31 julho 2012

Lançamentos #7

Eis mais um post de lançamentos super interessantes das editoras lindas *O* Confiram:

Novo Conceito
P.S: Eu te amo - Cecelia Ahren
Gerry e Holly eram namorados de infância e ficariam juntos para sempre, até que o inimaginável acontece e Gerry morre, deixando-a devastada. Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, Holly descobre um pacote de cartas nas quais Gerry, gentilmente, a guia em sua nova vida sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca.






Cuco - Julia Crouch
Polly é a mais antiga amiga de Rose. Então quando ela liga para dar a notícia que seu marido morreu, Rose não pensa duas vezes ao convidá-la para ficar em sua casa. Ela faria qualquer coisa pela amiga; sempre foi assim. Polly sempre foi singular — uma das qualidades que Rose mais admirava nela — e desde o momento em que ela e seus dois filhos chegaram na porta de Rose, fica óbvio que ela não é uma típica viúva. Mas quanto mais Polly fica na casa, mais Rose pensa o quanto a conhece. Ela não consegue parar de pensar, também, se sua presença tem algo a ver com o fato de Rose estar perdendo o controle de sua família e sua casa. Enquanto o mundo de Rose é meticulosamente destruído, uma coisa fica clara: tirar Polly da casa está cada vez mais difícil.

O reino - Clive Cussler e Grant Blackwood 
Em Spartan Gold e Lost Empire, Clive Cussler levou os leitores ao mundo do time do casal Sam e Remi Fargo, em que suas paixões e instinto para caçar tesouros trouxeram descobertas extraordinárias e jornadas perigosas. A próxima aventura do casal, no entanto, pode ser mais ainda aterrorizante. Os Fargos são especialistas em caçar tesouros e não pessoas. Mas, então, um barão do petróleo de Texas os procura com uma pedido pessoal: um investigador amigo dos Faros estava em uma missão para procurar o pai do barão, porém, agora ele também está sumido. Sam e Remi seriam capazes de procurar pelos dois? Apesar de não ter adicionado muita informação sobre o caso, Fargos concorda em começar a procura. O que eles encontrarem irá além do que eles imaginaram. Em uma viagem que os irá levar a Tibet, Nepal, Bulgária, Índia e China, os Fargos serão envolvidos com um mercado negro de fósseis, um baú centenário e o ancião do Reino Tibetano de Mustang, um dirigível do século anterior…

O Começo do Adeus - Anne Tyler 
Anne Tyler nos leva a um romance sábio, assustador e profundamente tocante em que descreve um homem de meia-idade, desolado pela morte de sua esposa, que tem melhorado gradualmente pelas aparições frequentes da mulher — na casa deles, na estrada, no mercado. Com deficiência no braço e na perna direita, Aaron passou sua infância tentando se livrar de sua irmã, que queria mandar nele. Então, quando conhece Dorothy, uma jovem tímida e recatada, ele vê uma luz no fim do túnel. Eles se casam e têm uma vida relativamente modesta e feliz. Mas quando uma árvore cai em sua casa, Dorothy morre e Aaron começa a se sentir vazio. Apenas as aparições inesperadas de Dorothy o ajudam a sobreviver e encontrar certa paz. Aos poucos, durante seu trabalho na editora da família, ele descobre obras que presumem ser guias para iniciantes durante os caminhos da vida e que, talvez para esses iniciantes, há uma maneira de dizer adeus.

[Resultado] Sorteio de inverno


Hey! Vamos saber quem foi o(a) sortudo(a) que levou o livro Julieta Imortal sorteado pelo blog Viajando com livros e o kit de Garotas de Vidro sorteado por mim?! *O*
Foram muitas inscrições, e agradeço a todos que participaram ♥

E o vencedor foi....


Parabéns Raone! O e-mail já foi enviado o/
E pra quem não ganhou, ainda tem sorteio do livro Tudo pode mudar e no blog Viajando com livros tem o sorteio O livro que eu quiser e mais sorteios!

30 julho 2012

Resenha - Quebra de confiança

Nome: Quebra de confiança
Original: Deal Breaker
Autor(a): Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Sinopse: No primeiro caso de Myron Bolitar, Harlan Coben nos faz mergulhar na indústria do sexo e nos negócios escusos por trás da contratação de grandes atletas. Este é um momento importante na carreira de Myron Bolitar. Depois de agenciar alguns atletas pouco conhecidos, ele agora é o empresário de Christian Steele, a maior promessa do futebol americano de todos os tempos. Talentoso, bonito, centrado e carismático, tudo indica que o rapaz também poderá arrematar milhões em contratos de publicidade. Mas, ao mesmo tempo que vive o auge na carreira, Christian enfrenta um drama na vida pessoal. Um ano e meio atrás, sua noiva, Kathy Culver, desapareceu subitamente e, exceto pelos fortes indícios de que tenha sofrido uma agressão sexual, a polícia não conseguiu descobrir nada sobre sua última noite no campus da Universidade Reston. Prestes a ser contratado em uma negociação que pode ser a maior de todos os tempos em sua categoria, Christian recebe o exemplar de uma revista que traz a foto de Kathy em um anúncio de disque sexo. Além disso, o caso acaba de ganhar mais um ingrediente de terror: três dias atrás, Adam Culver, pai dela, foi morto em um assalto bastante suspeito. Agora, com a ajuda de Win, seu melhor amigo, Myron tentará impedir que as notícias sobre a ex-noiva de Christian atrapalhem a carreira do rapaz e irá em busca da verdade – doa a quem doer.

Segundo livro que leio do Harlan Coben, o primeiro foi Quando ela se foi, que resenhei aqui no blog e que me fez amar a narrativa de Harlan, o personagem Myron e querer ler mais livros do autor. Com certeza Quebra de confiança não deixou a desejar. 

Quebra de confiança é o primeiro livro da série Myron Bolitar de Harlan, e é um ótimo começo de série, mesmo sendo uma série em que não é obrigatório ler todos os livros em uma sequência, pra quem não leu nada de Harlan, esse livro é um ótimo começo.

Myron depois de uma lesão grave torna-se agente de atletas e atualmente agencia uma grande promessa do futebol americano, Christian Steele. Mas o rapaz enfrenta um drama na vida pessoal; após o desaparecimento de sua noiva, Kathy Culver, Christian recebe um exemplar de uma revista pornô que traz a foto de Kathy num anúncio de disk sexo. Fora isso, o pai de Kathy, Adam Culver foi assassinado três dias antes desse acontecimento. 

Christian procura Myron e pede sua ajuda com o caso e Myron prontamente começa sua investigação sobre a possível morte de Kathy, o assassinato de Adam e se a alegação de que foi fruto de um assalto é mesmo verdade. Em meio a tudo isso, existe Jessica, o grande amor de Myron que não o via depois de anos e que volta agora após a morte de seu pai.

Na sinopse que coloquei aqui já diz bastante coisa sobre o enredo em si. Um suspense policial que não é nada superficial e que nos prende do começo ao fim. Admito que esse gênero não é o meu favorito, mas depois de ler Agatha Christie e Sidney Sheldon resolvi ler outros livros de outros autores do gênero e Harlan  Coben foi uma aposta maravilhosa. 

Mesmo tendo lido Quando ela se foi, sabendo de como Myron vai estar a alguns anos, a leitura de Quebra de confiança não foi nada ruim. Pelo contrário, ver o começo de tudo e conhecer melhor Myron Bolitar foi uma experiência nova, já que em Quando ela se foi não focam muito nisso.

A narrativa de Harlan nesse livro parece ser um narrador onisciente, mas pelas citações mais pessoais contida no livro, parece que a narração é feita por Myron; com muito sarcasmo e ironia ele deixa a leitura divertida e me vi rindo várias vezes, não só quando Myron falava, mas também Win, o amigo milionário de Myron, que demonstra ser só um mauricinho metido a besta, mas que provoca medo em quem o decide confrontá-lo.

Eu poderia escrever linhas e mais linhas elogiando o enredo com o suspense presente do começo ao fim e o final brilhantemente bem armado, a narração de Harlan, os personagens Myron e Win que digamos, são 'os caras', para não colocar palavrões na resenha. O trabalho da Arqueiro está impecável sem erros ortográfios, páginas amareladas e o livro só contém 271 páginas podendo ser devorado em um ou dois dias. Enfim, Quebra de confiança está mais do que recomendado.

Série Myron Bolitar:
1- Quebra de Confiança
2- Jogada Mortal
3- Fade Away
4- Back Spin
5- One False Move
6- The Final Detail
7- Darkest Fear
8- Promise Me
9- Quando Ela Se Foi 
10- Alta Tensão
fonte

28 julho 2012

Dor de cabeça e pequenos incômodos


Essa dor de cabeça já é frequente agora. Todos os dias, todas as manhãs em que me vejo acordada e sem entusiasmo nenhum para levantar, ela está lá, com a dor latejando em minha cabeça, incomodando até meus pensamentos, desconcentrando-me em simples afazeres diários.
Se eu fumasse com certeza fumaria todos os dias, quase todas as horas para aliviar a tensão. E se fosse de ingerir bebida alcoólica estaria todo final de semana em algum bar, mergulhando entre lamúrios sobre a vida e copos de vodca. 
Por que eu sou assim. Numa hora posso estar feliz e agradecendo pela minha vida e em outra passando horas refletindo sobre o que pode e o que não pode acontecer e aumentando um pouco mais da tristeza que carrego sobre minhas frustrações. Se eu estivesse escolhido isso, feito aquilo ou não feito isto eu poderia estar melhor, eu poderia estar vivendo outros momentos com certeza melhores do que esse. Mas são decisões passadas, é como chorar pelo leite derramado todos os dias em que paro para pensar nisso, e eu sei, é cansativo e o fato d'eu não parar de escrever sobre, se torna incômodo.
Mas hoje eu não quero falar de superações, de dias melhores, faz um tempo que não escrevo sobre amor com um ponto de vista alegre e positivo, por que eu não consigo ser falsa com meus sentimentos e não consigo ser falsa nas minhas palavras. 
Sabe do que preciso?! Uma boa saída de casa, encontrar algumas pessoas amadas e conversar, me divertir com algumas presenças e esquecer do futuro incerto que me deixa paranoica. Por que se entregar a drogas ilícitas deve ser fácil, você ingere tais produtos e por algum tempo esquece completamente dos problemas. Considero tão covarde quem se entrega ao álcool e drogas para 'fugir da realidade'... Difícil é enfrentar essa realidade chata e que consideramos injusta e seguir em frente fazendo o melhor possível.
Mas não vou começar a citar que devemos seguir em frente, superar dificuldades e blá blá blá. Disso eu já sei. Não quero saber de seguir em frente agora, não tô com disposição pra isso. 
Acho que só quero que essa dor de cabeça passe.

26 julho 2012

Livro + Filme: Orgulho e Preconceito

Faz muito tempo que não escrevo nessa tag Livro + Filme, o ultimo post foi em Março! Mas enfim pude voltar aqui com um livro e um filme que acho que uma parcela grande dos leitores daqui podem ter lido ou visto, mas que mesmo assim tive vontade de postar sobre, por que gostei muito. Não vou escrever uma resenha completa de cada um se não o post ficará enorme, nessa tag decidi escrever mais um comentário sobre cada um e o que me fez gostar ou não do livro ou do filme.

Livro
Editora: Coleção Saraiva de Bolso
Autor(a): Jane Austen
Onde comprar: Saraiva - Lojas Americanas - Submarino
Sinopse: A jovem Elizabeth Bennet , que se julga desprezada por Darcy , jovem rico e orgulhoso , começa a se interessar pelo belo militar Wickham.Em lugar do simples enredo sentimental , o texto de Austen focaliza uma questão mais complexa em que se misturam a razão , o sentimento de gratidão e suas implicações e , especialmente , a desconfiança com relação às primeiras impressões.

Esse livro foi minha primeira experiência em ler algo de Jane Austen, depois de assistir Amor e Inocência fiquei encantada com a estória dela, fascinada em conhecer mais sobre a tal Jane Austen, a grande escritora de que ouvi falar algumas vezes e pesquisei mais sobre sua vida, desejando ler todas as suas obras. Enfim ganhei esse livro dessa edição em um sorteio de um blog, demorei para ler, mas incentivada por tantos comentários e elogios a Jane Austen decidi não mais adiar e esquecer o receio de não gostar da leitura.
E sim, eu amei a narrativa de Jane, amei a estória de Orgulho e Preconceito, trazendo personagens tão singulares, trazendo assuntos ainda hoje presentes em nossa sociedade, e me identificando com Elizabeth Bennet e suspirando por Mr. Darcy. Enfim eu entendi o que é ler Jane Austen e se encantar com sua obra. Orgulho e Preconceito é um romance histórico, mas nada superficial e muito bem escrito nos fazendo nos envolver na estória e torcendo para que tudo dê certo com as mocinhas e os mocinhos. Podem dizer que é clichê, que é livro pra menininha, como vi por aí, mas achei perfeito. E como disse antes, Jane Austen consegue escrever assuntos atemporais, assim como Machado de Assis.
Leitura rebuscada, romance, algumas intrigas, cenas divertidas e personagens cativantes, é assim que tento resumir Orgulho e Preconceito e agora estou mais incentivada ainda em ler todas as obras de Austen.

Filme

Toda adaptação de livro costuma pecar em algumas partes, seja nos personagens, ou no corte de cenas, enfim. Mas não achei o filme nada ruim. Eu gosto de adaptações por que ver tudo que imaginei, toda a estória moldada pela minha imaginação ali, na tela do cinema ou na minha TV, é muitas vezes algo prazeroso, outras nem tanto, mas assistindo Orgulho e Preconceito com Keira Knightley e Mathew Macfadyen *lindo* consegui visualizar muito bem Elizabeth e Mr. Darcy (Mesmo sabendo de uma outra versão com Colin Firth, que eu imaginei o tempo todo como Mr. Darcy enquanto lia o livro).

Claro que o filme traz um resumo da obra, mas consegui visualizar muito bem as cenas mais importantes do livro no filme e isso me satisfez. Keira interpretou bem Elizabeth e não posso deixar de destacar que Mathew é lindo e como Mr. Darcy ele transmitiu toda a 'frieza' que o personagem demonstra. Os personagens secundários também ganharam destaque comigo, a irmã de Lizze, Jane e Mr. Bingley também foram interpretados bem.



Enfim, o filme não deixou muito a desejar, na minha opinião, claro. Mas recomendo a leitura antes de assistir emao filme; agora quero ler e assistir mais obras de Jane Austen que com certeza se tornou uma das escritoras que admiro e que pretendo conhecer melhor.

E vocês, já conhecem Jane Austen e seus livros? Já viram o filme?

24 julho 2012

Resenha - Tudo o que ela sempre quis

Nome: Tudo o que ela sempre quis
Original: All she ever wanted
Autor(a): Barbara Fretty
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Saraiva - Lojas Americanas - Fnac
Sinopse: Ela era a melhor amiga deles, ou assim eles pensavam — até anos mais tarde, quando seus segredos os levam a uma perigosa busca pela verdade sobre quem ela realmente fora... e por que morrera... Dez anos atrás, em uma festa louca, a linda e estonteante Emily caminhava para sua morte, deixando seus três melhores amigos e suas "irmãs" — Natalie, Laura e Madison — devastados. Nenhum deles esquecera aquela noite — ou o papel que cada um teve na morte de Emily, a culpa que os persegue e a perda que ainda sofrem. Agora, um escritor desconhecido entra na lista dos livros mais vendidos com um romance similar à história deles. Quem é ele? Como ele sabe os detalhes íntimos de suas vidas? E por que ele está acusando um deles como assassino? Quando eles começam a desvendar a verdade sobre a amiga em comum, irão redescobrir um amor que ela perdeu há muito tempo e descobrir segredos que vão mudar sua vida para sempre...

Tudo o que ela sempre quis me surpreendeu de uma forma maravilhosa. Confesso que de cara não me interessei muito pelo livro, só na hora que decidi lê-lo que fui ler a sinopse e a partir daí meu interesse aumentou.

A estória é sobre a morte de Emily, na verdade, é sobre como um livro recém lançado conta a estória da morte em mínimos detalhes e ainda acusando sua melhor amiga, Natalie, de a ter matado. Elas duas faziam parte de um grupo na faculdade, eram as melhores "amigas irmãs": Emily, Natalie, Laura e Madison, todas muito diferentes uma das outras e que acabaram se separando por anos depois da morte de Emily. E depois desses anos, com a  descoberta do livro, todas elas se encontram novamente, especificamente Natalie se encontra também com Cole, irmão de Emily, seu grande amor e sua grande decepção.

Com a busca para esclarecer tudo aquilo, além do encontro de velhos amigos, vamos descobrindo como era realmente Emily e como realmente foi sua morte e por quê. A narrativa é na voz de um narrador onisciente, mas não interfere em fazer-nos imergir na leitura.Dá foco em Natalie e Cole, o par romântico (e encantador) da estória, mas alterna nas descrições de cenas entre os amigos de Emily além das "amigas irmãs" dela. 

Eu li esse livro em algumas horas apenas, não foi nem em um dia, comecei a ler numa tarde e terminei no começo da madrugada, por que realmente imergi na leitura dele e a cada novo capítulo surgia mais dúvidas e como sou apaixonada por romances, também queria ler mais cenas de Natalie e Cole. O final é mesmo surpreendente em relação a morte de Emily e é um final satisfatório em relação aos outros personagens.

O que achei melhor ainda foi como conhecemos um pouco de cada personagem envolvido na estória de Emily, a autora soube muito bem abordar todos eles, sem deixar de lado o tema e o romance principal. É um livro que leria de novo depois de um curto período, por que a sensação de lê-lo foi muito boa. A capa é bonita, tem a ver um pouco com a estória, a descrição do lugar onde Natalie mora e trabalha, enfim. Se encontrei erros ortográficos no livro, não lembro. É um livro que não consigo definir muito bem, tem mistérios, romance, cenas engraçadas e ainda nos faz refletir sobre algumas coisas. É um livro diferente, concluo e muito bom, claro que recomendo e muito.

22 julho 2012

O lado bom disso tudo


Quando você quebra a cara uma vez, quando você se decepciona, cria expectativas e no final só encontra arrependimentos, você pensa vinte vezes antes de querer alguma coisa, antes de ter ou fazer algo, antes de criar novas expectativas. É inevitável não lembrar dos erros e ilusões passados quando se olha para o futuro. Por que se deu errado uma, duas, três vezes, quais as chances de dar errado de novo?! Muitas. 
Você tem 90% de chance de tudo dar errado outra vez e somente 10% ou menos de dar certo. A escolha é sua se agarrar aos 90% ou 10%. Só sua. E dependendo dela, você vai viver a vida que escolheu ter.
Por que se você se agarra aos noventa por cento de possibilidade de tudo dar errado novamente, você constrói uma personalidade de baixa-estima, depressiva, pessimista, que só vê os erros, que só enxerga o que não deu certo, seus fracassos e tudo que poderia ter conquistado e não conquistou.
Mas se você se agarra aos dez por cento de possibilidade de alguma coisa dar certo, você já constrói outra personalidade, já enxerga as coisas boas, o que você tem e o que pode ter se escolher os caminhos certos e pode até ser realista mas nunca pessimista. Por que você enxerga as coisas simples que te fizeram, fazem e podem te fazer feliz, por mais pequenas que sejam, o significado delas pode ser maior do que pensamos.
Por que ninguém gosta de pessoas depressivas ao seu lado, ninguém gosta de baixa-estima e pensamentos negativos ao seu redor, por mais realistas que sejam. E dizem que não é nada saudável ser assim o tempo todo.
Vamos sempre ter sacrifícios a fazer, obstáculos a vencer, erros a serem cometidos e arrependimentos a serem lembrados. Mas também sempre teremos momentos inesquecíveis, minutos, horas ou dias bons, pessoas que valerão a pena tirar a armadura de defesa e sentimentos incríveis que vão fazer a vida ser mais do que boa. A escolha de enxergamos qual lado dar mais atenção é só nossa.

21 julho 2012

Resenha - Conselho de amiga

Nome: Conselho de amiga
Original: A little friendly advice
Autor(a): Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Submarino - Lojas Americanas - Fnac
Sinopse: Ruby está completando 16 anos... mas o dia especial não é tão doce quanto foi planejado. Seu pai desaparecido há muito tempo aparece e Ruby não quer ter nenhuma relação com ele. Ao contrário, ela quer sair com seus amigos — a leal Beth, a perigosa Katherine e a fofoqueira Maria. Elas dão muitos conselhos a Ruby — sobre garotos, seu pai e como ela deve se vestir e como deveria estar se sentindo. Mas, na verdade, ela não sabe o que pensar ou sentir. Especialmente quando um novo garoto entra em cena... e Ruby descobre que algumas de suas amigas não são tão verdadeiras quanto dizem.

Conselho de amiga não foi um livro que me surpreendeu, a leitura foi rápida, e acho que por isso não foi tão boa assim. De uma certa forma, foi um dos poucos livros, se não o único, que li esse ano que não me agradaram muito.

Ruby está fazendo 16 anos e no seu aniversário eis que de repente, aparece seu pai. O pai que a deixou e desapareceu de sua vida há muito tempo. Ela com certeza ficou abalada com o seu aparecimento, mas resolve deixar de lado, já que o pai deixou ela e sua mãe sem motivo aparente nenhum, fazendo ela ter anos confusos e depressivos por conta disso.

Ruby tem como sua melhor amiga, Beth, que a ajudou nos anos conturbados após o desaparecimento do seu pai, e tem outras amigas como Maria, a namoradeira e Katherine, com quem não se dá muito bem, mas aceita a amizade por Beth. A estória gira em torno de Ruby e suas amigas, Beth demonstra ser uma amiga que sempre dá conselhos a Ruby e ela os segue sempre, achando que são só conselhos, mas que na verdade, parecem mais ordens. O relacionamento de Ruby e Beth vai mudando conforme Ruby descobre uma mentira de Beth, junto com o aparecimento de um garoto, Charlie.

A estória não tem grandes reviravoltas, é um livro bem 'light' e eu particularmente não gostei do final, parece que não foi um final na verdade, me pareceu incompleto, não sei. Conhecemos bem Ruby ao longo da narrativa, mas poderia ter tido um aprofundamento no relacionamento dela com seu pai, sua mãe e com Charlie. Beth, particularmente, me incomodou, não gosto de 'amigas' que querem mandar nas outras.

O que eu gostei não foi da personalidade de Ruby, já que ela se deixa sempre levar pelos conselhos das amigas, mas sim dos seus gostos. Sempre era citado ao longo do livro a preferência dela e de suas amigas por roupas vintage e descoladas, gostei disso.

No geral, o livro é fraco, mas poderia ter sido escrito melhor. A autora é a mesma do livro Não sou esse tipo de garota e depois de ler algumas resenhas sobre esse livro e o quanto ele é bom, pensei que Conselho de amiga seria também assim. Mas não. Mas essa é a minha opinião, muitas pessoas podem não concordar lendo o livro, então quem se interessar, leia e tire suas próprias conclusões.

19 julho 2012

Awkward


Depois de um bom tempo sem postar sobre nenhuma série (Trauma das séries favoritas estarem em hiatus e por isso não fui em busca de novas), volto com a série Awkward, que eu já tinha visto desde do ano passado se eu não me engano, descobri sem querer numa época que estava a procura de novas séries para  assistir e acabei encontrando o link pra download dela. 

Na história, Jenna Hamilton (Ashley Rickards, de “One Tree Hill”) é uma jovem que sofre um acidente no banheiro, o qual passa a ser considerado por todos na escola como uma tentativa de suicídio. A partir daí, ela se torna uma celebridade. Se antes era ignorada por todos, agora as pessoas querem saber quem ela é, o que pensa, o que deseja e, é claro, os motivos que a teriam levado a tentar se matar. Desta forma, Jenna decide manter a farsa. No elenco também estão: Desi Lydic, como Valerie, a conselheira escolar de Jenna; Nikki Deloach (Lacey Hamilton), de “Windfall”; Beau Mirchoff (Matty McKibben), de “Desperate Housewives”; Mike Faiola (Kevin Hamilton), de “Quarterlife”; Brett Davern (Jake Rosati); Drew Osborne (Emo), Jillian Rose Reed (Tamara), de “Weeds”; e Greer Grammer (Lissa), filha de Kelsey Grammer, da série “Frasier”. FONTE


É uma série bem teen, transmitida pela MTV estrangeira e acredito que não é/foi transmitida na brasileira. Quem viu My life as Liz e gostou, tem grandes chances de assistir Awkward e gostar também, apesar de ter várias diferenças, as duas séries tem algumas semelhanças.


Jenna é a que narra os episódios e além das suas diferenças como adolescente americana em relação a maioria das outras adolescentes, ela também é engraçada e apesar dos clichês juvenis que a série tem (O que não é uma coisa ruim pra mim, por que gosto de clichês), Awkward é uma série um pouco mais realista aos dramas e acontecimentos da adolescência e tem suas diferenças em relação aos 'besteróis' americanos que sempre vemos por aí.

Personagens:

Jenna - A 'azarada'


Matty McKibben e Jake Rosati - Os desejáveis

Ming e Tamara - As melhores amigas

Lisa e Sadie - As megeras


A série retornou só agora, depois de um longo tempo de hiatus, e voltou com tudo pelo que vi dos primeiros episódios, a estória de Jenna com Matty e Jake continua complicada, a relação com sua mãe também, mas ela ainda tem suas amigas lindas *e super divertidas* ao seu lado e novas armações e situações inusitadas irão acontecer.

Awkward é divertido, leve, simples e fácil de gostar se você é um adolescente vivendo suas crises pessoais ou não. Além da trilha sonora maravilhosa que a série também possui, claro, não poderia ser diferente já que é criação da MTV, esse é mais um ponto positivo na série. E Awkward só tem 12 episódios na primeira temporada de apenas 20 minutos, ótimo pra passar os dias nessas férias ><
E se isso tudo não te convenceu a assistir a série, eu não sei o que mais pode te convencer....


Ah, sei sim ↑ 

Então, gostaram?! Assistam e tirem suas próprias conclusões.

Download: Séries Tvix
Site oficial

17 julho 2012

Resenha - Branca de Neve e o caçador

Nome: Branca de Neve e o caçador
Original: Snow White and the Huntsman 
Autor(a): Lily Blake | Evan Daugherty | John Le Hancock | Hossein Amini
Editora: Novo Conceito
Sinopse:  Há dez anos, a vingativa Rainha Ravenna assassinou o rei na mesma noite em que se casara com ele. No entanto, dominar o reino tornou-se um sofrimento para a Rainha. Para salvar seus poderes, ela deve devorar um coração puro, e Branca de Neve é a única pessoa com esse coração. A fim de capturá-la, Ravenna recorre ao Caçador, o único homem que já se aventurou pela Floresta Sombria e sobreviveu. Branca de Neve será morta pelo Caçador? Ou será treinada por ele e se tornará a melhor guerreira que o reino já conheceu?

Resolvi assistir o filme antes, por que sabia que o livro seria baseado no roteiro dele, então não dei prioridade dessa vez. E teve diferença na leitura? Sim, teve. Imaginei as cenas descritas no livro com os atores que vi no filme, mas não deixou de ser menos boa.

Depois de perder sua querida esposa, o Rei Magnus luta contra um exército negro e mágico; e depois de derrotá-lo encontra uma misteriosa mulher prisioneira, Ravenna, com uma beleza estonteante que o deixou fascinado. Logo após o casamento, Ravenna o mata e toma o poder do reino e trancafia Branca de Neve.

A estória é a mesma do filme, Branca de Neve se torna uma guerreira, ela é a única que pode destruir ou fortalecer o poder de Ravenna e após conseguir o apoio do caçador Eric, percorre um longo caminho até o duque Hammond, com a esperança de encontrar refúgio e paz. 

O livro tem a narrativa em terceira pessoa, um narrador onisciente, que não só narra os fatos acontecidos, mas os pensamentos, confusões e sentimentos que existe dentro de cada personagem. A narrativa é detalhista, mas não é cansativa; pra quem assistiu o filme primeiro como eu, vai perceber a diferença entre ele e o livro e vai saber de mais detalhes e alguns fatos importantes na narrativa que não existe no filme.

Além disso, a diagramação que a editora fez com esse livro é mais do que linda. Nas primeiras páginas vemos uma citação e logo depois o 'Era uma vez...' aparece. O livro tem duas partes e a cada capítulo, além de páginas com um tipo de estampa clássica que tem formas de caveiras diferentes, vemos um símbolo no começo dos textos que no final saberemos sobre o que é. 

Enfim, li o livro em menos de um dia inteiro, a narrativa realmente prendeu minha atenção e não pecou em erros ortográficos ou descrições desnecessárias. Livro mais do que recomendado, tanto pra quem viu ou não já o filme.

Me desculpem pelos posts de resenhas um atrás do outro, pode cansar os leitores, eu sei, mas tô cheia de resenhas para postar e queria adiantá-las logo. Espero que entendam.

15 julho 2012

Resenha - Marina

Nome: Marina
Autor(a): Carlos Ruiz Zafón
Editora: Suma de Letras
Onde comprar: Submarino - Saraiva - Lojas Americanas
Sinopse:  Neste livro, Zafón constrói um suspense envolvente em que Barcelona é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões. É um desses antigos casarões aparentemente abandonados que chama a atenção de Oscar, que logo se aventura a entrar na casa. Lá dentro, o jovem se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo. Mas ele se assusta com uma inesperada presença na sala de estar e foge, assustado, levando o relógio. Dias depois, ao retornar à casa para devolver o objeto roubado, conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora. Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério, passando por palacetes e estufas abandonadas, lutando contra manequins vivos e se defrontando com o mesmo símbolo - uma mariposa negra - diversas vezes, nas mais aventurosas situações por entre os cantos remotos de Barcelona. Tudo isso pelos olhos de Oscar, o menino solitário que se apaixona por Marina e tudo o que a envolve, passando a conviver dia e noite com a falta de eletricidade do casarão, o amigável e doente pai da garota, Germán, o gato Kafka, e a coleção de pinturas espectrais da sala de retratos. Em Marina, o leitor é tragado para dentro de uma investigação cheia de mistérios, conhecendo, a cada capítulo, novas pistas e personagens de uma intrincada história sobre um imigrante de Praga que fez fama e fortuna em Barcelona e teve com sua bela esposa um fim trágico. Ou pelo menos é o que todos imaginam que tenha acontecido, a não ser por Oscar e Marina, que vão correr em busca da verdade - antes de saber que é ela que vai ao encontro deles, como declara um dos complexos personagens do livro.

Marina foi o primeiro livro do projeto Os livros viajantes que recebi e vou resenhar. Não sei se quem acompanha o blog desde o começo do ano lembra do projeto, mas consiste basicamente em trocar livros entre as quatro integrantes do projeto (Eu, Jade, Thamires e Anne) e escrever resenhas sobre eles. Como Marina já tinha passado pelas mãos das outras três, nada melhor do que também me enviarem para eu ler. E foi uma ótima oportunidade de conhecer uma obra tão linda e interessante como é Marina.

Marina é um suspense que só é suspense em algumas partes do livro, pelo menos foi pra mim. Óscar estuda num internato e toda vez que pode, sai pelas ruas de Barcelona simplesmente por gostar da arquitetura de alguns casarões e numa dessas saídas, se interessa por uma mansão aparentemente abandonada, onde toca uma música que o faz adentrar para essa mansão. Depois de um incidente com ele levando um relógio do dono da mansão, ele volta até lá e acaba conhecendo a encantadora Marina. Assim, uma amizade surge e junto com ela, um mistério também.

A sinopse desse livro já diz muito sobre ele, então vou parar de descrever a estória e falar mais sobre minha opinião do livro. Marina antes pra mim era um livro interessante por eu ter lido algumas resenhas sobre ele e entre elas vários elogios. A experiência de lê-lo foi curiosa. Em algumas partes da leitura eu me via assustada pelos descobrimentos de Marina e Óscar em relação a viúva misteriosa e toda a estória em volta dela, outras vezes me via encantada pelo sentimento de Óscar e as cenas dele com Marina.

O livro te envolve de uma maneira que você não quer parar de ler nem por um momento. Eu fui mais forte e parei a leitura no meio do livro, mas a estória martelava em minha cabeça e a curiosidade em querer saber o desfecho de toda a trama era latente. Preciso destacar a narrativa de Carlos Ruiz que não é nada simples, chega a ser poética, brilhante e nos dá uma visão mais detalhada sobre toda a estória.

O livro é narrado em primeira pessoa, por Óscar, e eu não vi limitações na narrativa por isso. Por vezes temos relatos de outras pessoas na leitura. As páginas são amareladas, letras pequenas sim mas nada que incomode a leitura e não encontrei erros ortográficos no livro. Só fiquei perdida na leitura quando era citada cidades, ruas ou algo sobre Barcelona, não conheço nada de lá, mas não foi um grande empecilho pra entender a trama.

Ler Marina foi encantador de uma forma geral, amei a narrativa do autor e espero poder ler mais livros dele. Agora é esperar o próximo livro que trocarei com alguma das meninas ♥


13 julho 2012

Filmes do Rock

Sexta-feira 13, eu poderia fazer uma lista de filmes de terror/suspense, mas não sou muito fã do gênero, então não teria muitos filmes bons que vi para listar aqui (Minhas listas de filmes são feitas de filmes que já vi, não gosto de postar sobre coisas que eu não sei, não vi, etc). Mas além de ser sexta-feira 13, hoje também é Dia do Rock! E nessa semana não fiz nenhum 'especial do rock' aqui no blog, mas uma Playlist e uma Lista de filmes sobre o tema eu não queria deixar de postar.
Confesso que não vi muitos filmes sobre o rock, pesquisando sobre eles vi que tem muitos filmes que ainda preciso/quero assistir, mas vamos a lista:

The Runaways - Garotas do rock

O filme conta a história da banda The Runaways, centrada em especial nas integrantes Joan Jett e Cherie Currie. O grupo alcançou imenso reconhecimento como a primeira banda de sucesso de rock formada apenas por mulheres, na década de 70. Além de Jett e Currie, Runaways contava com a baterista Sandy West, a guitarrista Lita Ford e a baixista Jackie Fox. A banda permaneceu unida durante quatro anos, terminado em função de problemas com dinheiro e empresários. Saiba Mais

Escola do Rock

Dewey Finn (Jack Black) é um músico que acaba de ser demitido de sua banda. Cheio de dívidas para pagar e sem ter o que fazer, ele aceita dar aulas como professor substituto em uma escola particular de discilipla rígida. Logo Dewey se torna um exemplo para seus alunos, sendo que alguns deles se juntam ao professor para montar uma banda local, sem o conhecimento de seus pais. Saiba Mais

Get Loud

Despindo-se de sua imagem de rock star, Jimmy Page (Led Zeppelin), The Edge (U2) e Jack White (The White Stripes), guitarristas emblemáticos de três gerações diferentes, apresentam sua história, sua filosofia musical, seu estilo e sua relação com o instrumento que tornou-se a essência da música pop. Através de visitas a locais marcantes de suas carreiras, os artistas falam de sua rebelião musical e de como forjaram seus sons particulares. Saiba Mais

O garoto de Liverpool

“Nowhere Boy” é a cinebiografia que conta a história nunca antes vista sobre a infância de John Lennon, vocalista dos Beatles, até o início da sua jornada para se tornar um ícone. O filme, que tem o nome inspirado pela música “Nowhere Man”, do álbum Rubber Soul´s, se foca na adolescência conturbada de Lennon. Para contar essa história, o roteiro se baseia no livro “Imagine: Crescendo com meu irmão John Lennon”, que foi escrito por sua meia-irmã Julia Baird. Saiba Mais

Cadillac Records

Sexo, violência e muita música fazem parte deste filme, que recria os anos 50 na gravadora Cadillac Records. Baseada na cidade de Chicago, teve em seu catálogo lendas da música norte-americana, como Muddy Waters, Leonard Chess, Little Walter, Howlin' Wolf, Etta James e Chuck Berry. O filme acompanha suas conturbadas passagens pela gravadora. Saiba Mais

***
Não sei qual deles é meu preferido, acho que todos ♥ Get Loud é um filme mais 'técnico', vamos dizer assim, sobre guitarra e instrumentos, mas vale muito a pena para conhecer melhor os três artistas retratados nele (Jimmy Page, The Edge e Jack White), além de tocarem muito eles falam sobre suas histórias com suas respectivas bandas, como tudo começou, etc. Cadillac Records retrata a história de grandes nomes que não são especificamente 'rockeiros', como todos conhecemos hoje 'rockeiros', mas foi nessa época que tudo começou, e pra quem quer saber mais sobre as raízes do rock, esse filme é perfeito. Escola do Rock é um clássico filme sobre esse tema além de ser muito divertido por causa do Jack Black. O garoto de Liverpool é sobre a história do ícone John Lennon, então, para fãs de Beatles, esse filme é imperdível. The Runaways sobre a história da banda e a ícone Joan Jett, retratada muito bem pela Kristen Stewart engulam essa hates
Então, gostaram da lista de hoje?! Quem viu mais filmes sobre rock e recomendam, por favor, escrevam nos comentários ♥

11 julho 2012

Resenha - Tudo pode mudar

Nome: Tudo pode mudar
Original: Everything Changes
Autor(a): Jonathan Tropper
Editora: Arqueiro
Onde comprar: Lojas Americanas - Submarino - Saraiva
Sinopse: Zack é o mais velho dos três filhos da família King, despedaçada quando o pai, o excêntrico e irresponsável Norm, sumiu da vida de todos. Durante os anos seguintes, Zack moldou sua personalidade para que jamais se parecesse com ele. Assim, se tornou um homem pacato e conservador. Ele tinha consciência de que se acomodara a uma situação conveniente: morava de favor na casa de um amigo rico, tinha um emprego medíocre mas estável e estava noivo de uma mulher por quem não era apaixonado. Apesar disso, sentia-se relativamente feliz com sua vida. Certo dia, Zack encontra sangue em sua urina e, após realizar alguns exames, passa a suspeitar de que sofre de câncer. Atordoado com a possibilidade da morte iminente e assustado com o casamento que se aproxima, ele começa a questionar suas escolhas e a perceber a fragilidade daquela vida falsamente estruturada. Para complicar ainda mais a situação, sua relação com Tamara – viúva de seu melhor amigo – adquire uma proximidade perigosa. A atração entre os dois é irresistível e, ao mesmo tempo, proibida. Sua confusão emocional atinge o auge quando Norm reaparece, disposto a fazer qualquer loucura para conquistar o perdão da família. Enfrentando tantos problemas ao mesmo tempo, Zack perde o controle de suas emoções pela primeira vez. Ele precisa lidar com a possibilidade de ter uma doença fatal, o medo de magoar Hope, a paixão platônica por Tamara, a sensação de fracasso profissional e os sentimentos conflitantes em relação ao pai e a si mesmo. Com muito humor e sensibilidade, Jonathan Tropper conta uma história de amor, traição, perdão, recomeço e a chance de se criar uma vida nova em meio ao caos

Eu escolhi esse livro de cortesia com a editora Arqueiro depois de ler uma resenha no blog My book lit, que me fez me interessar muito pelo livro. E não me arrependi.

A sinopse já diz muito, mas contando um pouco da estória: Zack tem um emprego estável, uma noiva linda que ele nunca pensou que teria, e mora com seu amigo rico num apartamento numa área privilegiada de New York. Tudo vai bem até Zack perceber sangue em sua urina e já criar mil e uma ideias sobre isso. Depois de algumas idas ao Hospital ele quase tem certeza que está com câncer e que poderá morrer em breve e a partir daí, muda seu jeito de ser, começando pelo seu emprego que não suporta.

Tudo pode mudar parece um chick-lit narrado por um homem. Sério. Zack é divertido, ás vezes muito auto-depreciativo e cheio de neuroses e preocupações. A volta de seu pai o perturba, pois ele e seus outros dois irmãos foram abandonados por ele depois de tantas vezes trair sua mãe, mas o que mais perturba Zack é o possível câncer e sua paixão secreta por Tamara, a viúva de seu melhor amigo Rael.

Na trama vemos as mudanças em Zack acontecer, narrado por ele mesmo. E é engraçado em algumas partes, mais o que mais me interessou, foi ver confusões e uma rotina narrada por um homem, não aquele cara perfeito que vemos em comédias românticas, mas um homem inseguro, meio neurótico, com problemas em família e em relação aos seus próprios sentimentos.

Tudo pode mudar não só foca em Zack e na dúvida que ele tem sobre sua vida em geral, tanto pelo trabalho, que é relativamente bom mas que ele odeia, como por sua noiva Hope, que é perfeita, mas que ele não ama de verdade, se não, não estaria apaixonado por outra pessoa. Mas enfoca também na relação de Zack com seu pai e seus outros irmãos. 

Eu realmente amei ter lido esse livro, li em dois dias, mas seria só um se não parasse a leitura para fazer outras coisas. A narrativa flui muito bem, como um romance leve e divertido, mas narrado por um homem e com uma trama não superficial. Não encontrei erros ortográficos e mais uma vez a edição da Arqueiro está de parabéns. Recomendo a todos, meninas e meninos a ler esse livro e se divertir com Tudo pode mudar.

E fiquei muito feliz em saber que poderei realizar o sorteio de um exemplar desse livro o/ A editora que é responsável pelo envio do livro, e o sorteio irá até o dia 17 de agosto, ou seja, espero que muitos participem, por que o livro vale muito a pena ♥
As regras todos conhecem:
- Seguir o blog
- Ter endereço de entrega no Brasil
O vencedor tem até 48h para responder o e-mail de aviso.
a Rafflecopter giveaway

09 julho 2012

Playlist: It's Rock'n'roll, baby!

Na foto: Juliette Lewis

Essa semana é a dita semana do Rock e não sei vocês, mas sou apaixonada por esse gênero musical.
Conheci o rock quando assisti pela primeira vez a MTV, confesso. Lembro até hoje do primeiro clipe que vi, era a Amy Lee com outro vocalista de uma banda de metal, me interessei muito pela música e a voz da Amy me fascinou. Depois vieram os clipes de bandas que estavam em foco naquela época, que eu me apaixonei: Green Day, Simple Plan, Avril lavigne (da época do Under my skin), até bandas brasileiras, como Detonautas, CPM 22 e Charlie Brown Jr. Com a vinda da internet, pude pesquisar e conhecer mais bandas ainda, atualmente as que mais ouço são bandas alternativas e pouquíssimas brasileiras e ao longo do tempo, ouvindo tanto o rock novo como o clássico, pude definir meu gosto, minhas preferências.
De bandas alternativas com aquele rock dançante ou totalmente fora do padrão que a maioria ouve até as bandas mais clássicas que até quem não é rockeiro, já ouviu e gosta, foi assim que elaborei essa playlist de hoje, como sempre, baseada no meu repertório pessoal musical:


Acredito que Rock não é só definido por música, mas por atitudes, por pensamentos, até sentimentos, quem sabe?! Muitos definem o rock só por bandas antigas e clássicas, outros só curtem o rock metal ou só o alternativo. O caso é que o Rock tem suas diversas ramificações (e são muitas), quem pesquisar sobre a origem dele, vai ver que ele mesmo foi originado de vários outros gêneros musicais, não tinha como ele  não originar vários outros.

Nessa playlist tem as bandas clássicas como Beatles, The Doors, Janis Joplin e Led Zeppelin até bandas mais novas (que são as que eu escuto mais) como The Killers, The Strokes, Arctic Monkeys ♥ Mas tudo é rock, toda atitude ousada ou sincera é rock. Não precisa usar drogas ou só usar preto pra ser rockeiro(a), acho que rock vai muito além disso. Mas há quem não concorde comigo, claro. Enfim, pra quem gosta de Rock, espero que aprecie a playlist de hoje (Que ficou gigantesca, eu sei, são tantas boas bandas...) e pra quem não curte que mesmo assim experimente ouvir algo daí.

07 julho 2012

Ilustrações: César Moreno


Cá estou eu com o primeiro post sobre ilustrações, eu amo arte, amo ilustrações, mas normalmente só encontro ilustrações dispersas, sem nenhuma informação sobre o artista que as produziu, enfim. Sempre quis trazer esse tipo de post para o blog já que amo isso, posso ficar horas olhando obras de artes... Mas vamos ao post da vez. Estava eu procurando por sites com download de bandas indie (Uma coisa leva a outra totalmente diferente em alguns casos) e me deparo com o Música Pavê, que tem uma sessão só sobre Artes Visuais e em um dos posts tinha sobre as ilustrações de César Moreno:

César Moreno é um artista digital do México que tem um estilo único na visualização de um conceito que pode ser visto através de suas obras. Trabalho de arte incrível, onde cada uma delas é uma obra-prima única por sua maneira original e criativa de representar o conceito sobre a tela. Influências jovens, incluindo música e cinema em um estilo colorido de encantar. Aqui estão algumas de suas incríveis obras criativas onde trabalhou com clientes como MTV, VH1, Rolling Stone, Nike etc. Fonte
Me encantei com o trabalho dele, além de ilustrações relacionadas a música também temos de propagandas de shows, programas e personagens de TV. Confiram:

Arcade Fire ♥

05 julho 2012

Resenha - Do seu lado

Nome: Do seu lado
Autor(a): Fernanda Saads
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Submarino - Lojas Americanas
Sinopse: Após um longo tempo de terapia para se recuperar de um fora, Sarah parece estar bem. Quer dizer, ela já recuperou seu peso normal e consegue pensar em outras coisas além de Bruno. O problema é que no fundo ela vive fantasiando o dia em que esbarra com ele na rua e: pimba! Ela está linda e radiante e ele percebe a mancada que deu. Seus planos são simples: reconquistar Bruno e depois dar o troco que ele merece. Mas o destino lhe prega uma peça quando Nestor, seu chefe, pede que ela visite um novo cliente e, de repente, tudo vira de cabeça para baixo. Lá está ela de frente para o seu antigo amor, que parece mais irresistível do que nunca! Enquanto isso, seu melhor amigo, Igor, sempre presente e irritantemente perfeito, não suporta vê-la cair nas garras do bonitão outra vez. Sarah terá que lutar contra os próprios conceitos para descobrir o verdadeiro sentido do amor.

Mais um livro de autoria nacional que me surpreendeu, uma leitura que flui muito bem e que além de arrancar algumas risadas, também me deixou curiosa quanto ao desenrolar da estória e no que iria acontecer com os personagens.

Sarah é uma arquiteta que longe do estereótipo que a maioria tem em relação a arquitetos que projetam casas de famosos e tem uma vida glamourosa, o seu trabalho não é nada assim. Mas tem o seu melhor amigo, Igor, ao seu lado, para consolar todos os dias de trabalho cansativos e estressantes. Mas Sarah vive pensando no seu ex, Bruno, pensando num possível encontro com ele, e numa possível vingança por ele ter a traído na época do namoro.

E isso acontece, o tal encontro acontece de uma maneira inesperada para Sarah, e Bruno age também de uma maneira inesperada, fazendo ela se sentir confusa em relação a querer ou não uma vingança com ele, e além disso, ainda faz Igor se afastar dela por pensar em Bruno outra vez.

Do seu lado é um romance a lá chick-lit, ele não aborda só o romance em si, mas ele aborda muito as confusões de Sarah, os seus pensamentos, e principalmente seus sentimentos em relação a Bruno e a Igor. A narrativa é em primeira pessoa, então vemos toda a estória do ponto de vista de Sarah, que sinceramente me irritou no começo por ter dado bola pra Bruno, sim, seu ex que a traiu (várias vezes) no passado.

Mas temos Igor para fazer o papel do melhor amigo, que acho que vocês já desconfiam sobre o que ele sente por Sarah, a estória é meio comédia romântica americana, mas é divertido e interessante ler a narrativa pelo ponto de vista de Sarah, suas atrapalhadas, suas futilidades e no final, ver que ela ainda faz a coisa certa. O que me chamou atenção nesse livro foi que os fatos não ocorreram de uma forma muito rápida, e eu achei legal, como no final onde o possível final feliz não acontece logo de cara, mas sim depois de alguns obstáculos, o que deixou a leitura menos superficial.

Do seu lado é de autora nacional como já disse antes, Fernanda Saads, e sua narração fluiu muito bem quando lia o livro, então não me decepcionei com ele, a sinopse já te faz esperar um livro assim, com um romance leve e um esperado final feliz. Não encontrei erros de ortografia que eu lembre, então, mais uma vez o trabalho da Novo Conceito está de parabéns.

03 julho 2012

Mania do 'forever alone'


Não, eu não vou reclamar sobre o compartilhamento do meme 'forever alone' no facebook. Mas já pararam pra pensar o quanto vemos pessoas reclamando de estarem 'sozinhas no mundo'? Que no dia dos namorados vão dar presentes ao seu computador ou que inverno é bullying contra solteiros? Só eu acho isso meio 'sem noção'?
Não estamos na verdade tão sozinhos assim. E se alguém está é por que quer. Adotamos o individualismo dessa sociedade capitalista como se fosse algo muito natural sermos tão egoístas de vivermos sempre na defensiva, expressando o quanto somos antissociais e o quanto não confiamos nas pessoas.
Digo tudo isso por eu mesma já ter adotado essas atitudes algumas vezes. Mas será que estamos mesmos certos agindo de tal forma?
Tudo bem não confiar em qualquer um e que todo mundo gosta de privacidade, alguns seletos amigos e parentes por perto e dias sozinhos fazendo o que gosta. Mas existem casos extremos onde deixamos um pouco a humanidade de lado sendo seres extremamente individualistas, egoístas e materialistas.
Num mundo onde tempo é dinheiro, casamento e amor verdadeiro não são levados a sério, respeito ao próximo e ao meio ambiente é deixado de lado e o seu gosto musical, o time pra quem você torce ou a sua aparência é o que importa; será que não devemos rever nossos valores e não deixarmos nos levar pela premissa de que o homem é o produto do meio?

A premissa 'O homem é produto do meio' foi dita por Karl Marx que consiste em: "Nenhum ser humano nasce pronto, mas o homem é, em sua essência, produto do meio em que vive, que é construído a partir de suas relações sociais em que cada pessoa se encontra".
Fonte 

01 julho 2012

Resenha - As aventuras de Sherlock Holmes

Nome: As aventuras de Sherlock Holmes  
Original: The adventures of Sherlock Holmes
Autor(a): Sir Arthur Conan Doyle
Editora: Martin Claret
Onde comprar: Submarino - Lojas Americanas
Sinopse: As aventuras de Sherlock Holmes, obra publicada em 1892, é uma série de doze contos nos quais o genial detetive, acompanhado de seu fiel amigo dr. Watson, deslinda os mais intrincados e, por vezes, assustadores, mistérios: Um escândalo na Boêmia, Um caso de identidade, A liga dos Cabeças Vermelhas, O mistério do vale Boscombe, As cinco sementes de laranja, O homem do lábio torcido, O carbúnculo azul, A faixa malhada, O polegar do engenheiro, O solteirão nobre, A coroa de berilos, As Faias Cor de Cobre.

Finalmente tive a oportunidade de ler algo sobre Sherlock Holmes, graças a cortesia da editora parceira do blog, Martin Claret.

E me surpreendi em o quanto imergi nas estórias do famoso detetive junto com o Doutor Watson. As aventuras de Sherlock Holmes é um livro com vários contos, então não tem muito o que escrever sobre as estórias em si, mesmo que eu resumisse, a resenha ficaria gigantesca e maçante de ler. O que é o contrário desse livro, cheio de mistérios aparentemente sem solução e cheio de peculiaridades sobre Sherlock Holmes.

A narrativa é feita pelo Dr. Watson e através dela vemos como é Holmes em seu dia-a-dia e como é sendo o detetive sagaz e surpreendente, como ficou famoso. Lendo os contos, lemos não somente estórias interessantes, mas o método de Sherlock Holmes, os mistérios sendo desvendados rapidamente por suas deduções e os desfechos finais, quase todos simples mas muito surpreendentes.

Os contos são relacionados a casos de polícia, mas quase todos descritos nesse livro não acabam em prisão, são solucionados de uma forma mais amena, o que de uma certa forma mostra um Sherlock Holmes discreto e generoso. Enfim, são mistérios que por mais que a gente pense muito e em várias soluções, quando são solucionados, ainda nos surpreendem.

Amei ler o livro, quero mais ler contos de Sherlock Holmes. Dr. Watson é um amigo formidável que nos descreve o famoso detetive e seus casos peculiares de uma forma que me envolveu muito durante a leitura.
Vale muito a pena ler Sherlock Holmes, Conan Doyle faz jus a sua fama de grande escritor por ter criado esse brilhante detetive. A diagramação do livro está impecável, amei a capa diferente do livro que recebi, é uma ilustração do apartamento de Holmes e o livro veio com o Novo acordo ortográfico, então, o trabalho da editora foi muito bem feito, além das informações a mais sobre Sherlock Holmes e Sir Arthur Conan Doyle que contém no livro. Enfim, livro está mais do que recomendado.

Sorteio de Inverno


Eis que depois de muito tempo, volto com uma nova promoção no blog e a primeira em parceria com outro blog! Desculpem a falta de sorteios aqui, houve probleminhas no envio de livros pelos Correios daqui e eu ainda sou uma simples estudante dependente dos pais (risos), mas vou tentar ver a melhor forma de enviar livros e consequentemente fazer mais sorteios por aqui ><
O blog em parceria é o Viajando com livros, da Viviane e da Raquel, e estamos sorteando o livro Julieta Imortal e o kit Garotas de Vidro, quem está afim de tentar a sorte e concorrer aos dois livros?!
As regras são simples, as chances extras também:


a Rafflecopter giveaway

Banner:



Aviso:
- Os blogs tem até 5 dias para publicar o resultado da promoção e 30 dias para o envio
- Endereço de entrega no Brasil
- O vencedor tem até 48h para responder o e-mail de contato.

Boa sorte a todos!

[Resultado] Promoção - O sonho de Eva


Hey, volto aqui com mais um resultado de promoção, foram várias inscrições, fiquei feliz com a participação de todos e ainda mais para ganhar um livro de autor nacional que vale muito a pena ser prestigiado, mas vamos ao vencedor:


a Rafflecopter giveaway

Parabéns a Greiciely! Um e-mail será enviado a você em breve >< E pra quem não ganhou, não desanimem, podem tentar a sorte no Sorteio de Inverno que eu o blog Viajando com Livros estamos promovendo :}
Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo