cruz por vários quilômetros até a Igreja de Santa Bárbara, santa que se confunde com Iansan na visão popular. Porém, ele é impedido de entrar na Igreja por ter feito promessa à uma divindade do candomblé e ao longo dos atos vemos o que acontece com Zé, sua esposa e as pessoas ao seu redor, o apoiando ou não em sua promessa. Esse livro mexeu tanto comigo que não poderia deixar de recomendá-lo. É uma leitura muito rápida por se tratar de uma peça de teatro, mas traz tantas reflexões acerca da sociedade, da religião, de costumes e outros assuntos pertinentes em nossas vidas, que a leitura vai além das páginas da peça. Recomendo tanto o livro quanto o filme também. (Resenha)

Sim, eu sei que estou postando numa segunda, mas nada melhor do que adiantar as coisas e se preparar para o fim de semana, certo? O post vale também para um 'fim de ano', um 'fim de férias', etc.
Sobre minha ausência aqui no blog: Não voltei definitivamente. Estou de férias, mas projetos acadêmicos ainda estão pendentes e ano que vem começo a elaborar meu TCC, ou seja, vida corrida, exaustiva e com pouco tempo para me dedicar aqui. Não pretendo excluir o blog, mas irei postar apenas no meu tempo. Agradeço à todos que ainda acompanham meus textos e loucuras por aqui!

01 novembro 2015

Daquilo que (não) preciso


Tem dias que a gente precisa colocar uma roupa nova mesmo estando em casa. Passar maquiagem nem que seja pra tirar uma foto na luz do dia tedioso de nossa rotina, só pra sentirmos que podemos ser diferentes daquilo que nós mesmos achamos que somos. Nem que seja por algo considerado supérfluo como roupas e maquiagem. Porque é tanta gente depressiva nas redes sociais e nos meios em que convivemos, que nos contagiamos com esses pensamentos e mesmo não querendo, nos tornamos pessoas iguais as que julgamos anteriormente.

É tão importante atualizar o status no Facebook, postar nova foto no Instagram, fazer gracinha no snapchat, comentar algo no Twitter, que nosso tempo se resume a estarmos vidrados nas redes sociais, bisbilhotando a vida alheia (às vezes sem querer, já que alguns perfis descrevem exatamente o que estão fazendo a todo o momento), concordando ou discordando de determinadas opiniões, clicando em links sobre postagens com assuntos totalmente desnecessários para conhecer. Nos perdemos em todo esse circulo vicioso de superficialidades, cheio de pessoas na famosa bad, revolucionários de 140 caracteres e fissurados em selfies. E quando estamos completamente ocupados em determinadas ocasiões e voltamos a esse “fantástico” mundo das redes sociais, nos sentimos perdidos por um instante, até atualizarmos tudo e verificarmos todas as timelines existentes para podermos nos sentir confortáveis novamente.

Assistir determinada série se torna tão importante quanto tomar banho. Ler aquele lançamento daquela editora prestigiada é mais do que bem visto pelos seus seguidores. Tirar aquela foto linda com aquele filtro tendência é o que os followers esperam. É tão natural que aos poucos não paramos mais pra pensar no que estamos vendo, postando, tuitando e tudo isso se torna uma rotina de uma vida virtual supérflua e mesquinha.

Parar para ler um livro que me faça refletir sobre tudo e nada ao mesmo tempo, jantar ao lado da família reunida ou sair pra comer fora com todos aqueles que gosto ao meu lado, comprar aquela lembrancinha pra criança que mora em casa e ver o sorriso no rosto quando entregamos o presentinho, deitar ao lado de quem amo e sentir a respiração tranquila e saudável dele, ir ao parque, ver a prima brincando e rindo eufórica, comer aquela comida feita com carinho da sogra, arrumar a estante e apreciar os livros ali expostos, conhecer um novo lugar, voltar àquele que amei, presenciar o pôr do sol, comer algo diferente, vestir algo ousado, deixar tudo de lado e dormir, nunca me pareceu tão bom.

19 outubro 2015

Wishlist: produtos temáticos


O post da vez é sobre acessórios e outros produtos relacionados à literatura, séries e filmes que estou desejando faz algum tempinho. Como prometi à mim mesma não comprar mais livros (exceto os acadêmicos) até ano que vem, preciso me contentar com outros produtos relacionados ao tema e outros assuntos que me interessam. Espero que gostem de embarcar nessa jornada consumista junto comigo. haha 



Colar Jogos Vorazes. Link
 Colar Moeda Pequeno Príncipe. Link
                      Pen drive R2D2. Link

A loja on-line Pai Bárbaro traz diversos acessórios relacionados à literatura, filmes e séries. Já comprei dois produtos de lá e gostei bastante da qualidade deles e da entrega. O melhor é o frete fixo barato da loja, que é bem difícil de encontrar em lojas de produtos como esses, ainda mais pro Norte, onde o frete quase sempre é muito caro. 



 Camiseta Camões. Link   - Camiseta Shakespeare. Link


Camiseta Florbela Espanca. Link  - Caneca Drummond-se. Link

A loja on-line Poeme-se traz diversos produtos relacionados à Literatura mais especificamente à poesia e é um amor de loja por conter tantos produtos lindos, me apaixonei pelas artes nas camisetas e Posters! Nunca comprei lá, mas pretendo.


              

 Camiseta Strange Time. Link - Camiseta Machado de Assis. Link

              

Camiseta O Estranho Mundo de Tim. Link - Camiseta Edward Scisshorhands. Link

A Chico Rei talvez seja a mais conhecida de vocês. Outra loja on-line com produtos de temáticas variadas onde já comprei e quero comprar muito mais vezes! O produto é de ótima qualidade (comprei duas camisetas lá), o frete é grátis a partir de um determinado valor e a entrega é super rápida. Além da compra, você ainda ganha cupom de desconto e a loja é super atenciosa com os clientes também.

***
Gostaram dos produtos? Já compraram em alguma dessas lojas? Quando realizar as compras desejadas venho aqui e post na tag Novas Aquisições <3 nbsp="" p="">



P.S: Esse post não recebeu nenhum tipo de 'incentivo' das lojas referidas para publicação e citação de seus nomes e produtos. 
Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo