25 novembro 2013

Resenha - Extraordinário

Nome: Extraordinário
Original: Wonder
Autor(a): R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Compare preços
Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Extraordinário foi mais uma leitura que me surpreendeu e muito. Eu recebi ainda em parceria com a editora Intrínseca como uma das apostas do mês e confesso que ao ler a sinopse e ver alguns comentários sobre o livro, fiquei com um ‘pé atrás’ na leitura por prever que talvez fosse muito triste a estória e talvez não me agradasse. E esse pensamento foi um erro. Extraordinário é singelo, delicado e apaixonante.

Auggie tem uma doença rara que o fez ter a aparência que tem. Uma aparência em seu rosto quase que totalmente desconfigurada, lhe causando uma vida reclusa em casa, com sua irmã mais velha, Via, seus pais e sua cadela Daisy. Até que sua mãe resolve colocá-lo em uma escola. No começo, August não recebe muito bem essa notícia por saber do que pode sofrer numa escola com crianças ‘normais’, tendo a aparência que tem. Mas ao longo do tempo descobre que ter outros amigos não é tão difícil assim e mesmo com as dificuldades em ser uma criança diferente, ainda assim são crianças, vivendo suas aventuras e fantasias da melhor forma possível.

Extraordinário é apaixonante. Por que?

Por Auggie, que mesmo irritando com suas infantilidades (dã, é uma criança) e até um pouco de egoísmo, nos cativa por ser inocente mas inteligente e maduro, considerando a idade que tem. Acredito que sua deformação no rosto tenha trago essa maturidade precoce, mas isso não é algo tão ruim para ele.
Por seus pais tão protetores mas ao mesmo tempo incentivadores em ter o filho participando da sociedade que o rodeia; eles são demais atenciosos por ter um filho com necessidades mais urgentes que uma criança normal teria e mesmo sendo tão zelosos e preocupados, são cativantes por toda a coragem que tiveram na criação de August e de uma outra criança.
Pelos amigos (de verdade) de Auggie, são crianças também com aspectos maduros, mas ainda são crianças e sabem dos problemas que os rodeiam e cultivam uma coragem incrível em comparação com outras que apenas ‘fechariam a cara’ e chorariam.



Digo isso por que partes do livro é um narrador diferente. Temos numa parte a visão de Auggie sobre o que acontece com sua vida. Depois temos a de Via e também de Jack e Summer. Todas crianças ou adolescentes (no caso da irmã de August e do namorado dela) e esse diferencial foi mais do que bom, as diferentes narrações foi o que mais me cativou.

R.J. Palacio escreveu um livro sobre um tema bastante peculiar, por não encontrarmos muitos falando sobre crianças com raras doenças, ou pelo menos, que eu encontre muito. E ela escreveu de uma forma tão delicada, tão simples mas ao mesmo tempo esplêndida! Por não haver apelação, por não haver tantas cenas melodramáticas, enfatizando o ruim e por não trazer personagens fora de suas realidades (crianças são crianças).

Enfim, Extraordinário é mais do que recomendado por mim, não é uma estória triste sobre um garoto com um rosto diferente. É uma estória singela sobre um garoto vivenciando novas experiências e testando sua coragem e determinação. É emocionante pelo personagem tão apaixonante e diferente que é August.

31 comentários:

  1. Acredito que muita gente precisa ler esse livro, para se humanizar mais !!
    Ainda não li mas tenho muita vontade :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Camila, esse livro é muito tocante <3

      Excluir
  2. Sua resenha ficou linda!
    Depois de já ver tantos blogs falando desse livro, tinha resolvido adicioná-lo na minha lista, e seu post me deixou com mais vontade ainda de lê-lo *-*
    Adoro essa capa, acho mais bonita que a azul.

    Bjs!

    escritoriando.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, eu gosto mais dessa branca mesmo, mas o conteúdo é o mesmo, é o que importa ;}

      Excluir
  3. Estou a um tempinho querendo ler esse livro. Mas sempre me travei por achar que fosse algo extremamente triste, mas sua resenha mudou minha opinião e me deixou ainda mais curiosa. De fato parece ser um livro simples e completo. Espero ler em breve. Beijooos flor
    Mais amor, mais livros
    Page no Facebook
    Canal no Youtube

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estava demorando à lê-lo por achar que seria muito triste, mas não, e me arrependi pela demora.rs

      Excluir
  4. Eu só leio resenhas elogiando esse livro! Quero muito muito ler para poder ser surpreendida como todo mundo. E é verdade, não se lê muitos livros sobre crianças com doenças raras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim, leia logo então, é realmente surpreendente ><

      Excluir
  5. Esse livro parece ótimo, e ouço todos disserem que p tipo de leitura que pode se recomendar para todo mundo, pois o mesmo convence e envolve de forma absurda. Tenho muita curiosidade pela leitura, e de fato assim como você espero me surpreender bastante com o assunto e a narrativa do livro. Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é de fato envolvente e apaixonante ><

      Excluir
  6. Eu adorei esse livro, a forma como a autora abordou o tema e, principalmente, adorei conhecer o August. *-*

    ResponderExcluir
  7. Oi Jeniffer senti vontade de ler esse livro quando li uma resenha que dizia que ele era muito mais emocionante que ACDE. Não gosto de histórias muito tristes, ainda bem que pelo que você disse esse não é o caso do livro. Quero ler logo.

    Beijos
    Caline
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, não gosto de comparações, gostei muito dos dois livros, mas pra mim, ACDE me fez chorar mais, mas não quer dizer que um foi mais tocante que o outro.rs De qualquer forma, os dois são ótimos ;}

      Excluir
  8. Eu preciso MUITO desse livro. Também tenho uma rara deficiência, que me faz ter um rosto paralisado e um tanto estranho. Vou me identificar muito com o Auggie. Essa escritora foi maravilhosa em escolher uma tema assim e tratá-lo de maneira singela, mas cativante.
    Acho que é um livro que todo mundo deveria ler pra parar e pensar um pouco na coisa de aparência não ter que ser, obrigatoriamente, uma cartão de visitas.
    Não é o rosto de alguém que vai dizer se ele é uma boa ou má pessoa. Isso se confirmará na convivência, no conhecer.
    Precisamos conhecer mais as pessoas e julgar menos pelo que elas parecem ser. Respeitar as diferenças. Ter noção de que ninguém é igual a ninguém e de que todos precisam respeitar e ser respeitados.

    Lindo livro. Preciso dele.

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro me trouxe grandes reflexões e também me trouxe pra mais perto de pessoas que tem um tipo de deficiência física e a forma como ela convive com isso, ainda mais uma criança!
      Realmente, Erica, concordo com o que disses e Extraordinário faz o leitor pensar melhor sobre aparências e tudo mais ><

      Beijos

      Excluir
  9. Extraordinária é a tua resenha! Maravilhosa!

    Eu vim agradecer o comentário no blogue da Suzi, Emile escreve no texto "Amigo urso" e te convidar para visitar o Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir
  10. Eu quero ler esse livro desde que lançou, parece ser um livro muito bom.
    Você viu a nova capa? Tá linda! Adoro aquele tom de azul

    Beijokas da Mylloka
    Blog da Mylloka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei da capa azul, mas prefiro a branca ;}

      Excluir
  11. Oi Jenni!
    Já li várias resenhas desse livro, e apesar de ser um tema bem interessante, não sinto muita vontade de lê-lo. Mas acredito que ele carrega uma grande carga de emoções, principalmente por se tratar de uma criança com doença (e olha que não é câncer!).

    PS: adorei o novo visual.
    Beijos,
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não é clichê, Cássia, é tocante, mas de uma forma diferente, assim como A culpa é das estrelas ><

      Excluir
  12. Sábado passado estava na livraria e quase comprei esse livro, me arrependo um pouco agora, pois parece ser muito bom.

    Thoughts-little-princess.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Ando curiosíssima quanto a esse livro. Gosto de histórias assim. E, entendo o seu receio em lê-lo. É o mesmo receio que muita gente tem com relação ao Culpa das estrelas, de John Green.
    Mas histórias assim, cativantes e de superação me encantam demais.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora eu me sinto cativada por histórias assim também ><

      Excluir
  14. Olá Jeniffer, tudo bom?

    Estou bem curioso pela leitura de Extraordinário. Já li resenhas bem positivas sobre o livro, e acho que irei gostar. A maneira que você falou do livro me lembrou um pouco quando eu li A Culpa é das Estrelas.. Um tema tão angustiante, mas com uma narrativa tão singela e tão delicada.

    Abraço,
    Lucas
    ondeviveafantasia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim, A culpa é das estrelas é na mesma pegada que Extraordinário, tocante, meio triste, mas muito boa e realmente maravilhosa ><

      Beijos

      Excluir
  15. Oi Jeniffer!
    Quase comprei este livro na Black Friday, mas desisti de última hora. :x
    Parece ser um livro singelo mesmo. Inclusive, o que me fazia não lê-lo é que muitos leitores relataram ser um livro muito triste, e eu pensei: "Então deve ser daqueles dramas bem apelativos." Mas estava enganado, pelo o que li da sua resenha.
    Ainda assim, pretendo comprá-lo. Espero não me decepcionar.
    Gostei de saber sua opinião; está clara e objetiva. (:
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é tão triste assim, também relutei na leitura por pensar isso. Mas enfim, compre e leia logo, é um livro sensacional ><

      Excluir
  16. Estou lendo e amando demais a história e o modo como a R. organizou o livro, com o ponto de vista de cada um. (só me da agonia o Justin...) rs

    ResponderExcluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo