18 agosto 2014

Resenha - Derby Girl

Nome: Derby Girl
Autor(a): Shauna Cross
Editora: Galera Record
Sinopse: Bliss Cavendar é fã de indie-rock, tem 16 anos, é adorável e excêntrica, mas vive presa em Bodeen, uma cidadezinha do interior do Texas. A mãe, uma viciada em concursos de beleza, está decidida a fazer a filha vencer o concurso da cidade. Mas Bliss finalmente descobriu uma saída: Roller Derby, um esporte radical, só para garotas estilosas e divertidas como ela. E, junto com machucados homéricos e músicos gatos, vai conseguir algumas lições que até mesmo uma descolada praticante de Derby não pode ignorar!

Derby Girl chegou aqui por uma das trocas via Plus no Skoob (Aliás, recomendadíssimo se você procurar o usuário certo, os livros chegam em bom estado e por um preço bem menor que o da loja) e não me arrependi da troca. Já tinha assistido ao filme "Garota Fantástica" (Mais informações) com Ellen Page e direção de Drew Barrymore, duas lindas que amo conhecer mais trabalhos delas. Me fascinei pela escrita de Shauna e por sua personagem Bliss.

Bliss mora numa cidade pequena do Texas, Bodeen, a cidade considerada mais brega e chata do mundo por uma garota indie, apaixonada por música e brechós. Para piorar, sua mãe, Brooke, já foi uma grande Miss num concurso de beleza da cidade e faz da filha mais velha seu projeto para sua sucessão como vencedora da edição do ano. Bliss quando mais nova participou de vários concursos, mas sempre foi um fracasso total. Aos 16 anos, ela só pensa em sair da tal cidade caipira, junto com sua amiga, Pash, a garota mais lindamente vintage vista. As duas trabalham em uma mesma lanchonete e enquanto precisam aturar o trabalho 'árduo' e nenhum garoto ao menos interessante á vista, elas se divertem caçoando de seus vizinhos e colegas da escola, além de inventarem ótimas paródias com músicas conhecidas por elas.

O que me fez encantar com o livro foi Bliss. A garota é realmente única. Irônica, sarcástica, inteligente na medida certa, idolatra música alternativa (principalmente rock) e ama comprar roupas de décadas passadas, fazendo um estilo totalmente diferente do que podemos ver por aí. Junto com sua amiga Pash, as duas tornam-se hilárias e é uma amizade pra lá de divertida. A narrativa é em primeira pessoa, então vemos tudo do ponto de vista de Bliss, o ponto que me agradou e muito.

Brooke em um belo dia resolve levar as filhas para compras e após um desentendimento entre mãe e filha mais velha (não é raro), a garota volta para casa apenas com um folder que pegou na loja alternativa que entrou e assim toma conhecimento de Roller Derby, um esporte radical praticado apenas por garotas. Após algumas mentiras, ela e Pash conseguem ir ao tal jogo e lá Bliss parece se encontrar num mundo que sempre sonhou: Carinhas estilosos, rockeiros, largados e blasé. Garotas com tatuagens e roupas diferentes. Música boa. E Roller Derby, o esporte de patinação mais louco e interessante que ela já viu. Depois de saber que haverá seleção para novas garotas, Bliss não pensa duas vezes em participar e sonhar com uma vida diferente da que vive atualmente: a vida pacata já era.

O filme é muito fiél ao livro, por isso não tive surpresas durante a leitura; ainda lembrava de todas as cenas dele, mas não foi algo que deixou a leitura cansativa. No livro há o diferencial da estória ser contada na voz de Bliss e assim conhecemos a personagem melhor. É um livro juvenil, sim. Mas diferente dos que já li e traz uma personagem com tantas coisas em comum comigo, que não tive como não gostar! As referências musicais e todos os sarcasmos me agradaram e muito. Os personagens tem seus próprios diferenciais e papéis importantes.

A estória é sobre uma jovem ironicamente divertida descobrindo-se através de um esporte proibido para menores, e que é muito boa no que faz. O primeiro amor, a primeira vez, muitas mentiras e brigas, alguns erros e dramas de uma adolescente que só quer se divertir, fazer algo que gosta e se apaixonar perdidamente ouvindo Ramones no banco de motorista de um carro. Tudo isso compõe a estória de Derby Girl.

Por fim, a edição da Galera Record está impecável. Os títulos de cada capítulo são bem diferentes e divertidos, condizentes com a protagonista. Recomendo a todos que amam um estilo alternativo de pensar e se vestir, além de amar garotas duronas, amigas vintage e um namorado de banda não-recomendável.

7 comentários:

  1. Oi Jen,
    Não sabia dessa adaptação!

    Que bacana que foi bem fiel e eu adorei o estilo da protagonista, conforme você descreveu na resenha.

    Ainda não assisti o filme, mas farei os dois: ler e assistir haha

    ResponderExcluir
  2. Awn que resenha fofa! Nunca tinha ouvido falar (nem do livro nem do filme) e achei bem interessante. Me lembrou o livro Slam, no Nicky Hornby. Mais ou menos nesse estilo, só que ele é apaixonado por skate. Eu ria tanto lendo ele que dava até dor na barriga kkkkkk

    Beijos, Carol
    Aquela Princesa

    ResponderExcluir
  3. Adoro blogs que falam sobre livros. Acho que o mundo precisa de mais pessoas com esse mesmo interesse e paixão pelos livros que temos. Eu comecei um blog em que estou postando e-books para downloads,e por seu blog se tratar de algo relacionado a livros,queria saber se aceita parceria? Fica aqui o endereço http://blogmundoimperfeito.blogspot.com.br/ e aguardo resposta.

    Obrigada!!

    ResponderExcluir
  4. Faz bastante tempo que eu li esse livro, acho que uns 4 anos, mas eu lembro que adorei. Sua resenha me deixou com muita vontade de fazer uma releitura, já que a história em si já se apagou na minha mente e eu iria adorar reencontrar os personagens e ver o enredo com um olhar 'mais velho'.

    ResponderExcluir
  5. Jeniffer, minha querida, adoro livros onde a personagem principal é inteligente, principalmente, ainda que seja ingênua e esteja amadurecendo. Adoro também livros que falem do universo jovem, e nesse caso, as referências musicais, tanto modernas quanto as mais antigas, são um convite à parte. Gosto muito de descobrir novas músicas através de leituras assim.
    Os dilemas de Bliss, esse bom humor dela - suponho - são ótimos ingredientes para uma leitura que, apesar de leve, também traz problemas que a turminha enfrenta.
    Beijoooo!
    As Meninas que Leem Livros

    ResponderExcluir
  6. Puts, amo esse filme! Não fazia ideia que tinha livro.. que absurdo! hahah preciso ler ♥

    Strawberry Fields

    ResponderExcluir
  7. Eu adorei o filme! Tinha esquecido que era uma adaptação! Preciso ler. Bom saber que o filme foi fiel.

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo