24 maio 2011

Nuvens de lembranças




Como vai você? Como vai teu mundo? Ah, o que fizestes com o meu?
Quando eu olho pela janela do avião, vejo algo brilhando intensamente, como se estivesse sido deixado ali, sobre as nuvens. Na verdade, eu perdi esse punhado de luz mesmo estando sob essas porções de algodão, o que dificulta ainda mais eu conseguir pegá-lo de novo.
Sei que não vais demorar pra perceber que nesse brilho tem todo o amor que eu te dei, que ali estão todos os nossos momentos, tudo que eu podia oferecer. Confiei em ti metade da minha vida e agora ela está ali, onde você dissipou e eu mal consigo ver.
Olho pro centro de toda essa luz e vejo uns sorrisos, uns sonhos interrompidos, nada de importante... Digo, nada de importante pra ti. Eu me imagino pulando dali, planando até essa esfera brilhante, sendo movido por medo e saudade. Me vejo com 16 anos novamente, meu sorriso está a alguns centímetros do teu, estamos deitados como antes, planejando um casamento, sonhando alto. Me levanto da cama e me arrisco a cantar, sentado em frente ao meu velho teclado, você sorri pra mim e me elogia de todas as formas possíveis mesmo sabendo que eu não acredito. Ah, bons tempos, como fui perder essa esfera?
Volto à realidade, ainda dentro do avião, não vejo mais aquele brilho intenso, já está tudo escuro, me sinto perdido como antes.
Forço a visão, olho pra cima e vejo que ali tem milhares de estrelas... Outras esferas brilhantes, outros punhados de luz, brilhos mais intensos, outras vidas, outros sonhos, outros planos. Quem será que as perdeu? Na verdade, imagino que ninguém nunca as pegou, por isso estão acima daquelas que você jogou fora.
Agora estou aqui, tentando pegar as estrelas que ficam mais em cima, as que brilham mais intensamente. Quero planos novos, quero uma vida nova, quero poder dar as estrelas pra alguém que eu tenho certeza que nunca vão jogá-las sobre as nuvens.
                                                             ***
Hey guys,cá estou eu de novo,depois de um tempinho sem postar,com esse texto que não é de minha autoria e sim do @kaleocardoso, que escreve lindamente,mas só ele não acha isso,rs. Espero que gostem.Até mais.

14 maio 2011

Evoluindo em nós.


Estamos em uma nova era,e dizem que estamos evoluindo...Na ciência,na tecnologia,nas artes,nos meios de comunicação,etc. E como seres humanos,estamos evoluindo mesmo?
Sabemos que temos o livre arbítrio,que estamos numa democracia onde podemos escolher quem nos governa,e também já sabemos que não estamos escolhendo certo. Mas esquecendo um pouco nossas atitudes em sociedade,o que estamos sendo como seres humanos no século XXI?
Ainda temos medo de amar,de falar o que pensamos e o que sentimos. Ainda discutimos por coisas pequenas,ainda acreditamos no sensacionalismo da TV,e somos mais do que tudo,individualistas e fúteis ás vezes. Nos escondemos em indiretas via Twitter,em posts no Tumblr e em conversas pelo Messenger.
As atitudes de hoje refletem-se no amanhã,e não esquecendo os deveres e responsabilidades que temos,também precisamos viver e aproveitar o que temos a nossa frente: dias que não voltarão,pessoas que nos amam,amigos,família,aquele filme no cinema,aquele alguém que precisa de nossa ajuda,um livro a ser lido... E ser verdadeiro consigo mesmo,antes de qualquer coisa.

07 maio 2011

Caminhos


Quando se têm caminhos á escolher,e não se sabe qual escolher,por que a incerteza do futuro te assusta,o que fazer? Seguir a razão ou o sentimento que têm por tal coisa?



P.S: Frase complicada de responder não? Pelo menos para mim,que ainda estou indecisa em relação ao que fazer na faculdade. Mas é isso,por hoje é só essa frase. Não consegui elaborar um texto que expressasse realmente o que eu vivo nesse momento,a não ser essa frase.Obrigada aos novos seguidores,e á todos os comentários lindos que recebo aqui,vocês são muito importantes para mim,mesmo *.*

02 maio 2011

Quando o medo é maior.


Ela estava de mãos atadas. Confusa como sempre com seus sentimentos. O café na cabeceira da cama,o livro nas mãos,e ela deitada,tentanto se concentrar no romance a sua frente. Tentava ler,parar de pensar nele,e em seus prováveis sentimentos por ele; mas não conseguia.
Ele mecheu com suas certezas,a fez pensar novamente em paixões,ciúmes,e aquela velha sensação de ter alguém gostando de você. E estava confusa,sem saber o que dizer.Mas sabendo sobre o que pensar,vivia pensando,analisando,calculando... Irritava-se com si mesma por ser assim.
Mas ela não tinha jeito,amava-o,mesmo sem querer admitir,mesmo sem ter coragem de falar,mesmo com medo de não sei o quê.
 O café esfriava,o livro já não estava mais na mira de seus olhos. O que houve foram suspiros,algumas risadas lembrando dos momentos com ele,e cada vez mais,a certeza de que estava apaixonada,vindo em sua direção.

E ela irá deixar seu orgulho de lado,sua armadura de defesa,e suas incertezas de garota confusa que ela sempre foi?

Ouvindo: Adele - Chasing Pavements
Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger| Personalizado por: Jeniffer Yara | Imagens do Header: Pinterest | Ícones de gadgets/categorias: Freepik | Uso pessoal • voltar ao topo