31 agosto 2014

Resenha - Ter e Não Ter

Nome: Ter e Não Ter
Original: To Haven an Have Not
Autor(a): Ernest Hemingway
Editora: Bertrand
Sinopse: Nesta obra o ambiente é tipicamente hemingwayano: à exceção da primeira parte, que se passa em Havana, as outras têm como pano de fundo ora a região de Key West, na Flórida, onde residia há oito anos, ora as poucas milhas marítimas que se estendem entre Cuba e o sudeste americano, tantas vezes por ele percorridas em seu barco de pesca, o Pilar, que, por sua vez, tem bastante semelhança com os dois outros, que, como se fossem seres vivos, desempenham papel fundamental na história. Em 1944 a história foi adaptada para o cinema, com Humphrey Bogart e Lauren Bacall nos papéis principais (o filme recebeu aqui o título de Uma Aventura na Martinica) e fez tanto sucesso quanto o livro.


Ernest Hemingway é um grande autor contemporâneo, muito bem falado e premiado pro suas grandes obras, mas ainda não tinha lido nada do autor e como dizem, para conhecer bem um escritor é preciso ler as obras dele e não sobre ele. E ao ver o lançamento da Bertrand de Ter e Não Ter, me interessei e muito na leitura. Não me decepcionei, pelo contrário, me surpreendi pela leitura rápida e fácil que foi e o quanto gostei dela.

Ter e Não Ter parece ser um romance fictício, mas dizem que a partir da segunda parte do livro a narrativa tem muito a ver com Hemingway, que morou em Key West, que velejava em um barco e que também viveu em Cuba; ambientes presentes nesta obra.

Harry Morgan é um homem durão, que precisa sobreviver para sustentar sua mulher e suas duas filhas com seu barco, fazendo negócios lícitos ou não. Os ambientes são diferentes nas três partes do livro, mas o ‘protagonista’ é o mesmo. Harry e seu barco, ao longo da estória, conta sobre suas transações, seus pensamentos, seus diálogos e em outras partes tudo isso é contado por outra pessoa ou por um narrador onisciente. A narrativa flui pela escrita do autor nos colocar na vida de seu personagem tão intimamente com sua escrita tão bem realizada. Harry parece ser o protagonista do romance, mas conhecemos outros personagens ao longo do que vai acontecendo com o ‘pescador’, fazendo assim o livro quase como um livro de contos. Num capítulo Harry está em uma transação com Eddy, um conhecido que vive bêbado e em outro capítulo já temos Albert com Harry em outra negociação.

A narrativa traz pescadores, donos de bares, escritores, prostitutas, esposas, radicalistas, aventureiros e até loucos. Chega ser até difícil escrever sobre esse livro, por ser tão diferente do que costumo ler e tão surpreendente bom. A trama de Hemingway traz diálogos fortes, diferentes, reflexivos e monólogos tão íntimos que é impossível o leitor não se identificar com as palavras que lê.

As ‘aventuras’ de Harry nos deixam apreensivos, pelo menos foi no meu caso, ao torcermos para que dê tudo certo ao personagem. Sabemos que ele tem ‘cojones’ para enfrentar diversas situações em sua sobrevivência, porém essa não é uma história idealista com final feliz, são personagens quase tão reais quanto poderiam ser em uma obra literária e seus finais são tão realistas quanto devem ser.
É uma trama crua, narrando o que poderia realmente ser o cotidiano de um cidadão em Key West ou de uma família vivendo nas proximidades de Cuba com revolucionários roubando o banco da cidade. O ‘cru’ aliado à escrita de Hemingway não causa ojeriza, pelo contrário, traz um choque de reflexões e pensamentos sobre a trama que faz sua estória ficar marcada na mente do leitor, por muito tempo talvez.

Não é uma leitura qualquer, como eu previa, porém não foi/é uma leitura difícil, monótona ou maçante como muitos podem pensar que é. O autor soube muito bem conduzir sua obra ao saber exatamente o que queria dizer ao escrevê-la, acredito eu. Ter e Não Ter é uma leitura ‘madura’ e inesquecível que recomendo a todos, tanto aos que já conhecem o autor quanto àqueles que não.

7 comentários:

  1. Jeniffer, obrigada pela dica! Se eu não tivesse lido a sua resenha, continuaria achando que seria do tipo maçante a chata, mas com certeza fiquei com vontade de lê-lo!

    Beijos,
    Caroline, do criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. AAAH, quero ler por causa do filme e pela resenha, ficou ótima ;)

    Post novo com meu primeiro DIY + Fanpage pra você curtir!
    Blog: Wow, Lovely!

    ResponderExcluir
  3. Adoro enredos com uma escrita mais realista, e esse livro parece ótimo!

    Beijos =*

    ResponderExcluir
  4. Primeiro: Amei seu blog! Super caprichado, organizadinho e legal! ^^
    Nunca tinha ouvido falar nesse autor. Amei sua resenha! Esse não é bem o tipo de livro que gosto, mas arriscaria em ler.

    Ótimo mês de setembro!
    Meu Blog
    Página no Facebook

    ResponderExcluir
  5. Ei Jeniffer,
    Ainda não tinha visto falar deste livro e também não me lembro se já assisti ou não a adaptação. Mas, de toda sua resenha é que você citou a palavra inesquecível, isso realmente me deu uma baita vontade de ler, como uma leitura que marca a vida sempre é. Já quero!

    Lucas - Carpe Liber
    http://livrosecontos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Jennifer!
    Mesmo você elogiando bastante esse livro, não despertou minha curiosidade, infelizmente.
    Eu não sei se curtiria a leitura. Mas ainda assim não descarto a possibilidade de lê-lo, até porque você o elogiou muito e isso me intriga. rs
    Ótima resenha!
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  7. Acho que eu não leria :( mais a resenha ficou muito bem escrita *-*
    Hug apertado *-*
    http://garotaper-feita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo