19 outubro 2012

Carta ao ex


Hoje ouvi a música. Não 'aquela', nem 'uma' música, foi 'a' música que marcou aqueles dias em que eu pensei estar completamente decepcionada com você, em que eu pensei estar sofrendo por alguém que já estava com outro alguém. É, eu pensei estar magoada, e estava, de verdade. Eu apostei minhas fichas em você, não em nós, mas em você e perdi.  
Não, você não foi meu grande amor, não foi o cara que deixava as borboletas no meu estômago agitadas; você só foi legal e efêmero. E a efemeridade não combina muito bem com amor, aquele de verdade sabe?! O que você sente agora por ela. 
Mas ouvindo aquela música hoje, depois de um bom tempo do que já aconteceu, eu me vi ali, no passado, ouvindo-a e pensando no que o nós representou de verdade pra você e remoendo o que você tinha me falado, algo que eu não acreditava ser verdade, mas no fundo, bem lá no fundo, mesmo vindo de você, eu queria que aquela frase tivesse sido dita com verdade. 
É, hoje eu sei que eu não te queria, mas queria o sentimento que você trazia consigo e que não era por mim, hoje eu tenho certeza. Não sinto mais raiva, mágoa nem ressentimentos. Já passou, não é?! Foi um incidente que veio em uma boa hora e eu fiz drama depois do rompimento sim, foi idiota da minha parte na verdade, como uma criança birrenta que mesmo não brincando com tal objeto quando o vê em outras mãos chora e grita para tê-lo de volta.
Eu não TE superei, por que sendo sincera, eu nunca realmente senti algo completo por você. Eu superei o querer ter aquele sentimento que eu tanto suspiro por aí. E eu sinto uma ponta de inveja, sabe?! Não, algo parecido com isso mas não necessariamente inveja, e dela. É, dela. Por que ela tem o seu amor, alguém que realmente a ama e que vai atrás por que a quer por perto, de qualquer maneira; e bom, eu não tenho isso. Mas não me entenda errado, eu não quero que você faça isso por mim, eu queria que alguém sentisse isso por mim. E ela tem isso, ela sempre, no fundo, teve você. Eu não. Mas eu não te queria muito, já disse, eu queria o que você sentia.
Bom, eu sorrio pra você e desejo que seu amor não te dê grandes decepções e não te faça infeliz por muito tempo. Acredite, estou sendo sincera. E peço desculpas pelo meu dramalhão mexicano desnecessário. É só essa mania de querer sentir demais que me consome às vezes.

17 outubro 2012

Resenha - Selvagens

Nome: Selvagens
Original: Savages
Autor(a): Don Winslow
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Submarino - Compare preços
Sinopse: Ambientalista e filantropo nas horas vagas, Ben comanda um negócio de venda de maconha em Laguna Beach. Ao lado de seu parceiro, o ex-mercenário Chon, ele fatura lucros consideráveis e mantém uma clientela fiel. No passado, quando seu território foi invadido, Chon tratou de eliminar a ameaça. Agora, porém, eles parecem estar diante de uma força da qual não podem dar conta: o Cartel de Baja, do México quer tomar a região e avisa que não irá aceitar uma negativa como resposta. Quando os dois amigos se recusam a recuar, o cartel reforça a advertência sequestrando Ophelia, companheira e confidente dos rapazes. O sequestro deflagra uma gama alucinante de negociações habilidosas e reviravoltas inacreditáveis, que deixarão os leitores ansiosos para descobrir o custo da liberdade e o preço de um grande barato. Uma engenhosa combinação entre o suspense carregado de adrenalina e a reportagem policial, Selvagens é um thriller alucinante, escrito por um mestre do gênero no auge de sua carreira.

Quando solicitei Selvagens de cortesia para a editora já sabia que seria uma leitura diferente, mais 'pesada' já por ter lido a sinopse, mas queria algo diferente mesmo e não me decepcionei com a escolha. Por mais que esse tipo de livro não traga um enredo que sempre me atraia ou que esteja entre os meus preferidos, a leitura foi muito boa, de um livro muito inteligente.

Ben e Chon são grandes amigos, compartilham o amor de O., na verdade, Ophelia. Eles são jovens, ricos, e tem personalidades diferentes: Ben o pacifista, o zen, o budista. Chon, ex-mercenário, cara de poucos amigos e que tem uma filosofia muito mais simples do que Ben. E O. a garota com tatuagens de golfinho, que não recebe aprovação e atenção de Rupa, Rainha do Universo Passiva-Agressiva, sua mãe, que não se chama assim na verdade. Eles, Ben e Chon, estão no mercado da venda de maconha, mas uma maconha diferente das demais, produto bom já que Ben é biólogo e entende do assunto; mas agora precisam enfrentar o Cartel de Baja, do México que pretende fazer 'negócios' com os dois e caso não ocorra um acordo, cabeças irão rolar. Literalmente.

Coisas ruins vão acontecer, a questão é saber quando. Deveriam bordar isso na bandeira.

Selvagens tem um enredo simples, mas com personagens nada superficiais e uma narração também nada superficial. A narração na verdade é bem simples, fora as referências que é contida ao longo da trama, que me deixou algumas vezes confusa por não entender, mas no geral, a narrativa é simples contendo muita informação, meio paradoxal?! Talvez.

Ao longo da narrativa conhecemos mais de cada personagem envolvido e também sobre o ambiente em volta deles. O autor parece nos explicar de uma forma bem humorada e várias vezes sarcástica a forma como tudo ali funciona. Em relação à venda de drogas, ao Cartel, ao negócio de Ben&Chon, à fronteira, ás diferenças entre americanos e mexicanos e nos faz ter uma leitura mais aprofundada sobre tudo isso, fazendo-nos ver de perto o que pode e está errado nisso tudo.

Não é um livro leve, mas em algumas partes é até divertido. Por incrível que pareça, no meio disso tudo, ainda encontramos 'romance', de um jeito diferente, claro. As reviravoltas em relação ao sequestro e ao o que os dois amigos precisam fazer para resgatar O. das mãos do Cartel é o ponto alto da trama e a apreensão é grande para saber como tudo isso irá terminar.

Enfim, Selvagens é mais do que recomendado a quem quer uma leitura diferente, inteligente e com ação, não de um filme hollywoodiano clichê. A edição está perfeita, a editora não deixa erros ortográficos e a capa com o cartaz do filme facilitou a leitura na hora de imaginar alguns personagens, não todos, claro. Dou ênfase à narração mais uma vez, é diferente de uma forma muito boa.
É um livro selvagem, sobre selvagens

16 outubro 2012

Promoção - Feita de fumaça e osso


Pra quem leu a resenha do livro sabe que gostei e muito e a querida editora parceira Intrínseca liberou a promoção de Feita de fumaça e osso pra vocês! Espero que gostem e participem.

REGRAS:
- Seguir o blog via GFC.

a Rafflecopter giveaway

AVISOS:
- O vencedor tem até 48h para responder o e-mail de contato.
- A editora enviará o livro.

Boa sorte a todos!

14 outubro 2012

Resenha - Feita de fumaça e osso

Nome: Feita de fumaça e osso
Original: Daughter of Smoke and Bone
Autor(a): Laini Taylor
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Submarino - Saraiva - Compare preços
Sinopse: Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu.Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo.O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito.

Feita de fumaça e osso não é só um mero livro bom com um tema sobrenatural e um romance embutido. Ele é extraordinariamente rico em seus detalhes e Laini Taylor tem uma criatividade que deixa qualquer leitor de boca aberta.

Karou é uma estudante de artes que guarda consigo alguns segredos. Seu cabelo azul que diz num tom irônico ser natural e suas tatuagens ao longo do corpo na verdade são frutos de desejos. Em seu caderno de desenhos que parece ser admirado pelos seus colegas estão criaturas fantásticas: Issa, serpente da cintura para baixo e mulher da cintura para cima, Twiga e seu pescoço de girafa, entre outros. Zuzana, sua melhor amiga nem desconfia de que essas criaturas são na verdade, reais.

Karou foi criada por quimeras, 'monstros' que tem partes do corpo de animais e outras partes humanas. Inocente, Karou não sabe por quê foi criada por eles, só sabe que eles são sua única família. Ela 'trabalha' para Brimstone, comprando dentes em várias partes do mundo para ele vender a outros na realização de desejos, através de portas ela pode ir a qualquer lugar que a mandarem; mas marcas de mãos começam a aparecer em cada uma delas, a queimadura deixando a marca de um outro ser, de outros seres, os inimigos.

Esperança? A esperança pode ser uma força poderosa. Talvez não haja magia real nele, mas quando você sabe o que mais deseja e mantém isso acesso como uma chama dentro de si, pode fazer as coisas acontecerem, quase como mágica.

Não quero só falar do enredo aqui, até por que ele é meio complexo de tantas descrições e estórias dentro da estória geral que não poderia escrever nem parte disso tudo aqui. Feita de fumaça e osso não é só um livro sobre magia e um mero romance entre dois seres diferentes como já disse. Não cai no clichê que vemos muito em outros livros pela originalidade da autora com o enredo. A leitura desse livro flui tão bem e os personagens me cativaram tão rápido que demorei um pouco para desfrutar da estória. Karou, a garota de cabelo azul, diferente, ingênua mas não tão vítima assim. Zuzana, sua melhor amiga que mesmo sem saber para onde Karou vai quando sai para suas missões, a compreende. E claro, Akiva, o outro lado da estória, o 'mocinho' que não é tão bom assim.

Talvez essa resenha não fique muito clara, mas essa leitura foi tão diferentemente boa que minhas palavras talvez sejam poucas para descrever. A narração é em terceira pessoa mas não faz com que a aproximação com os personagens não aconteça, pelo contrário. A edição está perfeita, sem erros ortográficos, páginas amareladas e uma capa linda, que tem tudo a ver com a estória. Adentramos num mundo totalmente diferente quando lemos Feita de fumaça e osso e recomendo e muito a todos os amantes de literatura fantástica, com uma trama que vai prender sua atenção do início ao fim.

12 outubro 2012

Filmes de criança

Hey! Faz um tempo que não venho aqui postar sobre filmes, com esse feriado, deu pra elaborar um bom post e vim colocar alguns filmes de/para/sobre crianças que não só crianças devem e podem assistir, mas todos nós, que temos dentro de nós um pouco de ser criança também podemos nos deliciar e nos divertir com eles ♥ Vamos à lista?!

Scooby Doo

Na verdade aqui não colocarei um filme só do Scooby Doo, todos os filmes dele são recomendáveis, os filmes em em desenho animado ou não. Eu simplesmente AMO Scooby Doo, paro meu dia pra assistir, confesso. Tem vários filmes, nesse link podemos ver uma lista grande de vários filmes, além do desenho animado que passa sempre na TV *_*

Coraline e o Mundo Secreto

Coraline (Dakota Fanning) é uma menina triste em sua nova casa, sempre aborrecida por causa dos vizinhos estranhos que a rodeiam. Um dia, então, descobre que atrás de uma parede de seu quarto há uma porta secreta para um outro mundo, com uma outra mãe e um outro pai - e numa versão muito melhor de sua vida. Coraline terá agora de decidir se deseja permanecer para sempre nesse lugar mágico. +

Kit - Uma garota especial

Quando os negócios do pai de Kit Kittridge (Abigail Breslin), uma garota de nove anos, não vão bem, ele perde tudo e é obrigado a ir embora em busca de trabalho. Para manter a casa, Kit e sua mãe transformam-na em uma pensão, recebendo hóspedes que devem ter histórias fascinantes. Mas, quando o cofre no qual sua mãe guardava todas as economias é roubado, o novo amigo de Kit, Will, um hobo – trabalhador desempregado – é o primeiro suspeito. No entanto, Kit se recusa a acreditar que Will tenha roubado e seus esforços para desvendar a verdadeira história colocarão, tanto ela quanto seus amigos, em uma grande encrenca. A polícia acredita que o roubo foi cometido por algum conhecido, então, se não foi Will, quem terá sido? +

Anastasia

Baseado em uma história verdadeira e trazido às telas com uma fantástica animação e com as vozes de Meg Ryan, John Cusack, Kelsey Grammer, Hank Azaria, Christopher Lloyd e Angela Lansbury, Anastasia é um épico em ação de tirar o fôlego e uma trama cheia de intrigas que certamente cativará toda a família. Uma encantadora mistura de aventura, romance, comédia e musical, este aclamado espetáculo da animação conta a história de uma princesa russa perdida, Anastasia, e de sua inacreditável luta para descobrir sua verdadeira identidade. Quando a sombra da revolução atinge a Rússia, Anastasia, a filha mais jovem da família real, consegue escapar com vida. Anos mais tarde, ela encontra o belo, charmoso e confiável Dimitri. Mas, ao partirem para Paris em busca do legado de direito de Anastasia, eles têm que enfrentar uma incrível batalha contra o malvado monge Rasputin e seu ajudante inseparável, Bartok, o morcego. Faça parte dessa aventura mágica e embarque em uma busca inesquecível para solucionar o maior mistério do Século XX. +

Diário de um banana

A adaptação ao cinema da série de HQs Diário de um Banana (Diary of a Wimpy Kid), de Jeff Kinney.
A produção da Fox 2000 conta a sofrida história de Greg Heffley (Zachary Gordon), um garoto que tem que enfrentar o maior desafio da vida de todos os garotos: sobreviver ao ensino fundamental. As maneiras peculiares que Greg encontra para lidar com valentões e conquistar sua popularidade no colégio ajudaram a fazer o sucesso da HQ, indicada ao Harvey Awards 2008. +

Jumanji

Em 1869, dois garotos apavorados enterram um baú e, cem anos depois, o filho de um empresário descobre que dentro dele há um jogo chamado Jumanji.
Quando começa a jogar com uma amiga, ele logo é penalizado a ficar na floresta até que alguém tire cinco ou oito.
Como na jogada seguinte ela é atacada por morcegos, em virtude de seu posicionamento no tabuleiro, o jogo é interrompido e ele imediatamente fica preso dentro de Jumanji.
Mas, vinte e seis anos depois, duas crianças começam a jogar e uma acaba libertando-o.
Porém, a única forma de deixar tudo como antes é terminar a partida, mas para isto é preciso achar a participante da partida de 1969.
Juntos eles enfrentam perigos, que surgem a cada jogada, e enquanto o jogo se desenrola a cidade se transforma em um caos, pois animais selvagens, plantas assassinas e até um caçador de pessoas saem do tabuleiro e vão permanecer enquanto o jogo não findar. +

Lembrando que elaboro listas de filmes que não são muito conhecidos por aí, pra não cair na mesmice e em filmes que já assisti e gostei, digo isso por que tem vários outros filmes e animações que amo assistir super conhecidos, como Madagascar, A era do gelo, Shrek, além dos filmes clássicos da Disney que assistia sempre na TV *_* Minha infância foi muito em frente a TV, confesso, e aqueles filmes de sessão da tarde preencheram várias tardes em casa. haha' Anastasia fez parte da minha infância, chorava e tudo no final, sempre amei esse desenho, e Jumanji, quem via quando menor?! Eu amava também! Enfim, estou nostálgica agora depois desse post. Me digam se gostaram da lista de hoje, se já assistiram algum dos filmes e quais os filmes mais marcantes da sua infância?!
Ah, pra quem perguntou sobre que curso irei concorrer no vestibular, será Letras - Português, na Estadual e Federal de Belém :} 

08 outubro 2012

Resenha - Belle

Nome: Belle
Autor(a): Lesley Pearse
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Saraiva - Fnac - Livraria Cultura
Sinopse:  Londres, 1910. Belle, de 15 anos, viveu em um bordel em Seven Dials por toda sua vida, sem saber o que acontecia nos quartos do andar de cima. Mas sua inocência é estilhaçada quando vê o assassinato de uma das garotas e, depois, pega das ruas pelo assassino para ser vendida em Paris. Sem poder ser dona de seu próprio destino, Belle é forçada a cruzar o mundo até a sensual Nova Orleans onde ela atinge a maioridade e aprende a aproveitar a vida como cortesã. A saudade de casa — e o conhecimento de que seu status como garota de ouro não durará muito — a leva a sair de sua gaiola de ouro. Mas Belle percebe que escapar é mais difícil do que imaginou, pois sua vida inclui homens desesperados que imploram por sua atenção. Espirituosa e cheia de desenvoltura, ela tem uma longa e perigosa jornada pela frente. A coragem será suficiente para sustentá-la? Ela poderá voltar para sua família e amigos e encontrar uma chance para a felicidade? Autora # 1 bet-seller, Lesley Pearse criou em Belle a heroína de nossos tempos: uma mulher forte que luta por seus direitos em um mundo perigoso.

Olhando para a capa e lendo rapidamente a sinopse de Belle pensei que seria um romance histórico, o que eu amo, mas o livro além de surpreender na quantidade de páginas, também me surpreendeu na narrativa, o enredo não tem nada muito romântico, mas não diminui a sua qualidade.

Belle mora num bordel, sua mãe, Annie, é a dona dele e Mog, a criada é praticamente quem cuida e cria de verdade a jovem menina de 15 anos. O caso é que Belle não sabe exatamente o que é um bordel, não sabe o que as meninas que também moram lá realmente fazem para sobreviver. Num certo dia, Belle está fazendo seu passeio matinal de todos os dias quando encontra Jimmy, o sobrinho do dono de um bar ali perto, e ali começa uma amizade. Mas no mesmo dia, Belle após uma limpeza na casa ajudando Mog, acaba dormindo no quarto de uma das meninas e quando acorda, já sendo de noite, presencia o que realmente as meninas do bordel fazem para sobreviver e além disso, presencia o assassinato de Millie.

A partir daí a vida de Belle muda completamente. Ela é testemunha do assassinato e o homem que matou Millie é muito mais do que perigoso. Ele acaba a sequestrando e Belle começa a vida que sua mãe nunca quis que ela tivesse, presenciando e vivendo acontecimentos indignos e absurdos.

A narrativa desse livro não é nada leve, pelo contrário, desde a primeira cena já podemos perceber que as cenas explícitas de sexo estarão contidas no livro, além das cenas de agressão física e verbal. O livro conta não só o que Belle sofreu, viveu e o que sua família, Mog e Anne, além de Jimmy e até Gorth, o tio dele, sofrem pelo desaparecimento da menina, mas também as descobertas dela, o lado cru da vida de quem trabalha em bordéis. Viajamos na estória de meninas que foram sequestradas e obrigadas a se prostituirem, algumas sendo abusadas fisicamente no início, como Anne e Belle é, outras que só conseguiam sair dessa vida indo morar com algum cliente rico e disposto a lhe sustentar. 

O livro traz uma longa estória, envolvendo vários personagens e um desfecho realista, nada surreal que me satisfez muito. Vale ressaltar novamente que as descrições do ato sexual estão muito presentes, mas isso é mais um elemento para tornar essa estória um pouco mais próxima do real. Viajamos não só no tempo, mas na América, na França e na Inglaterra do século XX, trazendo um lado da história que não vemos muito por aí.

No final do livro temos uma breve explicação sobre como Lesley o escreveu, de onde veio a inspiração e as pesquisas que ela fez, outro ponto que me interessou e achei muito bom comentar. Enfim, não lembro de erros ortográficos, o livro contém 560 páginas mas que parecem menos enquanto lemos. Recomendo para quem quer ou gosta de ler estórias fictícias mas próximas do real que nos angustia e ao mesmo tempo nos toca.

Heeey, só um aviso: Estarei demorando para responder os comentários dos posts, as provas dos vestibulares estão chegando e preciso ficar menos tempo por aqui, espero que me entendam e não deixem de visitar o blog ><

05 outubro 2012

Strange Attractor


Ele tinha olhos pequenos, pequenos e inexpressivos, era um mistério saber o que aqueles olhos queriam dizer ou se diziam alguma coisa. Seu sorriso tímido me hipnotizava, não conseguia entender do por quê aquele sorriso em específico era como um ímã que me atraia toda vez que o via ou sentia sorrir perto de mim. Seu cabelo meticulosamente desgrenhado era uma tentação que chamava minhas mãos para tocá-lo, bagunçá-lo para puxá-lo pra mais perto de mim enquanto estaríamos de rostos colados.
Ele me viu o encarando, estava tão absorta que nem reparei e depois de alguns segundos percebi que ele me fitava de volta, exatamente com aqueles olhos negros e profundos e seu sorriso torto. Logo tive vontade de sorrir, ele tinha esse poder sobre mim; só de lembrar o seu nome ou sua imagem vir à memória, um sorriso largo queria se abrir em meu rosto. 
- O que você tanto olha pra mim?! - Ele diz.
- Não é nada - Eu tento disfarçar minha admiração olhando para o chão, para o teto, para o outro lado, mas ele levanta meu rosto delicadamente com seus dedos para encará-lo.
- Você sabe que eu fico sem jeito quando alguém me encara assim.
- Desculpe, não foi minha intenção te deixar envergonhado.
- Tudo bem, me sinto estranhamente querido quando você passa um tempo me encarando.
- Como assim? Eu fiz isso mais de uma vez?!
- Aham, várias vezes; não tinha percebido isso?
- Não!  - Fiquei assustada com essa descoberta, ele com certeza deveria me achar louca ou no mínimo esquisita. - Você deve com certeza me achar esquisita por eu fazer isso não?!
Ele me deu um leve beijo na boca e abrindo um sorriso com seu rosto colado ao meu, disse:
- Claro que não, eu faço o mesmo com você, mas consigo ser mais discreto. 
E nós dois rimos. 
Inevitável não sentir aquele calafrio quando eu estava bem junto á ele, inevitável não querer sorrir quando o via vindo em direção a mim; nós nos tornamos confidentes, amantes, companheiros e eu ainda o sentia como aquela paixão platônica que nutria meus sonhos quando ainda nem nos conhecíamos, por que só bastou um olhar para eu me apaixonar por aqueles olhos.

The light in your eyes
A luz em seus olhos
Well, it's pulling me in
Bem, ele está me puxando
Yeah, it's pulling me in
Sim, ele está me puxando
A heart that's still speeding up
Um coração que ainda está acelerando
And it's coming again
E está vindo novamente
Yeah, it's coming again
Sim, ele está vindo novamente
How did it happen?
Como isso aconteceu?
How did it come?
Como se chegou?
'cause it's taking me over
Porque está tomando conta de mim ♫
Strange Attractor - Animal Kingdon

Texto sem grandes propósitos, foi só mais um momento de inspiração em altas horas da noite; talvez eu esteja sendo influenciada por Diário de uma paixão (estou lendo agora, finalmente ♥) ou pela própria música,  de uma banda desconhecida por mim, está na trilha sonora de The secret circle e que coloquei no título do post,enfim, espero que gostem e não se enjoem desses meus posts mais doces e sutis. rs

03 outubro 2012

Resenha - Resposta Certa

Nome: Resposta Certa
Original: Starter for Ten
Autor(a): David Nicholls
Editora: Intrínseca
Onde comprar: Saraiva - Submarino
Sinopse: O ano é 1985. Brian Jackson, com uma bolsa de estudos e ótimas notas, acaba de entrar para a universidade. E parece que finalmente conseguirá realizar um antigo sonho: aparecer em um popular programa de perguntas e respostas na televisão, onde poderá demonstrar todo o seu repertório de cultura geral. Após entrar para a equipe da faculdade e passar pela fase classificatória, Brian se prepara para seu primeiro embate televisivo, ao mesmo tempo em que se vê apaixonado por uma de suas colegas de time: a linda, inteligente e assustadoramente elegante Alice Harbinson. Quando Alice se recusa a ceder aos encantos ligeiramente ansiosos de Brian, ele aparece com um plano infalível para conquistar o coração de sua amada de uma vez por todas. Ele vai ganhar o jogo. A qualquer custo. Porque, afinal, todos sabem que o que uma mulher realmente procura em um homem é uma vasta gama de conhecimentos gerais...

Logo após eu ter lido Um dia, desejei que outro livro do David Nicholls fosse publicado aqui no Brasil e não demorou muito para isso acontecer; assim como Um dia, Resposta Certa tem um enredo diferente do que podemos pensar e a narrativa do David novamente não me decepcionou.

A premissa é simples: Brian Jackson está prestes a fazer 19 anos e agora está indo para a Universidade pública cursar Literatura inglesa; é uma nova vida, uma nova rotina, vai conhecer novas pessoas, estudantes cultos como ele e com quase os mesmos pensamentos. Além disso, ele nutre o sonho de participar do Desafio Universitário, um programa de perguntas e respostas com estudantes universitários que é transmitido na TV e que ele costumava assistir com seu pai, já falecido. Brian quer participar por que imagina que para seu pai seria um orgulho seu filho ali, respondendo as questões certas em frente a milhões de espectadores.

Mas Resposta Certa não se resume só a nova experiência de um 'nerd' que acha que já é um adulto maduro por fazer 19 anos e que está perdidamente apaixonado por Alice, a garota popular, rica e linda que ele conheceu numa festa. Brian é descrito como aquele típico nerd que vemos em filmes: esguio, com um estilo vintage, cheio de espinhas e que não tem uma certa noção do quanto fica ridículo dançando. Ele costuma beber com os amigos, aliás, costuma beber muito e ao longo do livro vemos as suas mudanças, não exteriormente, mas como pessoa.

O que me irritou foi a fascinação por Alice, estava explícito que ela não se sentia atraída por ele e que não tinha possibilidades deles ficarem juntos, mas Brian faz de tudo para conquistar Alice e tê-la para si. Além disso, Brian se gaba dos seus conhecimentos, algumas vezes ele mesmo se pergunta se toda a inteligência que ele demonstra é verdadeira ou só 'fachada' para parecer inteligente. O caso é, ele esquece de tudo e de todos, até dos seus princípios, por causa de Alice. 

Mas o ponto forte do livro é o humor, um humor inteligente, sarcástico e ás vezes ridículo, por causa de Brian. É meio previsível o final, no quesito romance, mas o clímax não foi o que eu esperei, mesmo assim, gostei. Acredito que nem todos irão gostar da leitura de Resposta Certa, não é cheia de aventuras ou com um grande romance de tirar o fôlego, é diferente mas de uma forma calma e divertida e o humor é aquele humor 'cult' que nem todo mundo entende mas o livro também tem uma mensagem bem interessante em torno dele, sobre ser inteligente não ser suficiente para conviver e viver bem e a narrativa é em primeira pessoa, então você se sente mais próxima do personagem. A diagramação está ótima, encontrei alguns erros mas foram poucos, recomendo aos fãs de Um dia, de narrativas divertidas e diferentes.

01 outubro 2012

XVI Feira Pan Amazônica do Livro


Diferente dos outros anos, esse ano fui à Feira do livro daqui de Belém - PA (Não, não sou índia nem ando de canoa u.u) e resolvi postar sobre isso. Há 3 anos seguidos vou a Feira, mas nos outros anos não era tão inteirada nesse universo literário atual, conhecia basicamente mais os livros clássicos nacionais. E como os outros anos, não vi preços tão em conta assim, infelizmente, nem os livros que não eram lançamentos estavam baratos. O que acabou me fazendo comprar menos do que queria, por que se for pra comprar um livro com o mesmo preço ou mais caro do que se eu fosse comprar em uma livraria virtual, eu prefiro comprar na livraria virtual. 


Mas essa feira teve o seu diferençal. Além d'eu não ter ido no penúltimo ou último dia (que é quando há uma multidão te espremendo e fazendo com que você queira sair dali o mais rápido possível), a organização e os eventos estavam muito bons. Teve Martha Medeiros, Luís Fernando Veríssimo, Maurício de Souza e outros atores paraenses em encontros literários; também teve oficinas e programas educacionais infantis. Além de todo o Hangar estar rodeado por obras de arte ou painéis sobre o tema da feira, Portugal. 
A Feira estava completa em relação aos clássicos nacionais, os livros mais baratos por lá, além de também oferecer revistas de História e de outros assuntos bem baratos também, pra quem foi à procura desses gêneros literários com certeza pôde aproveitar bem mais nos preços.
Mas vamos ao que interessa, vamos ver minhas aquisições:

Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo