18 agosto 2013

Resenha - As Meninas.


Autor: Lygia Fagundes Telles.
Obra: As Meninas.
Editora: Companhia das Letras.
Resenha: São Paulo, 1973. Num pensionato de freiras progressistas, três jovens universitárias começam a vida adulta num país sufocado pela repressão política e num mundo conturbado pelas transformações sociais e morais.
A sensível Lorena, descendente de bandeirantes, namora um homem casado, mas permanece virgem. A aguerrida Lia, filha de baiana com alemão, milita na luta contra a ditadura. A tresloucada Ana Clara oscila entre o desejo de ascensão social, via casamento burguês, e o paraíso artificial das drogas.

                                 
Sinceramente não sei por onde começar... Esse livro foi muito importante pra mim, acho que pelas sensações que ele me trouxe a cada capítulo, a cada uma das meninas se revelando, e se por algum momento, durante a leitura, eu fiquei muito triste por outros fiquei tão alegre e sonhador, as meninas de Lygia Fagundes Telles foi sem dúvida um livro de imensas sensações.

As meninas vivem no pensionato Nossa senhora de Fátima no período da ditadura. Cada uma delas trás consigo uma identidade própria suas histórias de vida e personalidade toda bem construída e de densas camadas. A historia se passa em apenas dois dias do cotidiano dessas meninas inesquecíveis, seus sonhos, seus delírios, seus amores e paixões, suas relações com a família, com as freirinhas e com a sociedade que as cerca.



 Em sua concha (seu quarto todo limpinho bonitinho e feminino com suas coleções de sininhos e chás importados) Lorena sonha e espera o telefonema de M.N. um homem mais velho e casado da qual é “amante”, mesmo continuando virgem. Lorena tem seus pensamentos “lorenenses” fala Latim e faz Direito, é de família Rica descendente de Bandeirantes, e enquanto sua mãezinha lamenta estar envelhecendo e ter casado com um cafajeste, Lorena se perde em suas filosofias (ser é diferente de estar) e em seus devaneios enquanto ouve Hendrix na sua vitrola, é através dela que conhecemos detalhes importantes pra história e características das outras meninas. Lorena sonha em seu corpo franzino, faz caretas, passos de balé, espera astronauta (seu gato) que sumiu e que M.N. ligue. “Lena” é intelectual e está sempre disposta a ajudar os outros e dar conselhos, com ela aprendi a falar dinheiro de traz pra frente para dar sorte (orienhid).

 Lia, a Lião é Baiana e descendente de Alemão, é militante e “subversiva” e é através dela que Lygia Fagundes Telles relatou pela primeira vez os horrores da ditadura através de uma carta que recebeu (verídica). Lia namora Miguel que está preso, faz Ciências Sociais, mas está com a matrícula trancada, lê muito é  super inteligente e desgrenhada, procura sempre uma unha para roer quando está nervosa e aflita Lorena vive lhe arrumando e lhe cuidando. Anda sempre com uma touca que esconde seus cabelos armados. Trai seu namorado mas continua o amando. Lião é crítica e “mente aberta” através dela muitos temas polêmicos vêm átona como o a homossexualidade e a própria situação do País naquela época, imagine tocar nesses assuntos em plena ditadura... Lião é um máximo! Além, claro, de escrever romances e diários.

Ana Clara a aninha ou a Coelha ou Ana Turva é modelo, a mais linda das meninas, ruiva e com sua baita altura vive em meio ao mundo das drogas, passa grande parte do tempo fazendo amor e delirando ao lado de seu namorado traficante Max. Aninha tem um passado triste, por vezes em meio a seus delírios conhecemos o que passou na infância, o quanto sofreu e o quanto quer ser rica e importante. Fazia Psicologia, no entanto, está com a matrícula trancada a um bom tempo, sempre conta suas mentirinhas para os outros, tem em Madre Alix uma Santa que lhe ouve e tolera suas faltas (como dever a mensalidade do pensionato) é onde tem paz de seu “roque roque” da cabeça. A Ana Clara é  a personagem que mais me entristeceu dentre todos os personagens que já conheci, tive tanta pena de aninha... Tem um noivo que chama de “escamoso” e precisa se “costurar” para casar virgem e finalmente ascender socialmente. Aninha é cheia de preconceitos e muitos medos. Soube através de uma colega do curso que Lygia disse em uma entrevista que enquanto escrevia As Meninas Aninha sentou em seu colo. Imaginem sua densidade...

Não escrevi muito sobre a história porque eu estaria contando absolutamente tudo e não atiçando a sua vontade de ler, posso dizer que tem um fim que deixa com vontade de quero mais. Não sei ao certo se com essa resenha convenço alguém a ler esse romance, só o que posso dizer é que li poucas vezes algo tão bem escrito e tão profundo, tão delicado. Não é a toa que Lygia Fagundes Telles esta sentada em uma das cadeiras da Academia Brasileira de Letras.

Ah, e tem o filme, com as atrizes Adriana Esteves, Drica Morais e com a modelo e atriz Claudia Liz, é de 95 e foi dirigido por Emiliano Ribeiro, tem prêmios e tudo. 

21 comentários:

  1. Não conhecia esse livro, mas parece ser um livro muito bom
    Com uma história bem bacana

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ta aí a minha proposta aqui no blog é trazer livros que pouca gente tem contato. Livros que são mais "underground" e me dá um prazer imenso quando vocês gostam!
      Beijos recíprocos!

      Excluir
  2. Aiiiii sempre vejo esse livro na biblioteca que eu frequento, mas nunca peguei. Esse mês vou lá. rsrsrs
    Beijooos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patriny! Ai que bom que você vai lê-lo! Super recomendo e com toda a certeza você não vai se arrepender! As Meninas é fascinante e encanta mesmo!
      Beijos do Nato!

      Excluir
    2. Peguei ele ontem na biblioteca. Assim que terminar o Código da vinci eu vou começar a lê-lo. Obrigada pela dica. Beijoos

      Excluir
  3. Já li e também recomendo. É meu livro preferido. ♥ Acho que este foi o único livro que consegui me identificar com vários personagens. Sou, ao mesmo tempo, essas três meninas.
    Beijo!
    http://www.gleannerodrigues.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gleanne Rodrigues!
      Sem dúvida esse um livro perfeito para ser chamado de favorito, tens bom gosto então rsrsrs!
      Quanto a identificação, achei surpreendente como nos enlaçamos com as personagens, e acho mais incrível ainda como nos apaixonamos por elas.
      Beijo e obrigado pela visita!

      Excluir
  4. Não conhecia esse livro, parece mesmo legal, irei procurar.
    adorei a resenha!

    http://www.lostgirlygirl.com

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahw Michelle obrigado! *---*
      Procure, você não vai se decepcionar!
      Beijos do Nato!

      Excluir
  5. Não conhecia esse livro, mas sua resenha me convenceu apesar de não entrar em detalhes da trama mesmo. Fiquei curiosa para conhecer cada uma delas e o contexto histórico em volta da estória escrita por Lygia. Parabéns pela resenha.
    Abraços,
    Raquel - viajandoclivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Raquel, eu tive que ocultar a trama, mas o fascínio é o mesmo, se você ler a obra entenderá que as meninas são a própria história. Obrigado pelo elogio!
      Abraços! ^^

      Excluir
  6. Já tinha ouvido falar desses livro, mas nunca tive vontade de lê-lo. Sua resenha me fez repensar isso. Quem sabe ele não se torna meu favorito também. Há tempos não não leio algo que se torne meu favorito :P

    Beijos
    aritmeticadasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe não é Pâmela... Eu realmente espero que sim, pois fiquei encantado com As Meninas, fico feliz que minha resenha tenha te feito repensar nesse caso. Obrigado pelo carinho de sempre!
      Beijos Moça!

      Excluir
  7. Quando li no título que ias falar de um livro da Lygia, torci o nariz pois li um dela (Antes do baile verde) e nao gostei, mas amei a sua resenha deste e fiquei muuuuito curiosa. Quero ler com certeza!

    www.redbehavior.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuita curiosidade é um bom sinal, porque quando peguei esse livro estava exatamente assim (eu já havia lido uma resenha sobre ele em um livro da época do colégio)! Ainda não li Antes do Baile Verde, dela tinha lido apenas A Disciplina do Amor...
      Bom, pelo sim e pelo não espero que goste!
      Beijos!

      Excluir
  8. Olá amei lindo lindo lindo lindo seu blog, nossa me apaixonei *-* este post esta incrível. Te desejo sucesso. Segue? retribuo.
    - http://meninadocoelho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Gabby Coelho, isso é com a "chefe" ! rsrs
      Valeu pelo carinho!
      :)

      Excluir
  9. Não conhecia esse livro, mas achei a história bem interessante. Vou ver se encontro no sebo e se coloco o filme para baixar ;)

    Beijos
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ^^ Bom Cássia, é bem possível que você o encontre em sebos mesmo... Também vasculho alguns vez ou outra!
      O filme eu baixei e sinceramente o acho muito bom, mas aquela coisa: é uma adaptação.
      Beijos!

      Excluir
  10. Oi Nato!
    Não conhecia esse livro. :x
    Mas após ler sua resenha, fiquei e estou interessado. Parece ser uma leitura bacana, profunda e bem delicada mesmo, até porque como plano de fundo da história, a autora usou a época da ditadura.
    Irei procurar esse livro e espero lê-lo brevemente. Acredito que gostarei.
    Gostei de saber sua opinião. (':
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leandro de Lira. (Lindo seu nome)
      Primeiro obrigado pela sua gentileza. Segundo, é por isso que escrevo aqui Leandro, pra trazer dicas de livros um tanto "diferentes" das novidades do mercado.
      Feliz em saber que se interessou, é uma leitura maravilhosa mesmo, viu!? É delicada em níveis estratosféricos! ^^
      Abraço!

      Excluir

Opine,reclame,exclame,comente.Mas uma dica: palavras sinceras são sempre bem-vindas.

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo