15 setembro 2013

Resenha - Paperboy

Título: Paperboy 
Original: The Paperboy
Autor(a): Pete Dexter
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Compare preços
Sinopse: Hillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar. Bless tentará provar a inocência de Wetter conquistando o apoio de dois repórteres investigativos de um jornal de Miami: o ambicioso Yardley Acheman e o ingênuo e obsessivo Ward James.
As provas contra Wetter são inconsistentes e os escritores estão confiantes de que, se conseguirem expor Wetter como vítima de uma justiça caipira e racista, sua história será aclamada no mundo jornalístico. No entanto, histórias mal contadas e fatos falsificados levarão Jack James, o irmão mais novo de Ward, a fazer uma investigação por conta própria. Uma investigação que dará conta de um mundo que se sustenta sobre mentiras e segredos torpes.

Paperboy me surpreendeu. De uma forma boa ou não, eu ainda não sei conceituar, confesso. Não foi uma leitura ruim, mas também não foi uma leitura maravilhosa. Quando o terminei, fiquei sem saber como defini-lo como experiência literária. Acredito que esse seja um dos livros em que ficará a incógnita.

Hillary Van Wetter é condenado à cadeira elétrica pela morte de um xerife conhecido e admirado na região onde vive, Charlotte Bless, a 'caça-prisioneiros' que por uma estranha fixação com condenados à morte o conhece através de uma notícia num jornal, se interessa por Hillary indo atrás de dois jornalistas conceituados para investigar sobre o caso e inocentá-lo. Os jornalistas são Yadley Acheman, o jornalista literário e Ward James, irmão de Jack James, o narrador da estória.

É, o narrador da estória na verdade não é um dos jornalistas ou Hillary, que poderia ser nosso protagonista, é o coadjuvante, Jack. E isso não é ruim.  A trama começa com estórias passadas sobre Hillary, sua família e o xerife assassinado. O espaço em que acontece é uma pequena cidade do interior com pessoas em seus costumes e ambientes 'estranhos'.

Vemos a relação família entre Ward e Jack, dois irmãos diferentes, criados em um ambiente jornalístico, onde Jack renuncia essa 'ordem' de crescer e ser um jornalista de sucesso, diferente de seu irmão que vai para a cidade e torna-se o orgulho de seu pai, outro personagem interessante. Yadley é o que mais irrita da figura prepotente e arrogante que ele é, com sua escrita maravilhosa mais superficial ao jornalismo, ele pode ser tido como um personagem que faz a trama engraçada, algumas vezes, e também irritante. Hillary e Charlotte são personagens não muito bem definidos, Hillary é enigmático em certos pontos, é intrigante.

Na leitura de Paperboy percebemos que não se trata somente de um thriller em si, mas um livro com gêneros diferentes. Há a investigação que aguça nossa curiosidade, a narrativa de Jack que tem sua visão panorâmica de quase tudo também é um ponto forte e as cenas reais e cruas idem. Porém, li muitas cenas que achei desnecessária e ainda não sei para quê contribuíram à estória.

Nem Hillary, nem Ward, nem Jack são protagonistas em Paperboy, não sei se posso definir um protagonista nessa estória. E não achei isso ruim. Paperboy é um romance gótico, com suas estórias cruas e impactantes, onde a narrativa te leva à querer mais e mais. Não sei ainda se o desfecho do livro me agradou, como disse antes, estou sem saber como definir a leitura dele, mas podem ter certeza que a obra mexeu comigo. De uma forma boa ou não, ainda não sei.

Recomendo à todos os curiosos sobre o livro, que se tornou o filme com Zac Efron e Nicole Kidman (Preciso assisti-lo), e à todos que se agradam de um romance gótico, estranho, recheado de suspense e incógnitas.

12 comentários:

  1. Tenho bastante curiosidade em ler ele :)
    Voce me deixou com mais vontade rsrs
    Sabe, acho que poderiam ter colocado outra atriz, mais nova, pra fazer par com Zac =x

    Bjinhoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sim, ainda não vi o filme, mas achei a atriz condizente com a personagem. Mas enfim né, as adaptações raramente nos agradam :/

      Excluir
  2. Quero muito ler esse livro vou tentar comprar o quanto antes, parabéns pela resenha !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  3. Fico imaginando como seria um romance gótico, e ainda mais misturado com thriller. Paperboy está na lista de desejados já faz algum tempo, mas não aquele livro que morro de vontade de ler.

    É verdade, tem livros que muitas vezes tem cenas desnecessárias, que só tornam o livro cansativo.

    Beijos,
    Lucas
    ondeviveafantasia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah, romance gótico ele consegue ser muito bem, já thriller, nem tanto. Mas é uma boa leitura, de qualquer forma :}

      Excluir
  4. Não conheço o livro e nem o filme, mas a história pareceu ser interessante. Vou anotar para comprar este livro.

    Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Conheci esse livro na Bienal e estou bem curiosa. Ótima resenha.
    Beijoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada <3 Paperboy é estranhamente interessante. rs

      Excluir
  6. Paperboy está na minha lista de desejados faz tempo! Adorei a resenha
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que consiga tê-los em mãos logo ><

      Excluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo