08 setembro 2013

Resenha - O Poder da Espada

Nome: O Poder da Espada;
Nome original: The Blade Itself;
Autor(a): Joe Abercrombie;
Editora: Arqueiro;
Revisão: Milena Vargas e Natalia Klussmann;
Onde comprar: Compare preços;
Sinopse: Sand Dan Glokta é um carrasco implacável a serviço da Inqiuisição de Sua Majestade. Nas mãos dele, os supostos traidores da Coroa admitem crimes, apontam comparsas e assinam confissões - sejam eles culpados ou não. Por ironia, Glokta é um ex-prisioneiro de guerra que passou dois anos sob tortura.
Mas isso nunca teria acontecido se dependesse de Logen Nove Dedos. Ele jamais deixaria um inimigo viver tanto tempo. Só que isso foi antes. Agora ele está decidido a mudar. Não quer ser lembrado apenas por seus feitos cruéis e pelos muitos inimigos que se alegrarão com sua morte.
Já a felicidade do jovem e mulherengo Jezal dan Luthar seria alcançar fama e glória vencendo o Campeonato de Esgrima, para depois ser recompensado com um alto cargo no governo que lhe permitisse jamais ter um dia de trabalho pesado na vida. Mas há uma guerra iminente e ele pode ser convocado a qualquer momento. Luthar sabe que, nos campos do Norte gelado, o embate segue regras muito menos civilizadas que as do esporte.
Enquanto a União mobiliza seus exércitos para combater os inimigos externos, internamente se formam conspirações sanguinárias e um homem se apresenta como o lendário Bayaz, o Primeiro dos Magos, retornando do exílio depois de séculos. Quem quer que ele seja, sua presença tornará as vidas de Glokta, Jezal e Logen muito mais difíceis. Agora a linha que separa o herói do vilão pode ficar tênue demais.
Sucesso entre os leitores de George R. R. Martin, a trilogia A Primeira Lei teve os direitos vedidos para 24 países. Os próximos títulos da série são Antes da Forca e O Duelo dos Reis.


É uma coisa meio estranha de admitir, cinco anos depois, mas, sim, é preciso: Christopher Paolini agora divide o pódio de meu autor favorito de fantasia épica.

Pois quem senta ao seu lado, no trono de ouro, é Joe Abercrombie.

Eu, honestamente, não imaginava o quão estupendo poderia ser O Poder da Espada, nova aposta de fantasia da editora Arqueiro. Recebi esse livro em mãos quando estava lendo um com uma vibe totalmente diferente da que este repassa; quando finalmente o segurei para ler, até dei um suspiro. Eu já havia tido experiências não muito agradáveis antes com fantasia épica, desilusões que eu realmente não esperava ter por serem com obras consagradas e praticamente tombadas como patrimônio criativo épico-fantástico mundial. Arriscar-me de novo nesse chão, onde eu só havia tido sucesso com uma saga – O Ciclo da Herança, de Paolini –, não me parecia muito sensato. Mas eu precisava lê-lo. Não só pela esperança de desmistificar minhas sensações ruins quanto a livros deste cunho, mas também porque era um lançamento de uma de minhas editoras favoritas, e ela esperava retorno.

Então abri o livro, me concentrei na primeira página.

E, de verdade: quase não larguei mais até acabar.

O Poder da Espada, narrado no estilo POVs (Points of Views), conta as histórias de vários protagonistas em torno de uma grande trama. Enquanto o torturador Sand dan Glokta vive uma vida amarga tendo o poder de confissões de grandes homens de uma Coroa poluída e a confiança de poderosos homens interessados em seus ganhos, o sangrento Logen Nove Dedos, que acabou de perder tudo – sua família, seu bando e sua força de vontade de continuar vivendo sob uma fama de terror, assassinato e sangue –, é clamado pelo misterioso e lendário Bayaz, o Primeiro dos Magos, para juntar-se ao mesmo em uma jornada mais repleta de magia, descobertas e perigos do que um homem Nomeado e de novo coração pode imaginar viver. Jornada que pode acabar interferindo até mesmo na vida do bon vivant Jezal dan Luthar, o qual, à beira de um campeonato que pode mudar sua vida com respeito, glória e reconhecimento, redescobre lados de si mesmo que nunca ousou imaginar possuir e se prepara para uma guerra que há tempos muitos homens não haviam ouvido falar e lutado. Uma guerra iminente de uma nação poderosa, cheia de conflitos políticos, pessoais, personagens históricos ressurgentes e magia contra inimigos longínquos, governados pelo sanguinário, impiedoso e misterioso poder de um poderoso inimigo. Uma guerra que mudará o rumo de tudo e todos em suas histórias.

Falando sobre o livro, algo muito importante em livros que propõem prólogos é que estes consigam tanto animar o leitor quanto instiga-lo a continuar com a leitura do livro. O prólogo de O Poder da Espada é ótimo: finalmente cumpriu esta função – já que alguns que peguei recentemente eram simplesmente coisas quase totalmente nada a ver com o enredo do livro. Fiquei realmente instigadíssimo.

É um livro de um mistério e suspense maravilhosamente montados, que sabe segurar e ansiar o leitor para que este continue a devorar as deliciosas páginas escritas por Abercrombie. Escrita, aliás, que é de uma riqueza comedida e agradável em descrições, além de dotada de um ritmo gradativo que só cresce, desenvolve e enriquece o enredo. Neste livro, nunca a leitura se torna atravancada ou é desmotivadora. É engraçado em alguns pontos, repleto de cinismo e sarcasmo, além de trabalhar com interesses políticos e disputas que envolvem pessoas inescrupulosas, cruéis e maquiavélicas – um prato cheio para quem é fã e para aqueles que querem começar a ler literatura fantástica épica.

É um livro que surpreende com mínimos detalhes e o caráter brusco que sua sociedade sedenta pelo poder, medieval e deliciosamente fantástica traz. As cenas de luta são impecavelmente bem descritas e emocionantes: mais do que eu esperava, até (quem tem estômago mole deve ter um pouco de cuidado: o escritor é sincero com o que imaginou nas cenas mais violentas). Não me senti com vontade de pular algum narrador específico, também, coisa que é muito comum quando lemos coisas em estilo POVs. O comportamento completo dos personagens, que são fieis às suas personalidades, é interessante e incrivelmente cativante. Esta linearidade empática de todos os personagens é estonteante. Você simplesmente ama todos os personagens de O Poder da Espada. Se assusta com um ou com outro aqui e acolá, discorda do ideal de alguns (o que é completamente normal), mas não pode negar que gosta de lê-los e acompanha-los. Coisa que pra mim, além de difícil de ser feita, é fantástica quando acontece.

O Poder da Espada: um livro inteligente, composto por personagens maravilhosos e escrito por um homem de talento surpreendente e possuidor de uma destreza literária inegavelmente brilhante. Eu realmente não havia ficado tão animado, instigado e apaixonado por uma literatura fantástica épica desde Christopher Paolini e sua fantástica criação, O Ciclo da Herança. (Eragon) Eu quero e preciso ler a trilogia A Primeira Lei, de Joe Abercrombie. É uma necessidade literária real e incontestável.

Por favor, leia O Poder da Espada. Seja você conhecedor de literatura fantástica épica ou não. Acredite: vale a pena se inebriar nestas 480 páginas.


P.S.: Quase esqueci de comentar, puxa. Só há duas coisas que eu criticaria neste livro:

1) A editora realmente poderia ter caprichado um pouquinho mais na diagramação, né? Ter colocado fontes mais elaboradas nos títulos dos capítulos, ter feito algo mais impactante e bonito de se ver (tanto na organização quanto no design das páginas);

2) Por ser um livro de literatura fantástica épica, senti MUITO a falta de elementos que normalmente existem neste tipo de livro. Um mapa para mostrar a geografia do mundo onde se situa a história (principalmente); um apêndice com explicações que poderiam enriquecer não só o enredo, mas também o fluxo criativo do leitor e o entendimento do mesmo perante vários aspectos; uma página de ensino de pronúncia de nomes também seria divertido, e outras coisas que poderiam ser somadas ao livro e deixa-lo, em questão de conteúdo, mais completo do que já é.

Mas nada que prejudique o livro, é claro. Nada mesmo. Pode ler à vontade, entregue e sem medo. Acredite.

21 comentários:

  1. Gente, preciso desse livro. Quando o vi como lançamento da Arqueiro, já coloquei na meta de leitura, e pelo que você falou, deve ser INCRÍVEL! Depois que receber e resenhar o que estou esperando da editora, vou pedi-lo, com certeza. Mas eu realmente acho que a capa poderia ter sido melhor escolhida. Ah, e ótima resenha.

    @mmundodetinta
    maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, ele é BEM mais que incrível! *-* Acredite! Peça-o, peça-o loucamente, porque ele realmente vale a pena ser lido. Já quanto a capa, eu sinceramente amei. A capa fez o estilo do livro, o leu bem, na minha opinião. O que só ficou mixuruca foi a organização interna - design, diagramação. Eles realmente deveriam ter feito mais (e acho que até apostado mais na divulgação).
      Beijos! Obrigado pelos elogios. *-*

      Excluir
  2. Oi, tudo bem?
    Eu vi esse livro certa vez e fiquei muito curiosa, pois gosto de livros com essa temática. Depois de ler sua resenha simplesmente preciso ler. Vou atrás assim que possível.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra quem gosta dessa temática, realmente é um livro maravilhoso - e, como eu disse, até pra quem não gosta. É um ótimo livro pra estrear na literatura fantástica épica. *-*
      Beijos, Amanda! Divirta-se com o livro!

      Excluir
  3. Eu já havia visto este livro nas prateleiras de algumas livrarias recentemente, e é um tipo de gênero (Literatura épica) que eu não tenho muito contato. Confesso que quando li o nome do primeiro personagem (O Três Arvores, se eu não me engano) eu gostei muito, acho que foi a primeira coisa que eu gostei na sinopse e tal. O Nome dos personagens. É um livro que quero ler um dia, acho que pelo que foi dito nesta sensacional resenha, e pela história e tudo mais, creio que será uma leitura muito prazerosa.
    Parabéns Breno!
    ;)

    Jônatas Amaral
    http://alma-critica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Nessa sensacional resenha" Jônatas, seu bobo. iuahsiuahsuih *-*
      Sempre bom te ver por aqui, meu bem. E sim, o que mais a gente discutia enquanto conversava sobre o livro era o impacto do nome dos personagens xD - mas realmente é assim mesmo. Os personagens levam alcunhas, principalmente aqueles com grandes feitos (sendo pro bem, sendo pro mal). E, sim, eu tenho certeza que vais amar esse livro, como já disse. ^^
      Beijos, meu bem. *-*

      Excluir
  4. Olá, a verdade é que essa capa não é nada atraente. Toda vez que olho pra ela me bate um desânimo e jamais olharia mais de uma vez em uma livraria pra ele. Mas agora que eu li sua resenha já o estou vendo com outros olhos. Fiquei curiosa e bastante interessada. Vou ler assim que possível.

    Abraços
    Caline - Mundo de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, eu já acho a capa ótima. Traduz bastante a imagem que o livro passa. ^^ Mas quem sabe eles não façam algo mais elaborado pro segundo, né? Principalmente em relação à diagramação e ao design interno.
      Beijos, Caline. ^^ Obrigado pela visita!

      Excluir
  5. Sempre que leio suas resenhas me encanto pelos livros, ou seja, você faz com que eu acabe com o meu dinheiro.. haha
    E por sinal eu estava com saudades daqui. :/

    Obs, reabri o blog http://denovomaisumavez.blogspot.com.br/ caso queira saber. rs ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own... UIAHSIUHASIUH Que linda *-* Obrigado pelo carinho! Não suma mais. ^^

      Excluir
  6. nossa realmente esse livro vai ficar na minha lista de 'livros para ler antes de morrer' por que sabes né, são muitos para tão pouco tempo. Me senti atraída mesmo que ele não tão bonito de se ver como você comentou no final, mas a história em si já ajuda bastante.


    Eu queria seguir o blog, mas nao sei o que esta acontecendo, tanto no explore quanto no mozila quanto no chrome que onde fica o gadget de seguidores não aparece so fica uma propaganda nao estou conseguindo seguir blog nenhum por conta disso '-'


    -->inocentementeingenua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história em si é o que realmente importa, pra mim. E O Poder da Espada realmente não deixou nada a desejar. ^^

      Nós vamos dar uma olhada se é algum problema por aqui. Beijos, Jhessica!

      Excluir
  7. olá Breno e Jhenny
    Livros épicos sempre me atraem, e este em particular não me atraiu por conta da capa. Achei que a editora podia ter colocado uma capa mais impactante, mas se o conteúdo é bom, isso vira apenas detalhe. E pela sua resenha, tenho certeza que vou gostar.
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Olá Breno
    como fã de livros épicos, essa resenha me deixou babando neste livro. Confesso que julguei o livro pela capa, e se estivesse em uma livraria certamente não o levaria. Ainda bem que existem resenhas para mudar nossa opinião em poucos segundos rs
    Certeza que vai pra listinha.
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que consegui colocar esse livro maravilhoso na sua listinha, Jacque! Pode confiar que você não vai se arrepender.
      Só ainda não consigo entender o porquê de tanta gente ter detestado a capa. Gente, só eu achei ela loucamente maravilhosa?! =O
      Beijos, Jacque!

      Excluir
  9. Nossa eu estava super a fim de ler uma resenha desse livro porque tenho a intenção de comprar e fiquei surpresa com a quantidade de elogios!

    Eu gosto de literatura fantástica mas é algo que não leio tanto por isso estava tentando tomar hábito sabe? Por exemplo: comprei "O nome do vento" e "O temor do sábio".

    Mas enfim, acho esse tipo de livro extremamente rico. Deve ser um desafio para o autor escrever algo tão completo.

    Adorei a resenha!

    (desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Maressa! Obrigado pelo comentário! E, sim, esse é um ótimo livro para começar a entrar nesse meio. Principalmente por ele ter, além do caráter fantástico, o épico. ^^
      Obrigado! Beijos!

      Excluir
  10. Sério, você me deu uma vontade absurda de ler esse livro, muito embora eu não goste do gênero. Acho que leria sim se tivesse oportunidade. Depois de uma resenha dessas, é o mínimo, afinal.

    http://florescerepalavrear.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que fofo, Samyle! Obrigado pelo elogio! Você não se arrependeria com O Poder da Espada. Dou minha cara a tapa. ^^
      Beijão!

      Excluir
  11. Oi Breno, tudo bem?
    Não conhecia O Poder da Espada, mas os livros de fantasia estão me conquistando mais rápido do que eu esperava (e essa sensação é maravilhosa!).
    Fiquei muito interessada pelo livro, acho que 480 páginas são poucas para tanta coisa boa que você escreveu a respeito dessa magnifica história.
    Suas resenhas sempre me encantam e eu fico morrendo de vontade de comprar todos os livros que você indica!

    Beijos
    ps: já te segui no twitter =)

    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cássica! Tudo ótimo!
      Pra você ver: o livro é tão incrível que as 480 páginas transbordam de qualidade. ^^ E não se pare quanto à fantasia. Perca-se nesse universo lindo. Ele vale a pena todo o amor que ganhou através dos tempos.
      Own, muito obrigado, Cássia! Muito obrigado pelo elogio! É muito importante. ^^
      Beijos!

      Excluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo